Como Instalar o Módulo de Segurança Caixa Para o Internet Banking?

Hoje em dia, o máximo de cuidado que pudermos ter ao realizarmos uma transação bancária ainda é pouco. Os bancos oferecem uma série de dispositivos de segurança que ajudam a manter reduzir o número de fraudes. Um desses dispositivos é o Módulo de Segurança que a Caixa Econômica Federal disponibiliza para os seus clientes. 

A instalação do Módulo Adicional de Segurança não é obrigatória. No entanto, é altamente recomendada a sua instalação, visto que o seu objetivo é aumentar a segurança do usuário. 

A conexão com o site da Caixa é realizada em um ambiente seguro e criptografada. Portanto, o cuidado extra é com o computador do usuário que irá acessar o internet banking. 

A instalação desse dispositivo adicional de segurança é muito simples. Basta apenas acessar o site do internet banking da Caixa, entrar com seu usuário, e clicar em “Concordo” na página que se abrirá. Em seguida, você deve clicar na informação que aparecerá na parte inferior do seu navegador. Em seguida, clique em “Instalar Controle ActiveX”. Esse módulo de segurança foi desenvolvido para rodas nos sistemas operacionais 95, 98, NT4.0, ME, XP e 2000. E também com o navegador Internet Explorer na versão 5.5, ou em uma versão superior. Esse módulo irá evitar que esses programas ativem janelas falsas ou programas que pegam os dados pessoais dos clientes para fraudes. 

Dicas Para Aumentar a Segurança com o Internet Banking 

O uso do internet banking vem crescendo a cada dia. O número de pessoas que usam essa ferramenta só aumenta. Dada a facilidade que é resolver quase todos os assuntos bancários sem precisar sair de casa, como pagar contas, consultar saldo, extrato, realizar transferência, e muito mais. 

Com isso, o cuidado também precisa ser redobrado. Pois os bandidos ficam esperam um vacilo nosso para ter acesso às nossas contas. Devido a isso, todo cuidado é pouco e precisamos estar sempre à frente deles, tomando medidas de segurança. 

Para ajudar a se proteger, separamos abaixo algumas dicas que podem ser muito úteis quando o assunto é segurança com o internet banking. Confira abaixo: 

  • Antes de acessar o internet banking, confira se o seu antivírus está atualizado.
  • Quando se conectar a uma rede sem fio, tenha a certeza da integridade da conexão. Quando realizamos uma conexão em uma rede wireless, corremos um grande risco de interceptação. 
  • Quando acessamos o banco pela internet, geralmente, os bancos nos oferecem tokens e cartões de segurança, e os dois modos possuem senhas para que a transação seja finalizada. No momento em que for realizar alguma transação, será solicitada apenas uma senha de cada vez. Caso você recebe um aviso solicitando todos os dados do seu cartão de segurança, desconfie.
  • Ao terminar de usar o internet banking, não deixe de sair corretamente. Clique no botão “sair” e encerre a sessão para evitar que ela seja reaberta de alguma maneira.
  • Acesse o internet banking somente do seu computador. Evite usar computadores públicos, ou que seja usado por várias pessoas. Pois há grande chance de alguém ter acessado algum site sem segurança e que tenha injetado programas espiões.
  • Use senhas bem fortes, que sejam difíceis de serem descobertas. Evite senhas óbvias. Evite usar as mesmas senhas que você usa em redes sociais, por exemplo.
  • Ao usar o token, tenha bastante cuidado. Geralmente, o site pode a senha do token somente uma vez para cada sessão. Se o site lhe pedir a senha mais de uma vez, verifique com o seu banco antes de informar, pois pode ser um indício de fraude.

Fique sempre atento e tome o máximo de cuidado. Siga todas as  medidas de segurança possíveis. A responsabilidade sobre a nossa segurança é toda nossa.

Tarifa de Compensação de Cheque Acima de R$ 5.000: Quanto Custa, Como Evitar?

Quando emitimos e descontamos cheques com valores acima de R$ 5.000,00, precisamos pagar uma tarifa por isso. O objetivo dessa tarifa é incentivar o consumidor a usar meios mais seguros de movimentar altos valores, como é o caso da TED e do DOC. Essas duas modalidades de transferência, além de mais seguras, podem ser isentas de cobrança conforme o pacote de serviços contratado pelo cliente. 

Quando nos referimos à taxa de compensação de cheque com valor acima de R$ 5.000,00, queremos dizer que o emitente do cheque precisa realizar um pagamento de determinada porcentagem sobre o valor total do cheque. Dessa forma, quanto maior for o valor do cheque, maior será o valor dessa tarifa. 

Para saber o valor cobrado pelos principais bancos públicos e privados, acesse o site do Banco Central do Brasil e tenha todos os valores. 

Como Faço Para Evitar o Pagamento da Tarifa de Compensação de Cheque? 

A melhor forma de transferir valores acima de R$ 5.000,00 é usando a TED. Essa é uma das formas mais seguras, mais fáceis e mais usadas hoje em dia para transferir valores. Além do mais, o dinheiro está na conta de destino em poucos minutos após a transferência. Tudo é feito de forma eletrônica e automática. E, como dissemos, conforme o seu pacote de serviços contratados, você nem pagará para realizar a transação. 

A TED pode ser feita tanto pelo internet banking, na boca do caixa ou por um caixa eletrônico. Não é preciso ir até uma agência bancária, como é o caso de cheque. 

A TED e o DOC foram criados exatamente com o objetivo de aumentar a segurança dos usuários. Pois o uso de cheque é alvo constante de fraudes.  

Se, mesmo assim, ainda precisar usar o cheque para realizar algum pagamento, o ideal é que ele seja emitido em valor menor que R$ 5.000,00, para evitar a cobrança da tarifa de compensação. 

Pagamento em Cheque, Dinheiro ou Cartão. Qual a Melhor Opção? 

Para quem não sabe, quando escolhemos a melhor opção para pagar as nossas contas, nós estamos cuidando das nossas finanças. 

Em várias situações, somos forçados a pensar em qual forma de pagamento usar, de maneira que seja mais vantajoso no final. Os lojistas costumam oferecer descontos conforme a opção de pagamento usada. A escolha certa pode render várias vantagens para o consumidor. 

As quatro modalidades de pagamento mais conhecidas são: em dinheiro, cartão de crédito, cartão de débito ou cheque. 

Pagamento em dinheiro: é a forma mais aceita e também a que pode nos render um bom desconto. Mas o fato é que não devemos andar com muito dinheiro na bolsa. Ou corremos o risco de sermos assaltados. Por isso, a maioria das pessoas pode até ter dinheiro na bolsa, mas em pouca quantidade. 

Cartão de crédito: o cartão de crédito vem ganhando destaque no mercado. Ele oferece não só a facilidade de podermos parcelar as compras, como também nos garante mais segurança no dia a dia. Se for roubado, basta bloquear e pronto. No entanto, as pessoas que não possuem autocontrole podem acabar se endividando demais. Por isso, ele deve ser usado com muita cautela, pois é muito fácil perder o controle quando se usa o cartão de crédito. 

Cartão de débito: o uso do cartão de crédito também vem crescendo bastante. Assim como o cartão de crédito, ele nos oferece mais segurança e comodidade. Porém, ele não nos permite o parcelamento das compras. Além do mais, o valor será debitado na sua conta automaticamente. Por isso, é bom usar com cautela também, para evitar gastar todas as suas economias. 

Cheque: cada vez menos pessoas têm usado os cheques como forma de pagamento. O cheque permite o parcelamento das compras, mas não permite compras pela internet e também é uma mais fáceis de serem fraudada. Os riscos e problemas que envolvem os cheques é o que faz com que eles estejam sendo trocados por outras formas de pagamento. 

Como Pagar Um Boleto Atrasado? Gerar Um Novo ou Acrescentar Juros

Muita gente ainda recebe boletos bancários para pagamento. Embora a grande maioria coloque-os no débito automático, para facilitar a vida e evitar o esquecimento, a grande maioria das pessoas ainda não usam essa enorme facilidade. E o que costuma acontecer com muita frequência é a pessoa se esquecer de pagar o boleto e ele vencer. Em alguns casos, o consumidor precisa priorizar o pagamento de uma conta em detrimento de outra, pois o salário não seu para pagar todas as contas. Ou ainda, o boleto pode ter vencido por simples falta de planejamento da pessoa. 

Daí, não adianta tentar pagar o boleto de qualquer forma, nem ir à uma agência bancária.  

Normalmente, costumam vir várias informações no boleto sobre o pagamento fora da data de vencimento. Em alguns casos, o pagamento só poderá ser feito em uma agência do banco emissor do boleto. Em outros casos, o pagamento poderá ser feito em qualquer banco, ou em um certo grupo de bancos. 

A grande maioria dos boletos, quando emitidos por prestadores de serviço, podem ser pagos a qualquer momento, pois os encargos e multas devido ao atraso, serão cobrados na fatura do próximo mês. Nesses casos, não há a necessidade nem de emitir um novo boleto. 

Porém, atrasar um boleto não é uma boa alternativa. Pagando em dia, você evita a incidência de multa e não paga mais pelo serviço prestado. 

Em contrapartida, existem alguns boletos que só podem ser pagos até o vencimento. Após essa data, será preciso atualizá-lo. E esse procedimento pode ser feito pelo próprio cliente, através do site da empresa que emitiu o boleto. 

Como Atualizar Um Boleto Atrasado? 

A atualização do boleto facilita muito a vida do consumidor que não precisa se dirigir até a loja para solicitar um novo boleto, ou pedir por telefone e aguardar a entrega pelos Correios. 

Com o uso da internet, a atualização do boleto se tornou algo muito mais prático. Esse serviço nos permite atualizarmos a data de vencimento e os novos valores, já acrescidos de multas e encargos. 

Para dar sequência à atualização, o cliente deve acessar o site da empresa que emitiu o boleto, informar a representação numérica do código de barra, ou Agência/Código Cedente, conforme solicitar. Em seguida, um novo boleto surgirá na tela e você terá os dados atualizados para pagamento. 

Mas isso só é possível se a pessoa tiver o boleto em mãos. Caso não tenha, será precisa entrar em contato com a empresa e solicitar os dados necessários para a emissão do boleto. 

Atualizar Um Boleto Pode Sair Mais Caro 

Para os microempreendedores individuais, ou pequenos empresários, que estão pensando em trabalhar com boleto bancário em seu estabelecimento, devem atentar para esse fato. 

A Febraban, ou Federação Nacional dos Bancos, implantou algumas novas regras de emissão de boletos que ajuda e estimular a utilização do boleto registrado. Porém, sai mais caro, devido ao maior número de taxas que poderão ser cobradas. Confira abaixo quais são essas taxas:
Custódia: é permitido ao banco cobrar uma tarifa adicional pela presença do boleto aberto no sistema; 

  • Liquidação: quando o boleto é liquidado, o banco cobra mais um valor;
  • Registro: esse valor será cobrado assim que o boleto for emitido e der entrada no sistema. Ainda que ele não seja pago, haverá a cobrança da taxa,
  • Pedido de alteração de dados: se for preciso alterar algo no boleto ou atualizá-lo, o banco poderá cobrar mais uma tarifa.

Aqueles que não contam com um orçamento grande, poderão ser prejudicados. Mas somente no caso de boleto registrado. 

Como Descobrir Seu Limite de Saque Diário, Semanal e Mensal?

Em algum momento, a gente sempre precisa realizar algum saque. Mesmo que a grande maioria das pessoas esteja usando o débito automático, ou internet banking para pagar as suas contas, a gente não gosta de ficar sem um pequeno valor em dinheiro para alguma necessidade. 

Com isso, quando vamos sacar algum valor, é comum nos depararmos com uma mensagem informando que o valor solicitado excede o limite de saque diário.  

Embora muita gente não goste, a determinação de limite diário é muito importe. Esse limite é determinado pelo banco por vários motivos, como uma medida de segurança, por exemplo. Imagine que você seja assaltado. Se o ladrão pedir que você saque dinheiro, você não terá como retirar mais que o limite permite. Além do mais, se o limite de saque diário fosse muito alto, os caixas eletrônicos ficariam sem dinheiro rapidamente. E os bancos teriam mais trabalho para repor.  

Além do mais, segundo o que informa o Bacen, o limite é importante para preservar a integridade, a confiabilidade e também o sigilo das transações realizadas pelo cliente. 

O mais indicado é sempre verificar qual o seu limite de saque diário disponível em sua conta para evitar problemas. Em geral, os bancos costumam flexibilizar os valores de acordo com o perfil do cliente. Para aqueles que realizam saques de valores muito altos, o limite costuma ser um pouco maior. Os valores podem variar de um banco para outro. Como não existe uma regra a ser seguida nesse sentido, os bancos podem definir um limite máximo de saque em caixas eletrônicos. 

Como Descubro Meu Limite de Saque Diário, Semanal e Mensal? 

Para resolver essa questão e descobrir quais os limites de saques em caixas eletrônicos, o cliente pode ligar na Central de Atendimento ao Cliente que eles podem informar os limites disponíveis. O número vem impresso na parte traseira do cartão. Também é possível obter essa informação nos aplicativos de celular e pelo internet banking. 

É Possível Alterar o Limite de Saque? O Que Devo Fazer? 

A resposta é sim. O cliente que desejar, poderá solicitar ao seu gerente, ou a um atendente que aumente o seu limite de saque diário, de forma que atenda melhor às suas necessidades. Para as contas digitais, é possível seguir com a solicitação pelo aplicativo do banco, em uma área reservada para o contato com o gerente da sua conta. 

Quem precisar sacar um valor maior do que o limite disponível, deverá se dirigir pessoalmente à uma agência bancária, levando consigo o cartão da conta e um documento de identidade válido, com foto, e solicitar o saque. 

Limites de Saques de Alguns Bancos 

Confira abaixo os limites disponíveis de saque em alguns bancos: 

  • Caixa Econômica Federal: o limite de saque para os clientes da Caixa Econômica varia entre R$ 1.000,00 e R$ 1.500,00. Durante a noite, o valor é reduzido para R$ 300,00, das 22:00h às 06:00h. Finais de semana e feriado, o valor disponível é de para saque em casa lotérica é de R$ 50000. E a Caixa possui ainda um limite de transações, além do limite de valor. São permitidos apenas 3 saques por dia, seja qual for o canal usado pelo cliente. 
  • Santander: o limite varia conforme o perfil do cliente, o tipo da conta, se há ou não o cadastro da biometria, etc. Os valores variam entre R$ 800,00 e R$ 1.500,00 por dia, quando os saques são feitos em caixas eletrônicos de 06:00h às 22:00h. Já para os saques feitos durante a noite, o valor disponível é de R$ 300,00.
  • Bradesco: para saques com o uso do dispositivo de segurança, em conta corrente, de 06:01h às 21:59h, o valor diário disponível é de R$ 1.000,00. Para saques sem o dispositivo de segurança, em conta poupança, corrente e cartão empresa, considerando os mesmos horários, o valor é de R$ 800,00. 
  • Itaú: a maioria dos clientes possuem um limite diário disponível de R$ 700,00, para saques realizados entre às 06:01h e 21:59h. Para saques entre às 22:00h até às 06:00h, o valor cai para R$ 300,00.

Como Não Pagar Tarifa de Manutenção de Conta Corrente

Quando temos uma conta corrente tradicional, é comum pagarmos mensalmente um valor pelo pacote de serviços. E esse valor é debitado diretamente na nossa conta. Nem sempre nós usamos todos os serviços contidos no pacote. Mesmo assim, acabamos pagando por todos eles. 

Para quem ainda não sabe, os bancos possuem um pacote de serviços essenciais, onde não há cobrança por nenhuma transação. Esse pacote conta com um certo número de produtos. Por isso, ao abrir uma conta corrente, o consumidor tem o direito de escolher o pacote que deseja. O importante é que o pacote escolhido atenda às necessidades do cliente. Em muitos casos, os pacotes de serviços essenciais são mais do que suficientes. 

Como Faço Para Mudar Para o Pacote de Serviços Gratuitos? 

Se desejar migrar para o pacote de serviços gratuitos, basta cancelar a cesta de serviços que possui em sua conta. Automaticamente, você estará aderindo ao pacote gratuito de serviços. Se, por algum motivo, o banco resistir em mudar o seu pacote, o cliente pode procurar o PROCON ou registrar uma reclamação no Banco Central do Brasil. Todo consumidor pessoa física tem o direito de ter uma conta gratuita em qualquer banco, se assim o desejar. 

Quais os Serviços Disponíveis no Pacote de Serviços Essenciais Gratuitos? 

O banco deve sempre oferecer para o cliente pessoa física a opção de contratar ou não o pacote de Serviços Essenciais Gratuitos (não é válido para contas jurídicas). O titular da conta pode escolher pelo pacote gratuito tanto no momento da abertura da conta, como em qualquer momento que desejar. Basta solicitar. Confira abaixo os principais serviços oferecidos na cesta de serviços grátis: 

  • 4 saques por mês em caixas eletrônicos ou na agência;
  • 10 folhas de cheque;
  • Cartão de débito;
  • Pagamento de contas e de boletos bancários pela internet ou caixa eletrônico sem custo;
  • 2 extratos no caixa eletrônico;
  • Compensação sem custo de cheque;
  • Fornecimento de 2º via de cartão gratuita, quando o cliente não pedir;
  • 2 transferências entre contas do mesmo banco, da mesma agência ou de agências diferentes;
  • Fornecimento de extrato consolidado anual contendo todas as tarifas e taxas cobradas,
  • Consulta ilimitada de saldo e extrato pelo celular e pela internet.

OBS: é importante frisar que, no pacote de serviços essenciais gratuitos, a transferência via DOC e TED não é gratuita. 

Como podemos perceber, os serviços oferecidos por esse pacote já são suficientes para suprir as necessidades básicas da grande maioria das pessoas.  

Ao exceder a quantidade de serviços descritos acima, será cobrado um valor conforme a tabela de tarifas praticada pelos bancos. Fique atento à todas as transações que realizar para não exceder o limite gratuito. 

Conta Digital Gratuita e Ilimitada 

Ao contrário da conta de Serviços Essenciais, em que o Banco Central obriga os bancos a oferecerem aos seus clientes, a Conta Digital não é um serviço obrigatório. Ou seja, o banco tem o direito de decidir se oferece ou não esse serviço. 

O seu diferencial é que não há limites para as transações feitas por meio dos canais eletrônicos, como é o caso de caixas eletrônicos, de internet banking, app de celular, telefone, dentre outros. Até mesmo as transferências via DOC e TED são gratuitas e ilimitadas, desde feitas através desses mesmos canais eletrônicos. 

Alguns bancos já permitem que a conta digital seja aberta até pela internet. Um exemplo de Conta Digital totalmente digital e ilimitada é a Intermedium. A abertura dessa conta pode ser feita totalmente pelo aplicativo para smartphone (Android e iOS). E muitos também já oferecem a conta digital sem cobrar nenhuma tarifa de manutenção. 

O Banco Pode Mexer na Conta Sem Autorização?

Essa é uma dúvida que grande parte dos brasileiros ainda têm. E o principal motivo de tamanha desconfiança é o fato de o ex-presidente Fernando Collor ter congelado as contas poupanças dos brasileiros bem no início da década de 90.  

Essa atitude deixou a população com uma pulga atrás da orelha quando o assunto é guardar o dinheiro no banco. As pessoas ainda ficam com medo de terem o seu dinheiro confiscado pelo Governo. 

Por conta disso, até hoje existem pessoas que não guardam dinheiro no banco. 

Mas o fato é que hoje, não existe mais a possibilidade de as contas serem bloqueadas. Há regras as quais os bancos e as instituições financeiras estão sujeitos, e elas existem para garantir a segurança dos consumidores. 

Não é permitido aos bancos e às instituições financeiras retirarem dinheiro da conta do cliente sem o a sua autorização. 

Ao nos tornarmos clientes de um banco, a gente usa alguns serviços financeiros que podem estar sujeitos à cobrança de algumas tarifas. Por isso é que algumas pessoas se esquecem e acabam pensando que o banco está realizando uma cobrança indevida. Por isso, o ideal é conferir atentamente todos os detalhes do seu contrato antes de acusar o banco. 

Posso Ter o Salário Retido Para Pagar Uma Dívida? 

Essa é outra dúvida bem comum. Principalmente quando a pessoa tem uma conta salário. Nem o banco e nem instituição financeira podem reter o salário do cliente para pagar dívidas. Só é permitido realizar algum desconto quando o cliente tiver contratado algum empréstimo consignado ou financiamento. 

Sendo assim, ainda que a conta do cliente esteja negativa e o salário cair, nenhum valor poderá ser descontado dele. 

É Permitido ao Banco Descontar Dívida em Conta Corrente ou Poupança? 

Ao contrairmos uma dívida, seja um empréstimo, financiamento, um cartão de crédito, etc., é comum estar bem claro no contrato que a cobrança poderá ser feita através da conta bancária do titular. Porém, se essa informação não estiver no contrato e com autorização expressa do cliente, o banco não poderá realizar nenhuma cobrança por meio da conta. 

O Banco Pode Realizar Cobrança de Tarifa Bancária Sem Autorização do Cliente? 

Somente mediante um contrato estabelecido entre o banco ou instituição financeira e o cliente, e com a prévia autorização do mesmo, é que o banco pode seguir com a cobrança de juros, transações, IOF, e pacotes de serviços. Mas o banco precisa informar ao cliente todas as alterações, quando ocorrerem, e também informar todas as tarifas cobradas também. O cliente precisa autorizar a cobrança tanto na abertura da conta quanto na troca do pacote de serviços. 

O Banco Pode Usar o Dinheiro do Cliente Para Investir Em Fundos Sem a Sua Autorização? 

O banco não pode usar o dinheiro do cliente em fundos de investimentos sem a prévia autorização do mesmo. Caso ele o faça, está cometendo uma ilegalidade. Até porque, ao investir em um fundo, no momento do resgate, o cliente pode ter um valor menor do que o investido para resgatar. Além de ter outros custos como imposto de renda e IOF também. 

A relação do cliente do banco tem uma série de regras que visam resguardar ambas as partes. Mas o que o consumidor precisa ter em mente é que nenhum banco ou instituição financeira pode mexer na conta do cliente, muito menos retirar qualquer valor sem prévia autorização. 

Leia atentamente o seu contrato com o banco e saiba exatamente o que ele pode e não pode cobrar de você. Se algo de errado acontecer, você deve estar resguardado pelo que consta no seu contrato. 

Máquina de Cartão Fora do Ar – Como Resolver?

O uso do cartão de crédito e de débito para pagar as compras nos dias de hoje está cada vez mais frequente. Na verdade, o lojista que não aceita cartão em seu estabelecimento perde a maior parte das suas vendas.  

O cartão tem sido uma das melhores formas de o consumidor se proteger contra assaltos. Andar com dinheiro em espécie já não é uma opção para a grande maioria das pessoas. 

Os lojistas, por sua vez, têm a sua disposição uma série de modelos diferentes de máquinas de cartão, e cada uma é mais adequada para tipo e tamanho diferente de estabelecimento. 

Mesmo com tanta modernidade, é comum ainda os comerciantes enfrentarem problemas de travamento da máquina, ou máquina fora do ar. E o que os clientes querem é mais qualidade e agilidade no atendimento. Se a máquina não funciona, já gera uma frustração tanto para o lojista, que pode até perder a venda, se o cliente não tiver outra forma de pagamento, como para o cliente também. 

Devido a esses problemas muito comuns de acontecer, as pessoas buscam uma alternativa que ofereça uma solução mais rápida. Porém, nem sempre as operadoras ajudam. Elas não costumam auxiliar da forma que se espera. 

Procedimentos Básicos Para Recuperar a Máquina de Cartão 

Se a máquina de cartão para de funcionar, existem algumas dicas simples que podem ajudar para que o seu funcionamento se restabeleça. Confira abaixo: 

  • Procedimento padrão: o primeiro passo é realizar o procedimento padrão. Para tal, é preciso seguir quatro passos básicos:

1 – Confira se as luzes verdes estão acesas; 

2 – Reinicie a máquina de cartão ou o roteador; 

3 – Desconecte o cabo de alimentação da máquina de cartão e também o roteador da internet. Aguarde em torno de 30 segundos. Ligue os cabos novamente e reestabeleça a alimentação dos dispositivos para o terminal. Se a máquina de cartão tiver uma bateria, retire-a e coloque novamente, 

4 – Aguarde em torno de 1 minuto para usar a máquina novamente após reiniciar e reestabelecer a conexão com o servidor ou com o roteador. 

  • Quando a máquina não estiver sendo usada, confira o estado da rede: os lojistas costumam verificar se a máquina tem rede somente na hora de efetuar a venda. Esse é um erro que deve ser evitado. Confira a rede a cada 30 minutos, pelo menos. Assim, é mais fácil resolver o problema antes que ele cause constrangimento por um erro tão recorrente.
  • Faça um teste na rede telefônica: uma das principais causas da falta de conectividade das máquinas de cartão é a falta de rede. Se a rede telefônica ou roteador é o mesmo usado para a conexão do telefone sem fio ou o computador, então é preciso desconectar o computador e o telefone para averiguar o funcionamento. Acesse a internet pelo computador e confira como está a conexão e a velocidade. 
  • Faça algumas verificações para tentar resolver o problema: existem algumas verificações que também podem ser muito úteis para solucionar o problema. Confira abaixo:

1 – Certifique-se de que o cabo está conectado à porta certa da máquina de cartão e também na parede ou roteador; 

2 – Use um telefone comum para testar a conexão da tomada de parede. Assim, será possível verificar se a linha está disponível. Ou conecte um computador à internet para testar a conexão; 

3 – Conecte a uma outra porta do roteador ou altere o terminal para uma outra linha telefônica e teste a conexão mais uma vez,  

4 – Confira se os todos os telefones da loja estão conectados na mesma linha que a máquina de cartão e confira também se o telefone está fora do gancho. 

O Que Fazer Se Não Recebeu a Restituição do Imposto de Renda?

A restituição do imposto de renda é devida a todas as pessoas que pagaram um valor maior do que o devido a título de Imposto de Renda durante o ano. O valor do imposto devido é descontado na folha de pagamento do trabalhador assalariado.  

As pessoas que possuem muitos gastos consigo ou com seus dependentes, seja com médico, educação, pensão, etc., conseguem restituir no ano seguinte os valores que pagou a mais. 

Quem tem algum valor para receber de restituição, deve se atentar aos lotes que são liberados a partir de junho. São, ao todo, sete lotes. Ou seja, até dezembro você tem a oportunidade de receber a sua restituição. 

O valor da restituição é corrigido conforme a taxa Selic. Porém, após ser liberada para o contribuinte, ela passa a não sofrer mais nenhum acréscimo. 

Não Recebi a Restituição a Que Tenho Direito. O Que Fazer? 

Se acontecer de, no momento de informar os dados bancários, alguma informação estiver incorreta, se a conta já tiver sido encerrada quando o lote for liberado, o valor será devolvido para o banco. Para conseguir recebê-lo, é preciso solicitar o pagamento junto ao Banco do Brasil dentro de um ano. Após esse prazo, será preciso formalizar um Pedido de Pagamento de Restituição acessando o site da Receita Federal. 

O pagamento do primeiro lote da restituição dá prioridade aos idosos e às pessoas com doenças graves e com deficiência. Depois de finalizados esses pagamentos, os contribuintes passam a receber conforme a data de entrega da declaração. Quanto antes ela tiver sido entregue, mais rápido será o seu pagamento. 

Posso Acompanhar a Minha Restituição? 

Sim. O contribuinte que quiser acompanhar a liberação da sua restituição, poderá acessar o site da Receita Federal e verificar o status. Se preferir, a consulta também pode ser feita pelo telefone do Receitafone, número 146, na opção 3. Há ainda uma terceira opção, que é pelo aplicativo para dispositivos móveis, que pode ser acessado de tablets e smartphones que usam os sistemas operacionais iOS e Android. 

O Que é a Malha Fina e Como Funciona? 

Se o contribuinte cometeu algum outro erro ou prestou informações divergentes na sua declaração, ele poderá cair na temida “malha fina”. Esse é o termo usado para o processo de verificação de possíveis erros e inconsistências encontrados na declaração. Assim, se for encontrado algum erro na declaração, ela será separada para que uma análise mais criteriosa possa ser feita. Somente após a apuração dos fatos é que a restituição será liberada. Isso se o contribuinte tiver mesmo direito a ela. 

Confira abaixo algumas das situações que podem levar o contribuinte a cair na malha fina: 

  • Se o contribuinte deixar de informar algum rendimento que tenha recebido no decorrer do ano. Pode ser que ele tenha trabalhado em alguma empresa e se esqueça de informar;
  • Informar despesas médicas divergentes com os seus recibos, em especial na função da DMED;
  • Se acontecer alguma alteração no informe de rendimento e o funcionário não for informado;
  • Informar valores e dados da ficha de rendimentos tributáveis divergentes dos descritos no informe de rendimentos;
  • Não informar rendimentos provenientes de aluguel recebidos ao longo do ano;
  • Deixar de preencher a ficha de ganhos de capital em casos de alienação de bens e de direitos;
  • Se a empresa deixar de repassar o IRRF do empregado durante o ano;
  • Não informar rendimentos e demais informações sobre os dependentes;
  • Lançar os mesmos dependentes se a declaração for feita separada pelos cônjuges ou companheiros;
  • Ter uma mesma pessoa inclusa em duas declarações ao mesmo tempo;
  • Informar dependentes sendo que não existe uma relação de dependência de fato,
  • Incluir dependentes indevidamente.
  • Etc.

Como Funciona o Registrato do Banco Central?

O Registrato é o mesmo que “Extrato de Registro de Informação no Banco Central”. É um sistema que foi desenvolvido em 2014 para ajudar o cliente a verificar, de forma gratuita, como é o seu relacionamento com as instituições financeiras. Por exemplo, pelo Registrato, o cliente consegue verificar em quais bancos ele tem conta aberta, caso tenha se esquecido, ou qual o tipo de vínculo ele tem com algum banco ou instituição financeira. O sistema é administrado pelo Banco Central. E foi ele também quem o desenvolveu. 

O cliente ainda consegue verificar as transações de crédito, como suas dívidas em bancos, ou empréstimos contratados. Em muitos casos, o seu histórico de crédito pode ser usado como comprovante de uma pessoa boa “pagadora”. O cliente consegue gerar relatórios com todo o seu histórico bancário.  

Quais Relatórios É Possível Gerar no Registrato? 

O Registrato permite que vários relatórios possam ser gerados. Conheça cada um deles abaixo: 

  • Sistema de Informações de Crédito

No sistema de informações de crédito, ou SRC, o cliente é capaz de conferir todas as informações relativas a operações de crédito. Isso inclui financiamentos, empréstimos e também outras opções. Por meio desse relatório, é possível verificar todas as operações feitas com valores mínimos de R$ 200,00. Além disso, ainda é possível conferir em qual instituição financeira ou banco os créditos foram realizados. 

  • Cadastro de Clientes no Sistema Financeiro

O Cadastro de Clientes no Sistema Financeiro, ou CCS, é um banco de dados onde são informadas todas as instituições financeiras onde o cliente tem ou já teve alguma espécie de relacionamento. Por meio desse relatório, o cidadão consegue verificar, por exemplo, se existe alguma conta bancária aberta da qual ele não se lembra. 

O registrato permite ao cidadão, o acesso seguro e rápido à todas as suas informações de operações de crédito, além de demais relacionamentos com o sistema financeiro. 

Isso facilita muito para o cidadão que, antes, para ter acesso à todas essas informações, ele precisava ir pessoalmente à representações do Banco Central ou enviar pelos Correios as cópias autenticadas e com firma reconhecida em cartório, dos seus documentos pessoais, para conseguir ter acesso às informações que o registrato disponibiliza hoje. 

Como Acessar o Registrato? 

Se a pessoa tiver um Certificado Digital ICP-Brasil, o acesso é bem simples. Basta entrar no site https://www.bcb.gov.br/pt-br/sfn/registrato/ e efetuar o login com o Certificado. 

Que não tem cadastro, basta acessar o site www.bcb.gov.br/registrato e seguir com os passos solicitados para realizar o cadastro. Em seguida, será preciso acessar o Internet Banking de algum banco em que tenha uma conta bancária. Depois, é preciso ir em “Primeira vez no Registrato” e selecionar a opção “Sou pessoa física”. 

Ao terminar o cadastro no site do registrato, uma frase de segurança será gerada. O usuário deverá ir até o internet banking do banco em que tenha conta e validar a frase de segurança. Feito isso, uma senha de acesso será gerada para que o usuário possa ter acesso ao registrato. A recomendação é alterar essa senha no primeiro acesso ao sistema. 

As informações disponíveis no registrato podem demorar em torno de 45 para serem atualizadas. E o usuário tem a possibilidade de fazer o download de todas as suas informações pessoais disponíveis no Sistema Financeiro Nacional. E tudo isso sem precisar sequer sair de casa. 

O principal objetivo desse sistema é fazer com que o cidadão consiga gerenciar a sua vida financeira de maneira mais eficiente. Esse sistema também facilita muito na hora de as instituições financeiras realizarem o processo de cadastro do cidadão, além de facilitar a obtenção de crédito.  

Como Descobrir Suas Contas Bancárias Esquecidas? Registrato

Uma situação que costuma acontecer é as pessoas abrirem uma conta e, com o passar do tempo, se esquecerem que ela existe. Em outros casos, existem situações em que o consumidor desconfia de que alguém abriu uma conta bancária em seu nome. O fato é que quase ninguém sabe quem tem como descobrir todas as contas abertas em seu nome. No post de hoje, mostraremos o que pode ser feito para resolver essa situação. 

Para quem vive esse tipo de problema, saiba que é possível verificar pela internet todas contas registradas no CPF de uma pessoa. Através de uma ferramenta gratuita, disponibilizada pelo Banco Central, chamada de REGISTRATO, ou Extrato de Registro de Informações no  Banco Central, podemos consultar conhecer todas as contas registradas em um CPF e até qual é o limite de crédito em cada uma das contas. 

Por meio do REGISTRATO, podemos conferir os números das contas corrente e poupança, e também os cartões de crédito que possam haver na conta. Assim como os produtos financeiros que necessitam da existência de limites. 

É comum as instituições financeiras acessarem o RESGISTRATO do Banco Central, desde que o consumidor autorize, para conhecer os limites de crédito que as instituições liberaram para os consumidores. Isso facilita a análise de crédito. 

Além do mais, o REGISTRATO serve para ajudar na proteção do Sistema Financeiro Nacional, uma vez que evita que limites muito altos sejam liberados pelas instituições financeiras, para os consumidores que não têm uma boa capacidade de pagamento. 

Como Acessar o REGISTRATO? 

Confira abaixo o passo a passo de como acessar o REGISTRATO e realizar a sua consulta: 

  • Acesse o site do Banco Central, selecione a opção “Clientes bancários que fazem uso de internet banking” e clique no link “ Obter a frase de segurança”.
  • Em seguida, clique no link “Obter a frase de segurança”.
  • Informa o seu CPF no campo indicado, o nome de algum banco com o qual você se relacione (internet banking), a sua data de nascimento e também o nome completo da sua mãe.
  • Em seguida, aparecerá na tela uma frase de segurança.
  • No momento do acesso pelo internet banking, é preciso validar a frase de segurança que o sistema lhe forneceu. Isso será feito ao clicar no ícone contendo o logotipo do Banco Central, em algum local da página do internet banking do seu banco.
  • Depois, é preciso ir novamente para o site do Banco Central e ir para a página do REGISTRATO. 
  • Após, clique em “3 – Cadastrar”. 
  • Informe o seu CPF, o seu e-mail e o nome do banco que validou a sua frase de segurança.
  • Depois disso, o seu cadastro estará concluído e você receberá uma senha provisória para que possa ter acesso aos relatórios.
  • Acesse novamente a página do REGISTRATO, no site do Banco Central, e altere a senha provisória que você recebeu. Para isso, basta clicar em “Acessar o REGISTRATO”.

Após concluído o cadastro, o cliente poderá acessar o sistema todos os dias, se desejar. Basta apenas que ele clique em “á possuo cadastro e informe o seu usuário Sisbacen e a sua senha. 

O objetivo do REGISTRATO é facilitar a vida dos cidadãos. Por meio dele, é possível consultar, de forma gratuita, todos os relatórios que contenham informações de operações de crédito do consumidor. E também permite saber sobre como anda o relacionamento do mesmo com as instituições financeiras, como empréstimos, dívidas, e etc. Faça essas consultas sem sair de casa. 

Antes do REGISTRATO, só era possível conseguir essas informações pessoalmente, em alguma central de atendimento do público do Banco Central, ou pelo envio da documentação autenticada pelos Correios.