O Que é Cheque Administrativo: Como Funciona e Como Fazer?

O Que é Cheque Administrativo: Como Funciona e Como Fazer?

Nem todo mundo sabe o que é um cheque administrativo. No post de hoje, vamos esclarecer bem o que é e como adquirir. O cheque administrativo surgiu como o objetivo de reduzir a quantidade de pessoas que usavam cheque sem fundo para pagar as suas compras. E também como uma forma de garantir a segurança de quem vende a mercadoria. 

Muitas pessoas desistiram de aceitar o cheque convencional devido à alta inadimplência. Devido a isso, os bancos começaram a emitir o cheque administrativo, como uma alternativa para reduzir a incidência de cheque sem fundo. 

O cheque administrativo, emitido pelo banco, funciona como um documento que garante ao credor o recebimento de um cheque que possua fundo suficiente para cobrir o pagamento da dívida. É uma espécie de contrato de pagamento, onde a pessoa que o recebe tem o direito de receber a quantia descrita nele. 

A grande diferença do cheque administrativo para o cheque convencional é que o primeiro é emitido somente por uma instituição financeira e o valor do cheque é descontado do emitente no momento em que ele fizer a solicitação do cheque. 

Quem Pode Ter Um Cheque Administrativo? 

Todas as pessoas que quiserem pagar com um cheque que o banco emitiu, por várias razões, seja por desejar mais segurança, seja para evitar problemas, ou outro motivo, podem adquirir um cheque administrativo. 

Todas as pessoas podem pedir um cheque administrativo, ainda que não tenha nenhuma conta no banco que irá emitir o cheque. Porém, alguns bancos podem restringir a emissão do cheque administrativo somente para correntistas do banco. Por isso, é sempre recomendado consultar o banco antes de fazer a solicitação do cheque administrativo. 

O processo se torna ainda mais seguro para correntistas do banco em que é feito o pedido, pois a quantia que será repassada para o banco na emissão do cheque administrativo, pode ser transferida por meio de uma conta corrente e não será em dinheiro em espécie, como acontece com quem não é correntista do banco. 

O Que Devo Fazer Para Solicitar Um Cheque Administrativo? 

Para solicitar um cheque administrativo, basta que a pessoa e dirija ao gerente do banco ou ao caixa, e efetuar o pagamento de uma taxa para que ele possa ser emitido. O valor da taxa varia de um banco para outro. Por isso, consulte o valor antes de solicitar o cheque. 

Para solicitar o cheque, ainda será preciso estar com os dados do beneficiário, ou seja, de quem irá receber e depois depositar o cheque para resgatar o dinheiro. Isso é necessário porque o cheque administrativo é nominal também. Esses dados são: o nome completo do beneficiário, o nome do banco onde ele tem conta, o número da conta e agência do beneficiário, e o valor a pagar. 

Uma dica muito importante é guardar o recibo do seu cheque administrativo, pois não deixa de ser algo que você está comprando. 

Qual a Diferença Entre um Cheque Administrativo e Um Cheque Normal? 

A principal diferença entre eles é a garantia de fundos que o cheque administrativo possui. Além de que, nesse tipo de cheque, quem realiza o preenchimento é o banco, e também é ele quem se responsabiliza pelo pagamento ao favorecido, uma vez que são usados fundos do banco para essa ordem de pagamento. Quanto ao cheque normal, quem o preenche é o dono do talão. 

Quando Usar Um Cheque Administrativo? 

O cheque administrativo é mais indicado para os casos de pagamentos que envolvem valores muito altos, uma vez que essas transações precisam de uma garantia a mais de recebimento da quantia. 

Como Recuperar Um Cheque Sem Fundo Recebido

Como Recuperar Um Cheque Sem Fundo Recebido

Como sabemos, o cheque é um título de crédito para ser pago à vista. Para receber o seu valor, basta ir até as agências bancárias do banco emissor ou depositá-lo na conta do correntista. 

Embora o cheque seja uma ordem de pagamento à vista, é muito comum as pessoas emitirem cheque pré-datado. No entanto, pré-datar um cheque não tem nenhuma validade legal. Dessa forma, se a pessoa assim desejar, ela poderá entrar com o cheque assim que o receber. 

O Que Fazer Se Eu Receber Um Cheque Sem Fundo? 

Embora o uso de cheque esteja reduzindo aos poucos, ainda tem pessoas que usam essa modalidade de pagamento. E não são raras as vezes em que nos deparamos com um emissor de cheque sem fundos. 

Antes de receber um cheque, é recomendado verificar no site Cheque Legal, qual é a procedência física do cheque. Dessa forma, é possível saber se o cheque é roubado, sustado, ou se ele possui algum tipo de impedimento. 

Feito isso, é preciso acessar também o site de algum dos órgãos de proteção ao crédito, como o SPC e a SERASA. Por essa consulta, é cobrada uma taxa. Por meio dessa consulta, conseguimos verificar se há algum impedimento para aquele cheque, se o emissor do cheque tem alguma restrição em seu nome e se ele já emitiu outros cheques sem fundo. Assim, você garante mais a sua proteção, e evita possíveis fraudes. 

Se, mesmo após tomar essas medidas, o cheque era sem fundo, é preciso procurar o emissor. É muito importante documentar todas as suas tentativas de contato com a pessoa. Se não conseguir nenhum retorno, será necessário levar o cheque até o Cartório de Protesto da cidade (praça), onde será protestado por você e onde o cheque foi emitido. Embora não seja necessário, você pode levar o endereço e todos os dados que tiver do emissor do cheque. 

Em seguida, o cartório tentará contato com o emissor do cheque. Se não conseguir encontrá-lo, o cartório publicará o seu nome em um veículo oficial de comunicação. Se, ainda assim, ele não for encontrado, o seu nome será inserido nos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e SERASA. 

Se o emissor aparecer, ele precisará ir ao credor, solicitar o título e realizar o pagamento. Em seguida, o credor irá emitir um certificado de negativação, com registro em cartório e com firma reconhecida, após o emissor ter feito o pagamento, para que ele possa ir ao cartório e retirar seu nome dos órgãos de proteção ao crédito. 

Quando Recorrer à Justiça Para Cobrar Cheque Sem Fundo? 

O credor pode entrar na justiça a partir do momento em que o emissor não efetuar o pagamento do cheque. Nesse caso, a alternativa é entrar na justiça por meio de uma execução de título extrajudicial. Feito isso, o juizprocederá, por meio do sistema eletrônico, com o bloqueio da conta corrente e dos veículos automotores do emissor do cheque. Se não houver nenhum bem, o juiz enviará um oficial de justiça até a casa do emissor, e levará os seus bens para leilão em hasta pública. Só não poderão ser levados bens com algum impedimento legal a penhora, como bens de profissão, imóvel único, etc. 

Trabalhar com cheque requer muito cuidado. Pois, mesmo que não seja encontrado nenhum problema ou restrição no nome do emissor, esse poderá, em algum momento, emitir um cheque sem fundo. E o transtorno para receber o valor é muito desgastante.  

Além do mais, em caso de cheque sem fundo, é preciso tomar todas as medidas necessárias, como protesto e com ação de cobrança antes que o cheque caduque. 

MEI Pode Pedir o Cartão BNDES? Veja Como

MEI Pode Pedir o Cartão BNDES? Veja Como 

Quando o empresário formaliza o seu negócio, ele passa a garantir uma série de benefícios. Dentre eles, está o cartão BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), que é uma espécie de linha de crédito empresarial. Sendo duas as modalidades: o cartão BNDES, indicado para a grande maioria dos empresários, e o cartão BNDES Agro, indicado para os produtores rurais. 

A função do BNDES é disponibilizar crédito a juros menores para impulsionar o crescimento econômico do país. Para isso, são oferecidos créditos para micro, pequenas e médias empresas, para contribuir para a ampliação do negócio.  

O cartão do BNDES funciona de forma bem semelhante a um cartão de crédito comum, mas não permite compras à vista, possui um limite maior e o prazo de pagamento das parcelas é bem maior. 

Acessando o site www.cartãobndes.gov.br, o empresário consegue visualizar todos os fornecedores filiados ao BNDES e todos s produtos, separados por categoria. A forma como o processo de compra funciona está é informada na página do produto escolhido, e vai depender de qual o fornecedor escolhido e das condições pré-estabelecidas. 

Bancos Emissores do Cartão BNDES 

Atualmente, o cartão BNDES é emitido pelos fornecedores listados abaixo: 

• Banestes utiliza a Cabal 

 Caixa Econômica Federal oferece um cartão Mastercard 

 BRDE 

 Banco do Brasil com o cartão ELO 

 Banrisul fornecerá um cartão VISA 

 Bradesco também utiliza ELO 

 Banco do Nordeste usando a VISA 

 Itaú também se utiliza do Mastercard 

 Sicredi também com Cabal 

 Sicoob com Cabal 

 Santander com a bandeira VISA 

Como o MEI Pode Pedir Um Cartão BNDES? 

Desde que o MEI esteja devidamente formalizado, que possua CNPJ, e que a sua empresa exerça atividade compatível com a Política Operacional e de Crédito do BNDES, ele poderá solicitar o cartão BNDES. Para isso, o MEI precisará apresentar os seguintes documentos: 

• Certificado de Regularidade do FGTS; 

• Certidão Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CND) ou Certidão Positiva com Efeitos de Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CPEND); 

• Comprovação de Regularidade da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). 

Em seguida, o MEI deve procurar um banco que seja emissor do cartão. É possível que as condições oferecidas por cada banco sejamdiferentes de um para o outro. Depois de feito o pedido, será feita uma análise uma análise de crédito, para que seja definido o limite. Somente após a aprovação dessa análise é que o cartão será emitido. 

Quais as Vantagens do Cartão BNDES? 

Conheça abaixo as principais vantagens que o cartão BNDES oferece: 

• A enorme quantidade de equipamentos que podem ser comprados: o empresário tem a possibilidade de comprar uma variedade muito grande deequipamentos para usar em sua empresa, desde que sejam compatíveis com o negócio exercido pela empresa. Além do mais, ainda a possibilidade de contratação de vários serviços também. 

• O dinheiro é liberado com mais rapidez: trata-se de um crédito pré-aprovado. Dessa forma, não há a necessidade de o empresário aguardar a aprovação do banco. 

• O empresário pode usar o cartão várias vezes: até que o milite disponível termine. Enquanto isso, o empresário pode ir usando o cartão para impulsionar o seu negócio. 

• Isenção de taxa de anuidade e taxa de juros pré-fixada: não existe a cobrança de nenhum valor a título de anuidade para a liberação do crédito. Além do mais, a taxa de juros é pré-fixada, dando uma segurança maior para o empresário. Dessa forma, a mesma taxa cobrada na parcela inicial será a mesma cobrada na parcela final. E é possível parcelar as compras em até 48 vezes. 

• Fornecedor: não é somente o empresário que se beneficia do cartão BNDES. O fornecedor também. Algumas dessas vantagens são: os produtos dos fornecedores ficam expostos, gratuitamente, no site do cartão BNDES; o fornecedor sabe que receberá a venda em até 30 dias; há um comprometimento menor do capital de giro; e o financiamento acontece em até 48 prestações mensais, de forma automática, para o cliente. 

A intenção dessa linha de crédito, é ajudar no crescimento das empresas, contribuindo para que elas se tornem cada vez mais competitivas no mercado. 

Cartão BNDES: Como Funciona e Como Fazer?

Cartão BNDES: Como Funciona e Como Fazer?

Um empresário que possui uma micro, pequena ou uma média empresa, que lucrem até 90 milhões por ano, e que queira ampliar o seu negócio, tem a chance de solicitar uma opção de crédito ideal para o seu negócio.  

Isso porque o BNDES, ou Banco Nacional do Desenvolvimento, oferece um cartão que o empresário pode usar para financiar a compra d materiais, insumos e serviços de que necessita. As taxas de juros são bem menores que as praticadas pelo mercado, com o objetivo de impulsionar o crescimento do negócio. 

O cartão de crédito do BNDES possui as principais funções que um cartão de crédito comum possui. O cliente pode até parcelar as suas compras, desde que o não ultrapasse o limite que o banco determinou. 

Uma outra característica do cartão BNDES é que, com ele, o empresário não consegue pagar nenhuma compra à vista. Exatamente por ele ser um cartão específico para financiamento. Caso a pessoa queira antecipar o pagamento de alguma parcela, deverá contatar o banco que emitiu o cartão. 

Para que esse crédito seja concedido, existe uma cobrança de taxa já pré-fixada, e ele permanece a mesma desde o início até o fim do pagamento. Não existe cobrança de anuidade e há ainda uma outra taxa, que é a de abertura de crédito. O valor dela varia de um banco para outro. 

Para solicitar o cartão, é preciso que a pessoa seja correntista do banco, pois o débito das prestações acontece diretamente na conta corrente, de forma automática. Atualmente, os bancos que emitem o cartão do BNDES são: Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Santander, Banco do Nordeste, Bradesco, Banestes, Sicredi, Banrisul, Sicoob e Itaú. 

Como Solicitar Um Cartão do BNDES? 

Existem duas formas de solicitar, pelo site e pelo banco. Confira abaixo: 

Pelo site do BNDES: 

• É preciso acessar o portal de operações do cartão BNDES e clicar no link “solicite o seu cartão”. 

 Em seguida, deve-se informar o CNPJ e a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE). 

 Agora, é a hora de informar o banco em irá fazer o seu cartão. Mas lembre-se que é preciso ter uma conta corrente no banco. 

 Depois, é só preencher a proposta de solicitação do cartão e apresentar a documentação solicitada. 

Pelo banco: 

• É preciso que o empresário se dirija a uma agência bancária onde fará a solicitação do cartão, de posse dos seguintes documentos: Contrato Social da empresa, Balanço Patrimonial, ata de eleição dos administradores, certidão de regularidade do FGTS e a Certidão Negativa de Débito (CND). Caso a documentação esteja toda correta, o cartão será emitido em cerca de 30 dias corridos. 

Pode ser que o banco solicite alguma outra documentação além dessas informadas. 

Para Quem se Destina o Cartão do BNDES? 

Para os empresários donos de micro, pequenas e médias empresas, cujo faturamento seja de até 90 milhões por ano, e que tenham sua sede no Brasil. Não têm direito de solicitar o cartão pessoas físicas, produtores rurais que não possuam CNPJ, além de algumas outras atividades econômicas que são consideradas incompatíveis com a política de crédito do BNDE como, por exemplo, atividades bancárias, uma vez que já recebem incentivos fiscais, os donos de motéis, o comércio de armas e saunas. 

Para o BNDES, não existe um tempo mínimo de mercado para solicitar o cartão. Porém, o banco tem a liberdade de exigir.  

Outra informação importante é que a empresa não pode ter nenhuma irregularidade no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), nem no pagamento do INSS, nos tributos federais e nem na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

Como Sacar o FGTS? Regras e Contas Inativas 

Como Sacar o FGTS? Regras e Contas Inativas

O FGTS, ou Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, é um direito de todos os trabalhadores cujo contrato de trabalho é regido pela CLT, ou Consolidação das Leis do Trabalho. É uma obrigação que o empregador tem de depositar um valor equivalente à 8% do salário do empregado nessa conta.  

Além desses, os trabalhadores rurais, domésticos, avulsos, temporários, atletas profissionais e safreiros (que são os operários que trabalham somente durante o período da colheita, também têm direito ao FGTS. 

Esse valor deve ser sacado em caso de demissão sem justa causa do funcionário em outras situações também. Confira abaixo: 

• Em caso de demissão sem justa causa, como dissemos; 

 Em caso de término do contrato por culpa das duas partes, da empresa e do empregado. Ou por algum motivo de força maior, como uma enchente ou algum incêndio atingir a empresa, por exemplo; 

 Pelo término de um contrato por tempo determinado; 

 Em casos de trabalhador “avulso”, que não tenha vínculo empregatício, mas feito por meio de uma entidade de classe, e o trabalhador fica suspenso por um período de 90 dias ou mais. 

 Se o término do contrato se deu pelo fechamento da empresa, seja em caso de extinção total da empresa, pelo fechamento de algum estabelecimento ou pela extinção de parte das suas atividades. 

Existem também outras hipóteses em que o trabalhador pode sacar o FGTS em todas as contas existentes. Confira abaixo: 

• Quem já está aposentado; 

• Quem vai comprar a sua casa própria; 

• Quem tem 70 anos ou mais; 

• A pessoa que vive em uma área que sofreu algum tipo de desastre natural, como vendaval ou enchente, porexemplo; 

• Se o trabalhador ou o seu dependente estiver com câncer; 

• Se o trabalhador ou o seu dependente for portador do vírus HIV; 

• Se o trabalhador estiver em estágio terminal devido a alguma doença grave; 

• Para ajudar o trabalhador a pagar um imóvel financiado pelo FSH (Sistema Financeiro de Habitação); 

• Que fica 3 anos seguidos sem trabalhar com carteira assinada, 

• E para ajudar a pagar um imóvel comprado através de um consórcio. 

Em caso de morte do trabalhador, os dependentes podem sacar os recursos disponíveis nas contas de FGTS. 

O trabalhador também pode sacar todo o valor que estiver em sua conta do FGTS quando se aposentar. Caso o trabalhador se aposente e continue trabalhando na mesma empresa, ela deverá continuar depositando o valor do FGTS, e o trabalhador poderá sacá-lo todos os meses.  

Em contrapartida, se o trabalhador se aposentar e continuar trabalhando, só que em outra empresa, será preciso aguardar até o término do contrato de trabalho para poder sacar o seu FGTS depositado por essa nova empresa. 

Saque de FGTS de Contas Inativas 

A Caixa liberou o saque do FGTS para todos os trabalhadores que pediram demissão ou que tiveram o seu contrato de trabalho rescindido por justa causa até 31/12/2015. 

Para receber o valor, a Caixa disponibilizou quatro opções, conforme abaixo: 

• Autoatendimento: para os valores até R$ 1.500,00, o pagamento seria feito com a senha do Cartão Cidadão. Para os valores até R$B 3.000,00, já seria preciso estar com o Cartão Cidadão e com a senha. 

• Crédito em conta Caixa: quem é correntista da Caixa pode autorizar o recebimento do crédito em conta através do site da Caixa (www.caixa.gov.br/contasinativas). 

• Correspondentes Caixa Aqui e Lotéricas: para valores de até R$ 3.000,00, precisa apresentar o documento de identificação do trabalhador, juntamente com o Cartão do Cidadão e a senha. 

• Agências da Caixa: é preciso estar com o número de inscrição do PIS/PASEP, comprovante de finalização do contrato de trabalho, que pode ser a carteira de trabalho ou o termo de rescisão do contrato de trabalho, e o documento de identificação do trabalhador.

Como Fazer Um Cartão de Crédito Sem Consulta ao SPC e Serasa: Quais as Opções?

Como Fazer Um Cartão de Crédito Sem Consulta ao SPC e Serasa: Quais as Opções?

Ter um cartão de crédito hoje em dia se tornou uma necessidade. Seja pela praticidade, seja pela segurança, e muito mais. Mas isso desde que ele seja usado da forma correta, se excessos. É uma ferramenta que pode nos ajudar muito no dia a dia. 

Só que, muitas vezes, nós fazemos uma solicitação de cartão e essa não é aprovada. E, na maioria das vezes, a concessão do cartão é impedida por a pessoa estar com o nome sujo.  

Quando solicitamos um cartão, o nosso pedido passa por uma análise, e os órgãos de proteção ao crédito, como o SPC e a SERADA, também são consultados. Se o nome da pessoa tiver alguma restrição, o pedido será negado. 

Como Conseguir Um Cartão Sem Consulta no SPS e SERASA 

Essa é uma dúvida muito comum. E a boa notícia é que existem algumas opções de cartões quem não há a necessidade de consulta no SPC e SERASA. 

Hoje em dia, os cartões de crédito estão cada vez mais presentes na vida das pessoas. Principalmente para evitar que a pessoa carregue dinheiro pelas ruas. Além do mais, ele também oferece uma enorme facilidade no pagamento das compras. Alguns estabelecimentos comerciais parcelam as compras em várias vezes sem juros. 

Por isso, para você que deseja ter um cartão e está encontrando dificuldade, confira algumas dicas, que não exigem nenhuma consulta ao SPS e SERASA: 

• Cartão de crédito de loja online: esses cartões, geralmente, são disponibilizados sem muita dificuldade. É possível solicitar o cartão pela internet, pelo site da loja. A aprovação costuma ser bem mais rápida. Porém, o limite não costuma ser muito alto. 

 Cartão BMG Card Mastercard: esse cartão é para servidores públicos ou privados, desde que o pagador seja conveniado com a BMG. Não exige consulta no SPC e na SERASA. 

 Cartão pré-pago: esses cartões são os mais descomplicados, são aprovados facilmente e a solicitação é feita pela internet. O cartão de crédito pré-pago funciona da mesma forma que um celular. Você realiza a recarga no valor que desejar e quando quiser. São aceitos para compras pela internet e em vários estabelecimentos do país. Esse tipo de cartão é uma ótima opção para controlar os seus gastos, pois você sabe exatamente quanto tem paga usar. Mas lembre-se de verificar as taxas cobradas no momento em que for solicitar. 

 Cartão de crédito IBICard: esse é um cartão pré-pago. Não precisa comprovar renda. Ele permite o parcelamento de compras em até 12 vezes sem juros. E ainda oferece um cartão adicional sem custo. E quem define o limite de crédito do cartão adicional é você. Pode ser usado para você realizar recarga de celular, pagar suas contas de água, luz, telefone, e outras e ainda parcelar em até 6 vezes. Além de vários outros benefícios. 

 Cartão pré-pago Crefisa: esse cartão é aceito em caixas eletrônicos da Rede Banco 24 Horas, e em todas as máquinas que aceitem a bandeira MasterCard. Através do aplicativo, você pode consultar o saldo disponível, realizar transferência de valores do seu cartão para uma conta ou entre cartões pré-pagos, consultar o extrato e trocar a senha. 

Um cartão de crédito, quando usado incorretamente, pode gerar uma montanha em dívida. Por isso, se você está com o nome sujo, a nossa sugestão é que você limpe seu nome e organize as suas finanças antes de solicitar um cartão de crédito. Dessa forma, você terá muito mais tranquilidade. Além do mais, com o nome limpo, as chances de você conseguir um outro cartão, com um limite melhor, são bem maiores. 

Como Fazer Um Inventário? Quais os Custos?

Como Fazer Um Inventário? Quais os Custos?

Antes de explicar como se faz um inventário, mas falar um pouco sobre o seu conceito primeiro. 

Após a morte de uma pessoa, tudo o que ela tiver a título de patrimônio, que são todos os seus bens, direitos e os deveres, ou seja, suas dívidas, passarão a pertencer aos seus herdeiros. O inventário entra como uma ferramenta que irá formalizar a divisão de todo o patrimônio entre os herdeiros da forma certa. 

O inventário pode acontecer de duas formas: judicial e extrajudicial. 

Inventário Judicial: nessa modalidade, é preciso buscar pelo Poder Judiciário, por meio de um advogado, para que seja descrito todo o patrimônio que o falecido possuía. Para que a divisão possa ser feita de forma justa entre todos os herdeiros. Sem esse processo, não será possível transferir a posse do bem. 

Inventário Extrajudicial: nem todas pessoas conhecem essa forma de inventário, embora tenha uma lei que a regulamente (Lei 11.441 de 04 de janeiro de 2007). A intenção desse tipo de inventário é diminuir o número de processos relacionados à inventário, e melhorar o acesso do cidadão ao inventário, diminuindo os custos relativos ao processo e também o tempo. 

Mas a forma como acontecerá o inventário depende de alguns pré-requisitos. Veja o que diz o artigo 982 do Código de Processo Civil sobre os dois tipos de inventário: 

Art. 982. Havendo testamento ou interessado incapaz, proceder-se-á ao inventário judicial; se todos forem capazes e concordes, poderá fazer-se o inventário e a partilha por escritura pública, a qual constituirá título hábil para o registro imobiliário. 

[…] 

Vejamos agora os passos para se fazer um inventário

1º Passo – Elege-se um advogado: seja qual for o tipo de inventário, judicial ou extrajudicial, a contratação de um advogado será obrigatória e indispensável. Além do mais, um advogado especializado em Direito da Família e Sucessões é a pessoa mais indicada para ajudar nesses casos, pois irá garantir que a partilha aconteça sem prejuízo para nenhum dos herdeiros, além de tornar o processo mais rápido e mais econômico também. 

2º Passo – Verificar se existe um testamento: seja um inventário judicial ou extrajudicial, é preciso verificar se há ou não um testamento. 

3º Passo – Apurar o patrimônio: esse trabalho deverá ser feito pelo advogado. Ele deverá apurar todos os bens, direitos e dívidas do falecido. A partir daí, ele poderá verificar se há a necessidade de tomar providências, como o levantamento de algum documento que se faça necessário, como contratos de financiamentos, documento de carro, regularização de algum documento, solicitar a documentação pessoal dos herdeiros, avaliação de bens, como obras de arte, por exemplo, e etc. 

4ª Passo – Eleição da via procedimental, ou seja, se o inventário será judicial ou extrajudicial): após verificar a existência ou não de um testamento, e realizar o levantamento de todo o patrimônio, é chegada a hora de definir qual será o procedimento usado para o inventário. Nesse caso, o próprio advogado saberá escolher a melhor opção, conforme cada caso. 

5ª Passo – Escolher o cartório: não há mistério na escolha do cartório. Quando se trata de preços, não existe muita diferença entre um e outro. Em geral, a proximidade do cartório com a residência da maioria dos herdeiros é o que determina qual será o cartório, ou então o advogado indica um em que ele já tenha o costume de lidar e já conheça o seu funcionamento. 

6ª Passo – Inventariante: se for inventário extrajudicial, essa escolha não será significativa, pois o mesmo não terá funçõesrelevantes. Se for judicial, o inventariante escolhido será quem irá representar o espólio em juízo e perante terceiros. 

7ª Passo – Negociar as dívidas: todas as dívidas entrarão no inventário, porém, o advogado e o inventariante deverão negociá-las com oscredores a forma que serão pagas para que a solução seja levada pronta. 

8ª Passo – Divisão dos bens: esse é um momento muito delicado. Quem deverá coordenar os discursões é o advogado, além de também estar à frente da estratégia sucessória. 

9ª Passo – Pagamento de imposto: o advogado apura os valores a pagar de ITCMD e de ITBI e divide entre os herdeiros. 

10ª Passo – Concordância da Procuradoria da Fazenda: após a declaração do ITCMD, e o seu recolhimento, a Procuradoria da Fazenda emitirá autorização para que seja feita a partilha, ou para que a escritura possa ser lavrada, de forma a autorizar a continuação do processo. 

11º Passo – Emissão do Formal de Partilha ou Escritura Pública: no caso de inventário judicial, será emitido o Formal de Partilha. No caso de inventário extrajudicial, será emitida Escritura Pública. Finalizando assim o processo de inventário. 

Quanto aos custos de um inventário, considera-se os honorários advocatícios, que varia de um advogado para outro. Além do pagamento do ITCMD e da taxa de escritura do cartório. Ambos os valores variam de um estado para outro, e devem ser verificados no próprio cartório. 

Cartão Não Autorizado: Erro 05 – O Que Fazer?

Cartão Não Autorizado: Erro 05 – O Que Fazer?

Quando vamos pagar uma compra com o cartão de crédito, estamos sujeitos a várias situações, e que podem nos levar a alguns constrangimentos.  

Por isso, é sempre bom ter outra forma de pagamento naquele momento. Na grande maioria das vezes, o problema não é culpa do lojista. Por isso, não adianta ficar nervoso e brigar com a pessoa, pois isso não irá resolver a situação. Em muitos casos, basta ligar na Central de Atendimento ao Cliente que o problema será resolvido.  

Existem várias situações que podem levar a algum tipo de erro no momento da compra, como é o caso do Erro 05 (Cartão Não Autorizado), por exemplo. Esse, inclusive, é um dos mais comuns de acontecer. 

Para facilitar a vida de comerciantes e dos consumidores, as operadoras de cartão de crédito criaram vários códigos para ajudar a identificar qual é o problema que está acontecendo naquele momento. Esses códigos apresentam, de forma resumida, o erro que pode haver no sistema ou mesmo na conexão com a rede. São vários números, e cada um com o resume um tipo de erro. Dessa forma, fica mais fácil para o cliente na hora de solucionar o problema. Ao saber o que cada código significa, o consumidor pode ir diretamente onde poderão resolver. 

Erro 05 – Venda Não Autorizada 

Como dissemos, esse é um dos erros mais comuns de acontecer. E suas causas podem ser duas: quando a compra realizada excede o limite de crédito disponível do cartão. Ou ainda quando a compra está sob alguma suspeita de fraude. Vejamos abaixo, de forma detalhada, cada uma delas. 

Bloqueio do cartão por falta de limite disponível: quando isso acontece, significa que o consumidor já usou todo o crédito que tinha disponível no seu cartão. Com isso, o pagamento não é autorizado pela administradora do cartão.  

Nesse caso, o que o consumidor precisa fazer é ligar na Central de Atendimento do cartão e solicitar o aumento do seu limite. A solicitação passará por uma avaliação e só então o cliente terá o retorno. Nem sempre a operadora disponibiliza mais crédito. Pois isso depende de algumas variáveis, como o histórico de pagamento das faturas, se o cliente paga em dia, se não costuma pagar o mínimo do cartão, e etc. 

Bloqueio do cartão por suspeite de fraude: outra situação que causa o bloqueio do cartão é a suspeita de fraude. Nesse caso, a administradora do cartão procede com o bloqueio como uma medida de segurança. E o desbloqueio só acontece após o titular entrar em contato e solicitar o desbloqueio.  

As situações mais comuns, que causam esse tipo de bloqueio, são: 

• Compras feitas em locais bem distantes, como de um estado para outro, por exemplo, em um espaço curto de tempo. 

 Compra feita em um horário diferente do que o cliente costuma comprar, como de madrugada, por exemplo. 

 Compra com valor bem mais alto do que o cliente costuma efetuar. 

 Compras feitas em estabelecimentos onde o índice de fraudes é bem alto. Em alguns locais, as fraudes são tão comuns, que a administradora do cartão costuma bloqueá-lo até conseguir falar com o cliente, para confirmar a operação. 

 Várias compras de pequeno valor feitas em pouco espaço de tempo. 

 Quando o titular do cartão tem um alto poder aquisitivo e só compra à vista. De repente, aparece uma parcelando todas as compras. 

 Compras que excedam o limite do cartão. 

 Compras feitas no exterior, sendo que o cliente não informou à administradora do cartão que iria viajar para fora do país. 

Todas essas situações são muito suspeitas e podem ser um indício de fraude. 

Cartão Gold ou Platinum? Qual a Diferença e Qual Escolher?

Cartão Gold ou Platinum? Qual a Diferença e Qual Escolher?

Quando solicitamos um cartão de crédito, o fator determinante do limite a ser disponibilizado é a renda da pessoa. Uma renda muito pequena com certeza não permitirá que a pessoa tenha qualquer cartão que desejar. 

É o que acontece quando solicitamos os cartões Gold ou o Platinum. Entre esses dois cartões nós encontraremos tanto diferenças quanto semelhanças. Conforme veremos abaixo: 

Principais Semelhanças Entre os Cartões Gold e Platinum 

• Ambos os cartões disponibilizam vários benefícios para os seus clientes, quando comparados com os cartões padrões oferecidos pelo banco. 

• Outra semelhança entre esses dois cartões é que, em caso de atraso ou falta de pagamento da fatura, as penalidades podem ser menores do que as penalidades dos cartões de crédito tradicionais. 

• As taxas de juros praticada pelos cartões Gold e Platinum são menores e o um saldo maior.  

• Os juros anuais, em contrapartida, podem ser maiores para o titular. 

Principais Diferenças Entre os Cartões Gold e Platinum 

• Os cartões de crédito Platinum, quando em comparação com os cartões Gold, podem oferecer taxas de juros menores, aumento de limite de crédito com mais frequência, além de saldo de crédito mais elevado. 

• O cartão de crédito Platinum pode oferecer ainda benefícios adicionais para os clientes, em comparação com o cartão Gold. Dentre esses benefícios, podemos ter seguros de viagens, programas de viagens, serviço de proteção contra fraude. 

 Pode acontecer de alguns cartões de crédito Platinum anunciarem não ter limites de crédito. Mas isso não é verdade. Alguns podem ter saldos de centenas de milhares de reais, o que pode parecer ser sem limite. Isso porque, em alguns casos, os limites de crédito podem estar ligados à renda. E o cartão Platinum, normalmente, é destinado às pessoas com a renda bem alta. 

 Algumas outras vantagens exclusivas que o cartão Platinum oferece podem ser seguro bagagem, descontos em restaurantes mais requintados, e acesso VIP em compras de determinadas companhias aéreas. 

Esses cartões são mais indicados para as pessoas que possuam uma renda compatível e que se beneficiará mais dos benefícios que ambos os cartões oferecem. 

Em resumo, o cartão Gold é aceito no mundo inteiro. A sua anuidade é mais elevada do que a anuidade de um cartão internacional. São indicados para as pessoas com um poder aquisitivo mais elevado. E eles oferecem muitos benefícios para os clientes, como muitas comodidades em serviços de lazer e de entretenimento, seguros e muitos descontos interessantes. 

Já o cartão Platinum é um tanto mais sofisticado que o cartão Gold. Ele é destinado para quem possui um poder aquisitivo alto e que que faça grandes movimentações de dinheiro. Também oferece inúmeros benefícios para o cliente, como sala VIP em aeroportos, acesso exclusivo em vários eventos e locais, além de serviço de concierge. É aceito no Brasil e no exterior. O seu limite de crédito é bem diferenciado em comparação com os outros cartões. A anuidade do cartão Platinum é mais elevada do que a do cartão Gold. No entanto, ele é melhor em termos de benefícios e de atendimento. 

Na hora de solicitar um cartão de crédito, precisamos pensar com calma no que esperamos e realmente precisamos que o nosso cartão tenha. Pois os benefícios podem não compensar, devido ao custo elevado. 

Outro ponto que devemos ficar atentos é quanto aos limites. Todo mundo quer um cartão com um limite elevado, mas será que você realmente precisa? Às vezes, é mais pelo desejo mesmo de saber que o seu limite de crédito é alto, e assim é também o seu poder de compra. 

Cartão MercadoLivre é Bom? Vale a Pena Fazer Um?

Cartão MercadoLivre é Bom? Vale a Pena Fazer Um?

O consumidor que tiver cadastro no Mercado Livre e uma renda de, pelo menos, 1 salário mínimo, poderá solicitar o cartão que ele disponibiliza, e que facilita bastante as compras feitas pelo site. 

A bandeira do cartão MercadoLivre é Mastercard, e é aceita em milhares de estabelecimentos no país, que aceitem a bandeira Mastercard. Ou seja, o cliente que possui esse cartão não precisa comprar somente do MercadoLivre.  

Como Solicitar Um Cartão MercadoLivre? 

Para pedir o seu cartão, precisa acessar o link do Mercado Livre http://cartao.mercadolivre.com.br/, depois clicar em “Solicite Seu Cartão”. Em seguida, aparecerá uma proposta que precisa ser preenchida com os dados completos do solicitante, como os dadosresidenciais, financeiros, pessoais e profissionais. Não será preciso enviar nenhuma documentação. Somente será preciso enviar alguma documentação dependendo do resultado da análise da solicitação. 

Para solicitar esse cartão, a pessoa precisa ser maior de 18 anos e comprovar renda igual ou superior a 1 salário mínimo. E o cartão MercadoLivre não oferece nenhum programa de recompensa e de pontos para os seus clientes. 

Vantagens do Cartão MercadoLivre 

Confira abaixo as principais vantagens que o cartão MercadoLivre oferece: 

• Anuidade gratuita no primeiro ano; 

 Possibilidade de parcelas as compras em até 24 Vezes no MercadoLivre ou em os estabelecimentos que aceitam o MercadoPago; 

• Possibilidade de solicitar até 3 cartões de crédito adicionais; 

 Crédito rotativo e até 45 dias para pagar as compras; 

 A cada R$ 1,00 gasto, o cliente acumula pontos, que poderá trocar por prêmios no programa de fidelidade do cartão; 

 Quem tem o cartão MercadoLivre participa das promoções da Cetelem e Martercard ((Mastercard Surpreenda: compre um produto e ganhe outro de igual ou menor valor), 

 Saques em até 18 vezes, conforme o limite do cartão, e respeitando as taxas e o vencimento no momento da contratação. 

Taxas e Tarifas do Cartão MercadoLivre 

 A retirada de dinheiro à vista como crédito no valor de R$ 6,99, e parcelado entre R$ 15,00 e R$ 99,00; 

 A anuidade do cartão pode ser paga em 8 vezes de R$ 21,98, ou à vista, no valor de R$ 175,84; 

 A segunda via do cartão de crédito sai por R$ 20,00; 

 A tarifa para saquem em terminais 24 Horas é de até R$ 22,00; 

 A avaliação emergencial de crédito custa R$ 18,90, 

 E para o pagamento de compras é cobrado 1,99% sobre o valor do título pago. 

A avaliação emergencial de crédito é um recurso extra que o cliente utiliza quando faz compras acima do limite disponível no seu cartão. O cliente tem a opção de não contratar esse serviço. Nesse caso, se for feita alguma compra que ultrapassa o limite do cartão, ela será recusada. 

Como Consultar a Fatura do Cartão MercadoLivre? 
Quem quiser, pode acessar o site https://www.cetelem.com.br/cartoes e consultar a fatura do seu cartão MercadoLivre, bem como solicitar a segunda via também. 

Central de Atendimento Cartão MercadoLivre 

Caso o cliente precise resolver algo referente ao seu cartão, fazer alguma consulta ou pedir informações, pode entrar em contato na Central de Atendimento ao Cliente pelos telefones abaixo: 

 
• Capitais e regiões metropolitanas: 4004-7990  

• Para as demais localidades: 0800 704 1166 

• Por e-mail: sac@cetelem.com.br 

Quando comparamos o cartão MercadoLivre com vários outros disponíveis no mercado, percebemos que apresenta algumas desvantagens, como a questão da anuidade, por exemplo. Existem vários cartões que não cobram nada de anuidade para o cliente. Outro ponto negativo é no que se refere ao programa de pontos e recompensas. Até mesmo cartões sem anuidade está oferecendo esse benefício para os consumidores hoje em dia. Por isso, antes de solicitar um cartão, verifique quais as vantagens que ele oferece e o que ele não oferece também.