Qual a Diferença Entre Boleto e Fatura?

Qual a Diferença Entre Boleto e Fatura?

Dentre as formas de pagamentos existentes, existem algumas que costuma gerar dúvidas nas pessoas. Em geral, elas não sabem diferenciar uma da outra. É o caso, por exemplo, do boleto e da fatura. No post de hoje, daremos mais detalhes sobre cada uma delas. E tentaremos esclarecer as principais dúvidas. 

O Que é o Boleto Bancário? 

O boleto é um documento que a empresa que devemos emite para realizarmos o pagamento. Pode ser emitido pelo próprio site da empresa. O seu pagamento pode ser feito em casas lotéricas ou em agências bancárias. É por isso que o documento se chama boleto bancário. 

É uma maneira de facilitar o pagamento para as pessoas que não têm uma conta bancária, mas possuem uma agência bancária próxima à sua localização. Ou uma unidade lotérica. 

Através do código de barras, a empresa prestadora do serviço consegue identificar todos os detalhes da cobrança e do pagamento. Quando compramos algo e é gerado um boleto, o compra só é concluída após a emissão e pagamento do boleto. 

O prazo de pagamento de um boleto vem informado no corpo do boleto. Caso o pagamento não seja feito até a data marcada, o boleto vencerá. E será preciso emitir outro, com uma nova data de vencimento. 

Em alguns casos, é possível pagar o boleto após a data de vencimento. Mas, geralmente, isso só pode ser feito em um estabelecimento da instituição bancária que emitiu o documento, ou casa em casaslotéricas, pois será preciso calcular os juros e multas relativos aos dias de atraso. E quem calcula é um funcionário do banco, ou da casa lotérica. 

Mas é um lembrar que nem sempre isso é possível. Por isso, leia com bastante atenção todas as informações contidas no seu boleto e evite o pagamento de juros desnecessários. 

Os elementos de um boleto bancário são: 

 Banco: que é a instituição financeira que firma contrato com o cedente ou beneficiário, que se encarrega de cobrar. O banco, após receber o pagamento do pagador, credita na conta do beneficiário. 

• Sacado/Pagador: é quem realiza o pagamento do boleto. 

• Cedente/Beneficiário: é quem cobra. Quem recebe o valor cobrado. 

• Valor do documento: valor a pagar pelo sacado até a data de vencimento. 

• Código de barra: é a representação gráfica das informações do boleto que é lida pelo leitor habilitado. 

 Data de vencimento: é a data limite para que o pagamento seja realizado. 

O Que é EBANX? 

Trata-se de uma maneira de forma de pagamento que permite fazer compras pela internet, para que brasileiros possam comprar dos demais países e usar o boleto bancário para pagar. 

O Que é Uma Fatura? 

A fatura é um tipo de documento comercial que serve para cobrar por algum serviço ou produto. Pode ser usada como controle também. Um exemplo bem comum é o telefone. Na fatura, você consegue conferir todos os detalhes, como o consumo, os valores, data de vencimento. 

Quem emite a fatura é sempre a empresa prestadora do serviço. E ela vem acompanhada de um boleto bancário para pagamento. 

Todos os meses, a fatura é enviada para o endereço que o cliente informa. Caso não receba antes da data de pagamento, é necessário entrar em contato com a Central de Atendimento da empresa e informar que a fatura ainda não chegou. 

Existem duas formas para realizarmos o pagamento de uma fatura. Confira abaixo: 

• Pagamento total: em que se realiza o pagamento integral até a data de vencimento. 

• Pagamento parcial: paga-se apenas uma parte do valor devido. E o restante será cobrado no mês seguinte, com o acréscimo de juros. 

É muito importante manter os dados cadastrais sempre atualizados, principalmente o endereço, para que o boleto e a fatura cheguem corretamente para você.

Qual a Diferença Entre Títulos, Convênios e Boletos? Qual Escolher no Pagamento?

Qual a Diferença Entre Títulos, Convênios e Boletos? Qual Escolher no Pagamento?

Nos dias de hoje, os consumidores contam com uma enorme facilidade para pagar as contas. Com o uso da internet, ficou ainda mais fácil. É possível pagar as contas de casa, sem precisar ficar enfrentando filas e nem precisar levar dinheiro em espécie pelas ruas. 

Porém, no momento de escolher o que pagar, surge a dúvida. É o que acontece quando temos as opções de “Boletos” e “Títulos e Convênios”. É muito importante selecionar a opção correta para que o pagamento possa ser feito.  

Vejamos abaixo o que diferencia cada uma dessas modalidades: 

Boletos 

É comum a gente pensar que todas as contas que recebemos para pagar são boletos. Mas não é bem assim. 

Podemos definir o boleto como sendo as contas emitidas por um banco, que se referem à cobrança de serviços contratados e que uma instituição bancária faz a intermediação. Geralmente, refere-se a pagamento de mensalidades escolares, cartão de crédito, algum tipo de financiamento, e muitos outros. 

O boleto contém uma sequência de cinco campos, onde o código de barras é inserido. No penúltimo campo, é onde está um algarismo isolado. O código do boleto é composto de 47 caracteres. 

É comum que o pagamento desses boletos possa ser feito em qualquer banco. A data de vencimento já é pré-estabelecida e, caso o pagamento atrase, são cobrados juros e multa. 

Títulos e Convênios 

O pagamento de títulos e convênios também é feito por meio de um código de barras. Porém, o que diferencia um boleto dos títulos e convênios é que o primeiro é emitido por uma instituição financeira.  

Já os títulos e convênios pela própria concessionária do serviço, normalmente. Para quem não sabe, eles se referem às contas do mês que pagamos, como luz, água, gás, telefone e TV  a cabo. Ao contrário do que acontece com os boletos, se o pagamento dessas contas atrasar, os juros não serão cobrados imediatamente. Eles virão no próximo mês. 

Eles possuem quatro sequências de algarismos, sendo que o último é um dígito isolado, somando 48 caracteres ao todo. 

Para pagar, o consumidor também pode se dirigir a um banco conveniado ou a uma casa lotérica. Se desejar, também é possível pagar pelo internet banking, caixas eletrônicos ou aplicativos. 

Como vimos, embora sejam poucas, existem algumas diferenças entre boletos e títulos e convênios. Basta ficar atendo para saber diferenciar ambos. Se, no momento de realizar o pagamento, a pessoa selecionar a opção errada, não será possível quitar. 

Aproveite as facilidades que o internet banking oferece, e pague as suas contas sem sair de casa. Hoje em dia, essa opção tem crescido muito, pois as pessoas estão pensando cada vez mais na segurança. 

Cada banco possui um certo procedimento para que o cliente pague as suas contas. 

Para pagar as contas usando o código de barras, geralmente as pessoas se dirigem a um caixa eletrônico que tenha leitor infravermelho, ou podem abrir o aplicativo do celular ou ainda usarem o internet banking, como já dissemos. 

No menu inicial, aparecerão as opções e então deve-se escolher a “pagamentos”, para que a pessoa escolha a que deseja fazer. Nessa hora, ela seleciona “Boletos” ou “Títulos e Convênios”. 

Logo depois, deve-se aproximar o código de barras ao leitor ou na câmera do aparelho celular. Caso o código não seja lido, será preciso digitá-lo. Os dados relativos à cobrança aparecerão. Se estiverem corretos, é hora de confirmar e finalizar o pagamento. 

Seja no caixa eletrônico, no celular ou pela internet, o procedimento é basicamente o mesmo. Não existem muitas diferenças.  

Antes de finalizar, confira atentamente se todas as informações estão corretas.

Como Efetuar Cobranças Internacionais

Como Efetuar Cobranças Internacionais

Tanto no Brasil como em muitos outros países, os bancos desenvolvem um papel de extrema importância quando se trata de comércio exterior. Sempre que alguma transação envolvendo pagamento ou então recebimento em moeda estrangeira, deve sofrer a intervenção do que é chamado de banco autorizado. Aqui no Brasil, o Banco Central é a autoridade monetária responsável por expedir autorização aos bancos. 

O banco autorizado atuará como o intermediário da transação. Ele ficará responsável por enviar ou por receber dinheiro de dívidas estrangeiras.  

As moedas estrangeiras não serão recebidas em espécie. Ao contrário, os bancos realizarão entre si a troca de moeda escritural, por meio dos créditos e dos débitos feitos nas contas de depósito. Isso poderá ser feito desde que as instituições mantenham entre si contas para depósitos com os correspondentes no exterior. Dessa forma, é possível ter mais agilidade em transações que realizar com o exterior. 

As contas mantidas no exterior são chamadas de nostro account e as contas que os bancos estrangeiros possuem aqui no Brasil são chamadas de vostro account. 

Cobrança Documentária 

Os bancos, além de atuarem na troca de moedas escriturais, também atuam na cobrança de faturas, seja à vista ou à prazo. A esse tipo de pagamento, dá-se o nome de Cobrança Documentária.  

Essa cobrança documentária é um tipo de operação internacional que se caracteriza pelo manuseio, pela conferência, pela remessa e também pela entrega de documentos de exportação. 

Para isso, é necessário o aceite no saque, de forma que a dívida seja reconhecida, no caso de cobrança a prazo, ou o pagamento, para cobrança à vista. Tudo deverá ser conduzido através do intermédio de bancos intervenientes. 

Na Cobrança Documentária, o banco desenvolve o papel de administrar os trâmites documentais que acontecerão entre exportador e importador. Esses trâmites iniciam assim que ambas as partes fecham o negócio e o exportador segue com o embarque da mercadoria.  

Quem emite o saque, que é a letra de câmbio, é o exportador. É um documento emitido contra o importador. Ele dá ao vendedor o direito de receber à dívida ocasionada pela venda. 

Após o embarque da carga, é preciso emitir alguns documentos, como a fatura comercial, packinglist, o conhecimento de embarque, o certificado de origem e também outros documentos. Tudo deverá ser entregue ao banco da pessoa exportadora. O banco, por sua vez, irá conferir a documentação, e depois enviar para o interveniente bancário situado no país de quem está importando. 

Se a operação for à prazo, depois de recebida a documentação, o banco situado no país do importador deverá informá-lo que os documentos estão disponíveis. Para isso, no entanto, será preciso fazer um reconhecimento da dívida, com a assinatura do Saque. 

Depois disso, o importador receberá a documentação e poderão dar início aos trâmites aduaneiros no país do importador. 

No caso de pagamento à vista, o importador deve pagar o valor que consta na fatura comercial, e poderá retirar os documentos originais. Depois de feito o pagamento, o banco deverá enviar o dinheiro para o exportador. Com isso, estará finalizada a operação financeira internacional. 

Uma coisa deve ficar bem clara: ainda que os bancos intervenientes atuem como cobradores, eles não possuem nenhuma obrigação pelo recebimento da operação. A eles, não cabe qualquer responsabilidade pela transação financeira e também não atuam como avalistas da transação acordada entre as partes. Além de também não oferecerem nenhuma garantia quanto a forma de pagamento definida entre o exportador e o importador. 

Ao realizar uma transação via Cobrança Documentária, ambas as partes precisam conhecer bem quais as vantagens e quais os riscos associados, para evitar problemas futuros. Para o exportador, não há nenhuma garantia de recebimento da mercadoria embarcada, pois o comprador, no caso o importador, poderá não comparecer e assim, não reconhecerá a dívida.

Como Efetuar Pagamentos Internacionais

Como Efetuar Pagamentos Internacionais 

Quando o assunto é dinheiro, pagamento, a gente precisa tomar todo o cuidado possível, e ter toda a atenção possível. E caso se trate de comércio internacional, o cuidado e a atenção precisam ser ainda mais intensificados.  

Para reduzir os riscos de uma transação internacional tanto para o importador, quanto para o exportador, foram desenvolvidas algumas formas de pagamento que ajudam muito nesse tipo de operação. 

Confira abaixo as principais formas de pagamento usadas no comércio internacional: 

• Remessa sem saque: nessa opção, o exportador fornece ao importador, diretamente, documentos de embarque, sem o saque; O importador, por sua vez, procede com a liberação da mercadoria na alfândega e envia a remessa do valor para o exportador. Porém, para quem está exportando, os riscos de inadimplência são grandes, uma vez que ele não possui nenhum título de crédito que lhe garanta o direito protestar e entrar na justiça contra o importador. Para o caso de não haver nenhum problema entre ambas as partes, eles terão como vantagens a isenção ou ao menos a diminuição das despesas bancárias e também terão mais agilidade no processo de tramitação de documentos. 

• Cobrança documentária: essa forma de pagamento se caracteriza pelo manuseio de documentos através dos bancos, que funcionam simplesmente como cobradores internacionais de determinada transação de exportação, em que a responsabilidade pelo fechamento do negócio é do exportador e do importador, não tendo esses a responsabilidade sobre a cobrança documentária. O processo funciona da seguinte forma: o exportador segue com o embarque da mercadoria e depois remete a documentação para o banco, que envia para outro banco, que seja na praça do importador, de forma que possam ser apresentados para cobrança à vista ou à prazo. O importador precisará apresentar os documentos para cobrança para que possa desembaraçar a mercadoria na alfândega. 

• Pagamento antecipado: nesse caso, o importador enviará o valor da transação previamente. Em seguida, o exportador prosseguirá com o envio da mercadoria e da documentação. Nesse caso, o exportador precisa providenciar o contrato de câmbio junto ao banco antes de enviar a mercadoria. Será por meio desse banco que ele receberá reais trocados pela moeda estrangeira. A conversão do valor será definida pela taxa de câmbio que estiver vigorando no dia. Nesse tipo de pagamento, o importador não tem segurança, pois ele fica dependendo do exportador. 

• Carta de crédito: ou crédito documentário, como também é conhecida, é a forma mais comum de pagamento no comércio internacional, pois é uma das formas de pagamento que mais fornece garantia para o exportador e para o importador. Quem emite a carta de crédito é um banco, chamado de banco emitente, a pedido do cliente, que é chamado de o tomador do crédito. Conforme as orientações, o banco fica comprometido a realizar o pagamento a um terceiro, que é o beneficiário, mediante a apresentação de documentos pré-definidos. Mas é preciso que as condições e os termos do crédito sejam cumpridos. 

A decisão da forma de pagamento é tomada após o acordo entre o importador e o exportador. A confiança entre as partes é um fator determinante nesse momento, assim como as possibilidades que ambas as partes possuem de linhas de financiamento e também da exigência do país importador. 

Antes de importar qualquer tipo de mercadoria, é preciso conhecer bem como funcionam as formas de pagamento e todos os trâmites que envolvem a transação. 

Tanto as micro quanto as pequenas empresas enfrentam muitos desafios quando se trata de comércio internacional. Por isso, é muito importante escolher de forma consciente a modalidade de pagamento. Assim, tanto o exportador quanto o importador terão mais tranquilidade no momento de realizarem as suas transações.

Pagseguro x MercadoPago x MoIP – Qual o Melhor e Mais Barato?

Mesmo com o crescimento das compras online, ainda percebemos que muita gente ainda tem um certo medo. E não é para menos. Afinal de contas, a gente vê as pessoas cometendo todo tipo de fraude por aí. 

Mas a maioria das pessoas já aderiram a essa nova modalidade de compras e garantem que os benefícios são muitos. Dentre esses benefícios, podemos citar: 

  • Comodidade: esse, sem dúvida, é um dos benefícios que mais atrai as pessoas. Muita gente não tem tempo de ir a uma loja com frequência. Com a internet, podemos compras todo tipo de produto e serviço sem precisar sair de casa.
  • Preços: os preços encontrados na internet são bem mais atrativos do que os preços praticados nas lojas. Isso acontece pelo fato de não haver custo com o salário do vendedor e aluguel de loja, por exemplo.
  • Parcelamento: ao contrário de muitas lojas, quando compramos pela internet, podemos dividir as compras em muitas vezes sem juros. 
  • Privacidade: podemos comprar produtos pessoais com toda a privacidade, como remédios íntimos, por exemplo.
  • Opiniões de vários usuários: ainda podemos contar com a opinião de vários usuários sobre os serviços e produtos oferecidos pelas empresas.

E as vantagens não param por aí. Assim como o consumidor, o empresário também é muito favorecido com o mercado eletrônico. E a principal vantagem para ele é a maior visibilidade que o seu negócio passa a ter quando adere às vendas pela internet.  

Formas de Recebimento 

O empresário que deseja aumentar as suas possibilidades de recebimento precisa ficar atento a alguns detalhes: menor custo, suporte de qualidade, e um serviço que atenda bem às suas necessidades. 

O mercado, hoje em dia, dispõe de inúmeras possibilidades, como é o caso do Pagseguro, do MercadoPago e do MoIP, por exemplo. Na hora de decidir por qual optar, surge a dúvida sobre o mais viável financeiramente e que atenda melhor às necessidades do negócio. Para ajudar, vamos explicar, de forma mais detalhada, como funciona cada uma dessas formas de recebimento.  

  • Pagseguro: a responsabilidade sobre o Pagseguro é da UOL. Quem o utiliza conta com boas taxas, conforme abaixo:

-Tarifa de parcelamento: 1,99% ao mês, cobrada do comprador ou do vendedor. 

-Tarifa do cartão de crédito: 6,4% + R$ 0,40. 

-Demais tarifas: 2,9% + R$ 0,40. 

-Cobrança por formulário HTML ou por e-mail. 

Suas funções ainda estão na fase inicial, mas já é muito usada por aí. 

O Pagueseguo é mais indicado para as pessoas que usam os serviços do TodaOferta da UOL, que é um site de vendas pela internet. Ela é boa para quem procura uma interface simples e com os custos mais baixos. 

Vantagens: possui uma interface fácil de usar, o que proporciona mais conforto e segurança para o usuário. É capaz de enviar os dados completos na notificação do pagamento. 

Desvantagens: a cobrança pode ser feita somente brasileiros e não conta com a cobrança recorrente, que pode ser agendada. Por causa da política de segurança ao usuário do site, o saque poderá ser efetivado somente após 14 dias depois que o pagamento for feito. Quanto ao suporte técnico, ele não também não é muito eficiente. 

  • MercadoPago: considerado o pioneiro em serviços de pagamento online. 

-Tarifa do cartão de crédito: 2,99% para boleto bancário, TEF do Banco do Brasil e Itaú Shopline. 

-Tarifa de parcelamento: iguais às tarifas do cartão de crédito. 

-Demais tarifas: 2,99% para boleto bancário, TEF Banco do Brasil e Itaú Shopline. 

-Cobrança por e-mail ou por formulário HTML. 

É mais indicado para quem usa o MercadoLivre, pois é caro e limitado para alguém que não esteja nesse mercado. 

Vantagens: custo menores e também é a única forma de pagamento usada oficialmente para produtos do MercadoLivre. 

Desvantagens: alto custo e conta com um interfafe mais limitada, sem priorizar a facilidade para comprador e para o vendedor. 

  • MoIP: algumas pessoas consideram esse como o melhor do mercado.

-Tarifa de parcelamento: 1,99% ao mês, cobrada do comprador ou do vendedor. 

-Tarifa do cartão de crédito: 7,4% + R$ 0,39. 

-Demais tarifas: 2,9% + R$ 0,39. 

-Cobrança por e-mail, formulário HTML ou API.  

Vantagens: flexibilidade de cobrança, e também do ambiente permitem uma interação maior com o seu website e com sua loja. É uma boa opção para pessoas que precisam de pagamento recorrentes. 

Desvantagens: a cobrança só pode ser feita por brasileiros. A Há controvérsias sobre a segurança do programa, o atendimento é lento e possui uma interface um tanto complicada. A aprovação do pagamento feito por cartão pode demorar um pouco e o saque só pode ser feito 14 dias após o pagamento. 

Como Pagar Um Boleto Atrasado? Gerar Um Novo ou Acrescentar Juros

Muita gente ainda recebe boletos bancários para pagamento. Embora a grande maioria coloque-os no débito automático, para facilitar a vida e evitar o esquecimento, a grande maioria das pessoas ainda não usam essa enorme facilidade. E o que costuma acontecer com muita frequência é a pessoa se esquecer de pagar o boleto e ele vencer. Em alguns casos, o consumidor precisa priorizar o pagamento de uma conta em detrimento de outra, pois o salário não seu para pagar todas as contas. Ou ainda, o boleto pode ter vencido por simples falta de planejamento da pessoa. 

Daí, não adianta tentar pagar o boleto de qualquer forma, nem ir à uma agência bancária.  

Normalmente, costumam vir várias informações no boleto sobre o pagamento fora da data de vencimento. Em alguns casos, o pagamento só poderá ser feito em uma agência do banco emissor do boleto. Em outros casos, o pagamento poderá ser feito em qualquer banco, ou em um certo grupo de bancos. 

A grande maioria dos boletos, quando emitidos por prestadores de serviço, podem ser pagos a qualquer momento, pois os encargos e multas devido ao atraso, serão cobrados na fatura do próximo mês. Nesses casos, não há a necessidade nem de emitir um novo boleto. 

Porém, atrasar um boleto não é uma boa alternativa. Pagando em dia, você evita a incidência de multa e não paga mais pelo serviço prestado. 

Em contrapartida, existem alguns boletos que só podem ser pagos até o vencimento. Após essa data, será preciso atualizá-lo. E esse procedimento pode ser feito pelo próprio cliente, através do site da empresa que emitiu o boleto. 

Como Atualizar Um Boleto Atrasado? 

A atualização do boleto facilita muito a vida do consumidor que não precisa se dirigir até a loja para solicitar um novo boleto, ou pedir por telefone e aguardar a entrega pelos Correios. 

Com o uso da internet, a atualização do boleto se tornou algo muito mais prático. Esse serviço nos permite atualizarmos a data de vencimento e os novos valores, já acrescidos de multas e encargos. 

Para dar sequência à atualização, o cliente deve acessar o site da empresa que emitiu o boleto, informar a representação numérica do código de barra, ou Agência/Código Cedente, conforme solicitar. Em seguida, um novo boleto surgirá na tela e você terá os dados atualizados para pagamento. 

Mas isso só é possível se a pessoa tiver o boleto em mãos. Caso não tenha, será precisa entrar em contato com a empresa e solicitar os dados necessários para a emissão do boleto. 

Atualizar Um Boleto Pode Sair Mais Caro 

Para os microempreendedores individuais, ou pequenos empresários, que estão pensando em trabalhar com boleto bancário em seu estabelecimento, devem atentar para esse fato. 

A Febraban, ou Federação Nacional dos Bancos, implantou algumas novas regras de emissão de boletos que ajuda e estimular a utilização do boleto registrado. Porém, sai mais caro, devido ao maior número de taxas que poderão ser cobradas. Confira abaixo quais são essas taxas:
Custódia: é permitido ao banco cobrar uma tarifa adicional pela presença do boleto aberto no sistema; 

  • Liquidação: quando o boleto é liquidado, o banco cobra mais um valor;
  • Registro: esse valor será cobrado assim que o boleto for emitido e der entrada no sistema. Ainda que ele não seja pago, haverá a cobrança da taxa,
  • Pedido de alteração de dados: se for preciso alterar algo no boleto ou atualizá-lo, o banco poderá cobrar mais uma tarifa.

Aqueles que não contam com um orçamento grande, poderão ser prejudicados. Mas somente no caso de boleto registrado. 

O Que é Pagamento Em Espécie? Vale a Pena?

O termo “pagamento em espécie” é muito usado em relações comerciais. No entanto, algumas pessoas ainda não sabem o que significa. Ainda mais hoje em dia, em que o mais comum é o uso de cartão de crédito, transferências bancárias, DOTZ, cartões de débito, cheque especial e até cartão pré-pago para o pagamento de compras. Com tantas alternativas de pagamento, o pagamento em espécie está cada vez mais em desuso. Principalmente como uma forma de garantir a segurança das pessoas. 

Mas, enfim, o que é o pagamento em espécie? 

O pagamento em espécie significa que o pagamento será feito em dinheiro físico, ou em moeda local do país, sem não com outros meios de pagamento, como cartões ou transferências, por exemplo. 

Porém, esse tipo de pagamento não é muito seguro. Especialmente se os valores são muito altos. Em geral, ninguém deve andar pelas ruas levando consigo altas quantias em dinheiro. 

O Pagamento em Espécie Vale a Pena? 

Algumas lojas costumam oferecer descontos para os clientes que pagarem as suas compras pagas e “dinheiro vivo”. Em alguns países, essa prática não é ilegal. Em outros, porém, consideram ilegal oferecer preços diferentes para pagamentos em dinheiro ou de outra forma. No Brasil, essa prática é legal. 

Para saber se é mais vantajoso pagar as compras em dinheiro em espécie ou não, é preciso colocar tudo na ponta do lápis. Confira abaixo o que é preciso analisar sobre as vantagens para o cliente e para o lojista na hora do pagamento: 

  • Todo cliente gosta de desconto: em um mercado de crescente competitividade, cativar o cliente é uma luta diária. E os descontos são um diferencial nessa hora. Se o cliente gostar do desconto oferecido, ele certamente voltará ao seu estabelecimento.
  • Sem incidência de taxas: para os lojistas, ao aceitar um pagamento em espécie, ele está isento das tarifas pelo uso da máquina de cartão de crédito. E, para os clientes, pode ser uma boa oportunidade de encontrar preços mais atrativos.
  • Assaltos: quanto mais dinheiro o lojista tiver em caixa, maior será o número de assaltos. E quanto aos clientes, andar com dinheiro em espécie é muito perigoso também, uma vez que a criminalidade está aumentando de forma assustadora. Dependendo do valor do produto que irá comprar, o mais indicado é optar pelo cartão mesmo. Assim, você perde o desconto, mas não corre o risco de ficar sem dinheiro e sem o produto.
  • Os clientes que não possuem o dinheiro em espécie podem ficar insatisfeitos: pode acontecer de o cliente não dispor de dinheiro em espécie para comprar o produto. Assim, ele ficará insatisfeito pelo fato de precisar pagar mais pelo produto.
  • Clientes gastam mais quando usam o cartão do que quando usam dinheiro em espécie: e já existem vários estudos que comprovam essa teoria. Ao usar o cartão, o cliente não costuma ter um controle muito rígido das suas finanças. O que não acontece quando ele usa o dinheiro vivo.
  • O desconto pode ser um fator determinante para o cliente comprar o produto: se o cliente considera o valor do produto um tanto elevado, ele pensará duas vezes antes de comprar. No entanto, quando esse produto está com um belo desconto ele, certamente, não pensará duas vezes para fechar a compra, para não perder aquela oportunidade.

É sempre bom analisar todas as alternativas antes de comprar algo. Em primeiro lugar, é importante verificar se você realmente precisa daquele produto, ou se está comprando apenas para aproveitar o desconto. Também não é indicado “limpar” as suas economias somente para aproveitar um desconto. Se tem a oportunidade de usar o cartão de crédito, e se o aumento não é tão significativo, vale a pena parcelar e aproveitar essa facilidade que o dinheiro de plástico nos oferece. 

Como Pagar Um Boleto no Caixa Eletrônico

Todos os meses recebemos uma série de contas para pagar. Geralmente, as recebemos como um boleto bancário, que podemos pagar em vários locais, como em casas lotéricas, internet banking, débito automático e até mesmo nos caixas eletrônicos. 

A forma mais comum de as pessoas pagarem um boleto é em casas lotéricas. Depois nos caixas eletrônicos. A questão é que, embora o uso dos caixas esteja já bem avançado, muita gente ainda tem receio de usá-los para esse fim. Acontece que algumas pessoas ainda não estão muito familiarizadas com a tecnologia, e não sabem bem como usar essa ferramenta. 

Para ajudar, fizemos um passo a passo de como pagar um boleto no caixa eletrônico. Acompanhe abaixo: 

  • Para que o pagamento possa ser feito, é preciso que a pessoa tenha uma conta bancária, pode ser uma conta corrente ou poupança, pois o valor será debitado diretamente da conta;
  • Em seguida, insira o cartão no local indicado no caixa;
  • Selecione a opção de “Pagamentos”;
  • Indique o tipo de documento que deseja pagar, se é um boleto de cartão de crédito, se uma conta de água, luz, telefone ou gás, e etc.
  • Em alguns casos, pode ser preciso informar o tipo de conta, se é conta corrente ou poupança;
  • Em seguida, posicione o código de barras no leitor;
  • Após aparecerem na tela as informações sobre o boleto que está pagando, como o banco emissor, o valor a pagar, e etc., você informa a data de pagamento;
  • Informe a sua senha e confirme a transação;
  • Aguarde o comprovante de pagamento,
  • Finalize o pagamento e o seu acesso corretamente, para evitar que alguém veja os seus dados.

Podemos pagar a maioria das contas em caixas eletrônicos, desde que o boleto não esteja vencido. 

Cuidados Para Evitar a Fraude no Boleto Bancário 

O consumidor está cada vez mais a mercê de marginais. Até mesmo os boletos bancários são alvos fraudes e falsificações. Para te ajudar a reduzir o risco de ser pego em golpes de boletos bancários, separamos algumas dicas de segurança. Acompanhe abaixo: 

  • Quando o código de barras é adulterado, pode ser um sinal de uma fraude. Na hora em que o pagamento for feito, ao invés de a pessoa estar pagando a sua conta, ela está, na verdade, pagando um boleto falso, e o dinheiro vai para bandidos. Isso acontece, geralmente, com os boletos que recebemos pelos Correios. Os bandidos roubam as correspondências e copiam os dados do mesmo. É muito difícil notar alguma diferença. Por isso, pague sempre os boletos no celular, na internet ou no caixa eletrônico. Pois, por esses meios de pagamento, você visualiza na hora os dados de quem receberá o pagamento.
  • Verifique se os 3 primeiros números referem-se ao banco mencionado. Acesse o site do Febraban e confira os códigos de todos os bancos.
  • Verifique a qualidade do boleto. Normalmente, os boletos falsos são impressos de maneira amadora, com borrões, formatação fora do padrão, erros de português, e etc.
  • Verifique também o valor do boleto, se o mesmo é compatível com os seus gastos.
  • Sempre que possível, dê preferência ao débito automático para pagar as suas contas. Dessa forma, você já elimina o risco de receber um boleto falso.
  • Se duvidar da autenticidade do boleto, entre no site da empresa para a qual o pagamento será feito e reemita o boleto.
  • Tenha muito cuidado quando receber um boleto por e-mail. Confira se o e-mail do banco está correto e não abra links recebidos. Geralmente, os bancos enviam os boletos no formato PDF. 

Existem muitas formas diferentes de fraudes. E precisamos estar sempre atentos e procurar agir na frente dos bandidos.

Como Pagar Netflix: Cartão, Débito, ou Conta Bancária

Hoje em dia, a Netflix já é a mais popular das plataformas para as pessoas assistirem à filmes e às séries online. No post de hoje, daremos mais detalhes sobre como funciona o período de teste para quem deseja experimentar, as formas de pagamento, como começa a ser cobrada e o que fazer para cancelar. 

Trinta Dias Grátis na Netflix 

Netflix oferece 3 opções de planos diferentes, que são o Básico, o Padrão e o Premium. Confira abaixo as características de cada um dos planos: 

Plano Básico: 

• Valor: 19,90 por mês; 

• Permite acesso a filmes e séries ilimitados, com qualidade HD;  

 Uma tela simultânea pelo notebook, tablet ou TV Smartphone, 

 E a possibilidade de o usuário cancelar a sua assinatura a qualquer momento. 

Plano Padrão 

• Valor: 27,90 por mês; 

• Duas telas simultâneas, que podem ser notebook, tablet ou TV Smartphone; 

• O usuário também pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento, 

• Permite o acesso a filmes e a sérias ilimitados em qualidade HD. 

Plano Premium 

• Valor: 37,90 por mês; 

• Quatro telas simultâneas, pelo notebook, tablet ou TV Smartphone; 

• O usuário pode cancelar a sua assinatura a qualquer momento, 

• Permite acesso a filmes e séries ilimitados em qualidade Full HD, HD e 4K. 

As pessoas que desejam testar a Netflix, podem assinar e assistir à vontade no período de 30 dias totalmente grátis. Nesse período, o usuário terá acesso à todos os filmes, desenhos e séries disponíveis para o pacote que contratar. Esse período de graça, porém, poderá usado apenas uma vez. Caso o usuário cancele a sua assinatura no decorrer do primeiro mês ou após o período grátis, não terá mais direito ao período de graça, caso queira se cadastrar novamente na plataforma. 

Para assinar, basta acessar o site https://www.netflix.com.br/ e clicar em “Assista Um Mês Grátis”, escolher o plano que deseja e clicar novamente em “Continuar”. Depois, é só inserir os dados pessoais e escolher a forma de pagamento. Após ter se cadastrado, é só baixar o aplicativo no Android ou iOS (iPhone e Ipad), assistir pelo site https://www.netflix.com.br/ ou fazer o login no aplicativo da SmartTV. 

Quando Começo a Pagar? 

Após os dias grátis, o usuário passará a pagar pelo plano escolhido. A Netflix aceite três formas de pagamento, que são cartão d crédito, cartão de débito ou pagamento com boleto via PayPal 

Se optar pelo cartão de crédito, será preciso cadastrá-lo no momento da criação da assinatura. A partir do segundo mês é que começará a ser cobrado. 

Agora, se optar pelas outras duas formas de pagamento, não é preciso inserir nenhum número de cartão no site. 

Vantagens Em Assinar a Netflix 

Confira abaixo as principais vantagens que a Netflix oferece: 

• O novo usuário tem direito a 30 dias grátis para testar a plataforma; 

• Pode assistir a filmes e séries 24 horas por dia; 

• São milhares de filmes e de séries em seu catálogo, incluindo conteúdos originais de alta qualidade; 

• O aplicativo é gratuito. O usuário pode assistir online de qualquer aparelho que tenha acesso à internet; 

• Conforme o plano escolhido, o usuário pode ter acesso a até 4 aparelhos simultaneamente; 

• A cobrança é feita mensalmente, através da forma de pagamento que o usuário escolher; 

• Nenhum dos 3 planos disponíveis possui fidelidade. O usuário pode cancelar a qualquer momento sem nenhum problema; 

• Acesso a filmes e séries em HD, Full HD e 4K, conforme o plano escolhido, 

• Não tem comerciais. E o usuário ainda pode pausar a cena, retroceder, avançar e assistir quantas vezes desejar. 

Como Cancelar a Netflix? 

O cancelamento também é bem simples. Basta acessar a sua conta e clicar na opção de cancelar a assinatura. 

Como Pagar IPVA Atrasado ou Vencido do Carro

Como Pagar IPVA Atrasado ou Vencido do Carro

O IPVA, ou Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores, é uma obrigação de todas as pessoas que possuem um veículo automotor no início do ano fiscal no Brasil. É um imposto estadual, ou seja, o seu valor final varia de um estado para outro e de acordo com cada veículo. O valor arrecadado é dividido entre o Estado, a FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) e o município onde o veículo está registrado. 

Pagamento do IPVA 

O pagamento do IPVA pode ser feito à vista ou parcelado. Lembrando que, se for pago à vista o condutor tem desconto. Porém, algumas pessoas, por algum motivo, deixam as datas de vencimento passarem e acabam tendo que efetuar o pagamento em atraso. E isso gera alguns juros. 

Como Pagar o IPVA Atrasado ou Vencido? 

Quem não pagou o IPVA até a data de vencimento, precisa imprimir a guia acessando o site do DETRAN do seu Estado. A guia já será emitida com os valores devidamente atualizados. Mas é importante pagar no mesmo dia que for impressa. Se deixar para o dia seguinte, o valor já não será o mesmo, pois mais juros serão acrescidos a cada dia de atraso. O pagamento pode ser feito nas casas lotéricas ou no banco emissor do boleto. Se o condutor tiver conta no banco emissor do boleto, pode usar o internet banking para efetuar o pagamento. 

Se o IPVA for pago à vista, o contribuinte tem direito a um desconto. Tem também a opção de parcelar o seu valor em até 3 vezes, desde que esteja dentro do prazo. Nesse caso, não há desconto. Mas também não há acréscimo de juros. Terá juros somente se for pago após o vencimento. O IPVA vencido ou atrasado não permite desconto. 

De Quanto é a Multa Em Pagar o IPVA Vencido ou Atrasado? 

Quem deixar o IPVA vencer pagará uma multa de mora de 20% sobre o valor original, e ainda o acréscimo de 1% em cada mês de atraso. Não é possível negociar sobre esses percentuais. 

O Que Acontece Se Eu Dirigir Com o IPVA Vencido ou Atrasado? 

O licenciamento do seu veículo será possível apenas após o pagamento do IPVA. A pessoa que é pega com licenciamento irregular pode ter o seu veículo apreendido pela polícia. Nesse caso, os gastos serão ainda maiores. O contribuinte que tem o carro apreendido precisa pagar o IPVA atrasado, as multas, os juros de mora e ainda os gastos relativos a todos os dias em que o seu veículo permaneceu parado no pátio do Detran. Se o contribuinte não tiver como quitar essas dívidas, então, o seu carro será levado a leilão.  

Além do mais, o contribuinte que está com os impostos do veículo atrasados não pode transferi-lo para terceiros. E pode, ainda, ser inscrito na Dívida Ativa, o que significa ter o seu nome e o valor da dívida cadastrados no governo, onde constam as informações de pessoas em débito. Se isso acontecer, o contribuinte enfrentará ainda mais problemas para transferir o seu veículo, além de essa situação também dificultar o acesso ao crédito. 

O ideal mesmo para quem está com problemas para quitar o seu IPVA, é não usar o veículo e procurar uma alternativa o mais breve possível para regularizar a situação. Todos nós sabemos que no início do ano todos nós já temos muitas contas a pagar, além do imposto do veículo. Por isso, é sempre bom fazer um planejamento anual para evitar problemas quando PAgar o dia de pagar o IPVA. 

Uma informação importante é que pessoas deficientes não precisam pagar o IPVA. Mas é necessário passar antes por um médico do SUS para avaliação.