Como Consultar Todas Suas Dívidas e Financiamentos? Registrato

Como Consultar Todas Suas Dívidas e Financiamentos? Registrato 

O Registro de Informações do Banco Central, ou Registrato, como é mais conhecido, é um sistema onde o cidadão pode consultar dois tipos de informações: o SCR (Sistema de Informações de Crédito), onde é possível verificar todo o histórico de relacionamento do cidadão com os bancos e instituições bancárias e ainda como anda a situação de alguma dívida ou financiamento que o cliente tenha naquele momento. A outra informação que o cidadão também consegue verificar no Registrato é o CCS (Cadastro de Clientes no Sistema Financeiro), onde é possível verificar sobre os relacionamentos que o consumidor tem com bancos, como as questões de empréstimos, de contas (corrente e poupança). 

As informações constantes no Registrato só podem ser consultadas pelo próprio cliente. Ele foi criado e é gerido pelo Banco Central, com a intenção de facilitar para o consumidor o acesso, de maneira bem segura, rápida e prática, à relatórios sobre o seu relacionamento com o mercado de crédito. 

É muito importante lembrar que, apesar de os relatórios exibidos no Registrato serem produzidos pelo Banco Central do Brasil, as informações contidas neles são de responsabilidade dos bancos e das instituições financeiras. 

Como Funciona o Registrato? 

Registrato é disponibiliza informações sobre o cadastro do consumidor no sistema financeiro, e dá detalhes do relacionamento com os bancos, mostrando se a pessoa possui alguma dívida com o banco ou com a instituição financeira, como empréstimos e financiamentos, se possível conta corrente ou poupança, e etc. 

O principal objetivo desse sistema é permitir que o consumidor tenha acesso a todas as operações feitas dentro do sistema de créditos e do sistema financeiro, de forma que fique mais fácil gerir as finanças pessoais, além de também dar ao consumidor a oportunidade de analisar melhor o risco de crédito. 

As Informações Contidas nos Relatórios São Atuais? 

Nem sempre. Ao acessar o Registrato, algumas informações mais recentes podem não constar nos relatórios. Isso acontece porque pode haver uma demora no envio dos dados por parte dos bancos e das instituições financeiras. Por isso, após o credenciamento, o consumidor pode realizar consultas periodicamente, para manter-se atualizado quanto às suas informações. 

As informações presentes nos relatórios do Registrato podem ser vantajosas ou não para o consumidor. Se ele tiver crédito com alguma instituição, isso será uma vantagem apresentada. Agora, se ele tem dívidas, faturas de cartões atrasadas, pagamentos de empréstimos e financiamentos em atraso, será desvantagem. 

É Preciso Pagar Algum Valor Para Acessar o Registrato? 

Para poder acessar o Registrato, o consumidor não precisa pagar nenhum valor. Basta apenas acessar a página do Banco Central do Brasil, e depois procurar pela opção de “Registrato”. Quando acessar pela primeira vez, o site irá fornecer todas as informações necessárias para que o consumidor consiga se credenciar à página. 

Pessoa Jurídica Também Pode Acessar o Registrato? 

Sim. Até mesmo as empresas podem ter acesso ao Registrato e aos relatórios que ele disponibiliza. Para isso, é preciso que o representante legal faça o seu credenciamento online, ou mesmo por meio de correspondência para que possa receber a senha que dará acesso ao sistema. 

Muitas pessoas não têm controle e acabam se esquecendo de alguns compromissos importantes da sua vida financeira. Com o Registrato, ele pode ter um controle bem mais fiel do seu relacionamento com as instituições financeiras e conseguir organizar melhor as suas finanças pessoais. Como não há cobrança de nenhuma tarifa, o consumidor pode consultar os seus relatórios sempre que desejar, e ir acompanhando a cada atualização feita. 

Empresas Podem Consultar as Informações Contidas no Registrato de Consumidores? 

Se a empresa precisar consultar os dados de algum consumidor, ela precisará de prévia autorização do mesmo. Por isso, é muito importante ler com bastante atenção tudo o que estiver em um contrato antes de assinar. 

O Que é FINAME? Como Conseguir o Financiamento

Muita gente ainda não conhece o FINAME. No post de hoje, daremos mais detalhes do que é e de como ele funciona. 

FINAME, na verdade, é um financiamento concedido pelo BNDES, através de instituições financeiras habilitadas para produzir e adquirir novos equipamentos novos para as empresas credenciadas ao BNDES. Equipamentos esses que precisam ser nacionais.  

Veja como se divide o produto financeiro do BNDES FINAME: 

-Linha de financiamento que servem para atender, especificamente, demandas de vários perfis de clientes, levando em consideração os itens cabíveis de financiamento e a empresa beneficiária. Confira abaixo as linhas de financiamento do BNDES, de acordo com informações do próprio site: 

  • Micro, Pequenas e Médias Empresas – Aquisição de Ônibus e Caminhões (MPME Ônibus e Caminhões) – Apoio à aquisição de ônibus e caminhões, para micro, pequenas e médias empresas, e para transportadores autônomos de cargas;
  • Bens de Capital – Comercialização – Aquisição de Ônibus e Caminhões (BK Aquisição Ônibus e Caminhões) – Apoio à aquisição de ônibus e caminhões, para média-grandes e grandes empresas;
  • Micro, Pequenas e Médias Empresas – Aquisição de Bens de Capital (MPME BK) – Apoio à aquisição de maquinas e equipamentos nacionais novos, exceto ônibus e caminhões, para micro, pequenas e médias empresas;
  • Bens de Capital – Concorrência Internacional (BK Concorrência Internacional) – Apoio à aquisição e produção de máquinas e equipamentos, exceto ônibus e caminhões, que demandem condições de financiamento compatíveis com as ofertadas para congêneres estrangeiros em concorrências internacionais;
  • Bens de Capital – Produção de Bens de Capital (BK Produção) – Apoio à produção de máquinas e equipamentos fixos, para empresas de qualquer porte,
  • Bens de Capital – Comercialização – Aquisição de Bens de Capital (BK Aquisição) – Apoio à aquisição de maquinas e equipamentos nacionais novos, exceto ônibus e caminhões, para média-grandes e grandes empresas.

Como Conseguir o Financiamento? 

As sociedades nacionais e estrangeiras podem solicitar o FINAME, desde que as orientações sejam respeitadas. Também é preciso que tenham sede e administração aqui no Brasil, pessoas jurídicas de direito público, empresários individuais que forem inscritos nos Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas, ou CNPJ, e também no Registro Público de Empresas Mercantis, transportadores autônomos de carga que sejam residentes e domiciliados aqui no Brasil, para a compra de caminhões e coisas do tipo, além de outros equipamentos adaptáveis como a chassis, como é o caso de guindastes, plataformas, tanques nacionais e também associações, como cooperativas, associações, condomínios, sindicados e clubes. 

Ao todo, são três as modalidades de apoio do FINAME, cada qual relacionada a uma etapa do processo de produção ou venda do produto. 

  • Modalidade 1 (Financiamento à compradora): nessa modalidade, estão os recursos destinados à aquisição de máquinas e de equipamentos por sua natureza, conforme estabelecido pelo BNDES. Eles podem ser destinados ao uso de terceiros ou não, desde que esteja expresso no contrato de locação ou comodato.
  • Modalidade 2 (Financiamento à Produção de Máquinas e Equipamentos): nessa modalidade, estão os recursos voltados para a produção de máquinas e de equipamentos que já foram negociados com as Compradoras.
  • Modalidade 3 (Financiamento à Fabricante para a Comercialização): essa modalidade está voltada para a venda de máquinas e de equipamentos que já tenham sido negociados com as compradoras.

Há ainda mais dois tipos de FINAME: o FINAME Agrícola, que está voltado para a compra de produtos e de equipamentos para o setor agrícola. E o FINAME Leasing, que é um empréstimo, onde a instituição que o concede mantem a posse do produto até que o empréstimo seja totalmente quitado. 

Passos a Passo Para Conseguir o FINAME 

1º Passo: através do site do BNDES, o interessado verifica a máquina ou o equipamento que deseja adquirir. É preciso que o mesmo conste na listagem de equipamentos que o BNDES financia. 

2º Passo: o segundo passo é procurar um agente financeiro credenciado e solicitar o financiamento. 

3º Passo: se a solicitação for aprovada pelo agente credenciado, ela será enviada para o BNDES. 

4º Passo: se a solicitação estiver de acordo com as normas, o BNDES autoriza o financiamento. 

5º Passo: o fabricante ou distribuidor é autorizado a entregar o bem financiado ao comprador. 

6º Passo: a máquina ou equipamento é entregue ao comprador. 

7º Passo: o valor a ser financiado é repassado ao agente financeiro, mediante a solicitação e a apresentação da nota fiscal. 

8º Passo: o agente financeiro então transfere o valor ao fabricante ou distribuidor autorizado, que entregou o bem. 

Dívidas Bancárias: O Que o Banco Pode Fazer Para Quitar a Dívida

Em algum momento da vida, a gente pode se ver rodeado de dívidas. Quando uma pessoa deve um banco, por exemplo, surgem muitas dúvidas sobre o que fazer para resolver a situação, sobre como negociar. 

O banco começa a cobrar a dívida, realiza várias ligações durante o horário comercial, pode enviar cartas de cobrança, e muitos outros artifícios para cobrar o valor devido pelo consumidor. Tudo isso como uma forma de pressão. 

Pensando nisso, muitas pessoas se questionam sobre o que os bancos podem fazer para que o devedor pague a sua dívida. E saber dessa informação é bom, para que o consumidor conheça os limites permitidos a uma empresa credora, para evitar excessos e também para saber como proceder. 

Muitos credores usam de maneiras indevidas e ilegais para pressionarem os devedores a pagarem a dívida. 

Quais os Bens do Devedor Podem Ser Penhorados Para o Pagamento de Uma Dívida? 

Há situações em que alguns bens do devedor podem ser penhorados para o pagamento da dívida, isso depois do trânsito em julgado da cobrança na justiça. O veículo é um desses bens, desde que não seja algo necessário para o sustento da sua família, uma ferramenta de trabalho. 

Os bens do cônjuge também podem ser penhorados, desde que haja um processo na justiça e que seja a parte referente ao cônjuge inadimplente. 

Os bancos podem ligar para os seus clientes para cobrar, podem enviar cartas, mas tem um limite. A cobrança não pode ser abusiva e nem frequente demais. Deve falar sobre a dívida, as possibilidades de negociação e devem ser somente durante o horário comercial. E os juros podem continuar sendo cobrados.  

A empresa credora pode, ainda, entrar com uma ação de cobrança na justiça, pode passar a sua dívida para uma das empresas de cobrança de dívida, e pode também usar dinheiro que cair na conta para cobrir o saldo devedor. No entanto, se o dinheiro for do salário, não poderá ser pego pelo banco, uma vez que o salário da pessoa é impenhorável. 

Quais Bens São Impenhoráveis? 

Os bancos podem penhorar alguns bens do devedor, desde que eles não estejam resguardados pela lei da impenhorabilidade. Confira abaixo a relação dos bens que i banco não pode penhorar: 

  • Móveis e objetos de utilidade doméstica;
  • Salários e rendimentos relacionados a investimentos para a aposentadoria e pensão;
  • Único imóvel da família;
  • Seguro de vida;
  • Pertences de uso pessoal e roupas;
  • Depósito na poupança somando até salários mínimos; 
  • Utensílios e ferramentas necessários para o desempenho da profissão, como livros, máquinas, e etc.,
  • Veículo que não seja uma ferramenta de trabalho, que não seja usado para ao sustento da família.

Antes de os bens serem penhorados, é preciso que haja uma ação de cobrança na justiça. Somente após o fim do processo, se a pessoa inadimplente não pagar a dívida, é que os bens serão penhorados. 

O Que as Empresas Credoras Não Podem Fazer? 

Não é permitido enviar mensagem de ameaça para os consumidores, e nem mensagens de cobrança abusivas. Também não é permitido nenhum tipo de perseguição, nem pessoalmente, nem em redes sociais e nem no endereço do devedor. A pessoa não pode passar por nenhum tipo de constrangimento. Além do mais, após passar a dívida para uma empresa de cobrança, ela não poderá aumentar os juros, e nem cobrar encargos e honorários. 

A empresa credora não pode, de forma alguma, ameaçar o devedor de penhorar os seus bens. Somente o juiz é que pode mencionar essa ação, se for o caso e no seu devido tempo. 

Bom Pra Todos: Como Conseguir Crédito e Simular o Financiamento

Uma medida que promoveu uma diminuição nos juros das principais linhas de crédito oferecidas pelos principais bancos públicos ganhou o nome de “Bom Pra Todos” no Banco do Brasil. Esse programa oferece aos correntistas do Banco do Brasil um conjunto formado de 12 medidas, incluindo produtos bancários, empréstimos e financiamentos.  

No entanto, algumas pessoas ainda não conhecem bem o funcionamento dessa linha de crédito e como contratá-la. No post de hoje, daremos mais informações e tentaremos esclarecer um sobre as suas principais aplicações. 

Vantagens do Bom Pra Todos do Banco do Brasil 

Confira abaixo as principais vantagens oferecidas pelo Bom Pra Todos: 

• Financiamento de veículos: o financiamento de veículos tornou-se uma opção bem melhor. Se o cliente é correntista do Banco do Brasil e possui o financiamento em um outro banco ou instituição financeira, pode solicitar que sua dívida seja transferida para o seu banco, para poder usufruir dos juros menores, que giram e torno de 0,99% e 2,65% ao mês no caso do Bom Pra Todos; 

 Para os aposentados e pensionistas do INSS: o Banco do Brasil oferece para essas pessoas empréstimos com juros variando entre 0,85% e 1,8% ao mês. E também um cartão especial para que possam movimentar o seu limite de crédito disponível; 

 Crédito empresarial: as taxas das linhas de crédito do Banco do Brasil, que antes de 2012 já eram mais atrativas para as micro e pequenas empresas, tornaram-se ainda melhores, após sofrer uma redução que poderia chegar a 15%. O crédito rotativo do cartão Ourocard Empresarial é de 3%/mês. Enquanto os juros do capital de giro são de 0,96%/mês. 

 Taxa de juros dos empréstimos: no caso do crédito consignado para os aposentados e pensionistas, a taxa de juros é a partir de 0,85% ao mês; para empréstimos com garantia de veículos, os juros são a partir de 1,27% ao mês; já para o empréstimo com garantia de imóveis, os juros são a partir de 1,52% ao mês. 

 Taxa de juros de empréstimos: no caso de pessoas que desejam comprar algo financiado, seguem os valores das taxas de juros cobradas: para compra de material de construção, a taxa de juros é a partir de 1,49% ao mês; para o financiamento de veículos, as taxas são a partir de 0,99% ao mês; para financiamento imobiliário, a partir de 7,9% ao ano e para o financiamento de motocicleta, a partir de 1,28% ao mês.  

Crédito Direto ao Consumidor, ou CDC: possui um limite pré-aprovado e o cliente pode contratá-lo facilmente pela internet, nos caixas eletrônicos, ou até pelo celular. 

Como Contratar o Bom Pra Todos? 

As linhas de crédito do Bom Pra Todos estão disponíveis apenas para quem é correntista do Banco do Brasil. Quem já é cliente, pode procurar o gerente do banco. Além de tirar todas as dúvidas sobre o programa, também é possível realizar uma simulação das principais linhas de crédito tanto pessoalmente quanto pelos caixas eletrônicos quanto pelo internet banking. Dependendo da situação, o correntista pode, até mesmo, contratar o serviço por esses dispositivos também. Se desejar obter mais informações a respeito desses serviços bancários, o cliente pode entrar em contato por alguns dos canais de atendimento do banco descritos abaixo: 

• SAC: 0800 729 0722 

• Site: www.bb.com.br 

• Central de atendimento: 4004 0001 e 0800 729 0001 

• No caso de deficientes auditivos/fala: 0800 729 0088 

Os clientes do Banco do Brasil podem verificar o limite crédito do programa Bom Pra Todos no seu extrato bancário. Esse programa, como vimos, pode servir para várias linhas de crédito diferentes. 

Quem necessita de financiamentos pode aproveitar as baixas taxas de juros e se beneficiar com essa facilidade oferecida pelo Banco do Brasil. Uma vez que os demais financiamentos cobram taxas de juros muito mais elevadas. Muitas vezes, elas acabam impedindo os consumidores de baixa renda de realizarem seus objetivos, por não terem como arcar com os altos valores.

Como Renegociar as Pendências do Banco do Brasil: Solução de Dívidas

A maioria dos cidadãos já teve uma dívida e não sabia como poderia resolver a situação. A pouco tempo atrás, para negociar uma dívida com o banco, o cliente precisava ir até uma agência bancária para conversar com o gerente. E isso acabava fazendo com que a pessoa deixasse de lado, especialmente pelo fato de os horários de funcionamento das agências ser bem reduzido. A grande maioria das pessoas não tem tempo para ir ao banco no meio do dia. 

Mas, para tornar a nossa vida mais fácil, hoje nós podemos contar a ajuda da tecnologia para resolver uma série de assuntos bancários. Hoje em dia, nós temos a opção de usar o telefone ou a internet para contatar o banco. 

Solução de Dívidas do Banco do Brasil 

Clientes do Banco do Brasil contam com um canal online para negociar as dívidas em andamento ou que ainda não foram pagas. Por meio dessa ferramenta, o cliente tem a oportunidade de sugerir um reparcelamento da sua dívida atual ou propor um acordo para a dívida que ainda está pendente. Além disso, através dessa ferramenta, o cliente ainda tem acesso à informações de saldo devedor, das tarifas pendentes, das parcelas atrasadas, além de alternativas de parcelamento para saldo devedor. 

Tudo isso para facilitar a vida do cliente. Agora, ele pode resolver a questão da sua dívida com o Banco do Brasil sem sequer precisar sair de casa, ou até mesmo do trabalho. 

Como Faço Para Negociar Minha Dívida Com o Banco do Brasil? 

Para aquelas pessoas que têm alguma dívida com o Banco do Brasil e queiram negociar, informaremos abaixo como proceder. 

Antes de mais nada, o cliente precisa acessar a página www.bb.com.br/solucaodedividas. Em seguida, será pedido o login e senha. O cliente, então, será direcionado para a página do cliente, onde terá acesso à todas as contas em andamento ou que ainda estejam pendentes. Após clicar na opção, o próprio sistema fará os cálculos e apresentará para o cliente quais são as possibilidades de parcelamento que ele possui. O horário para realizar os acordos é das 6 às 20 horas. 

Como podemos ver, o processo é muito simples. Sem nenhuma burocracia. 

Dentre os serviços oferecidos no caso de dívidas, os principais são o parcelamento ou a renovação da dívida. 

Para casos de parcelamento, o Banco do Brasil oferece as opções de negociação de dívidas de cartão de crédito, cheque especial e de empréstimos. Para correntistas, após ter feito o cálculo do montante devido, o banco sugere que as parcelas sejam pagas no débito automático diretamente na conta corrente do cliente. Se ele não for um correntista, o pagamento poderá ser feito através de boleto bancário. 

Para os casos de renovação de dívida, é preciso que o cliente modelo o pagamento da dívida que já está em andamento, com aquelas prestações que ainda não venceram. Por meio dessa opção, o cliente tem a chance de aumentar o número de parcelas devidas, diminuindo o valor de cada uma. No entanto, para que isso seja possível, o cliente precisa ter limite de crédito disponível no banco. 

Na hora de negociar uma dívida, fique atento ao valor total. Uma vez que procedemos com a renovação, o valor total e torna bem maior do que antes, pois há cobrança de juros nas novas parcelas geradas. Verifique sempre as suas condições financeiras antes de embarcar em uma dívida. Quando aumentamos o prazo de pagamento, estamos comprometendo o nosso orçamento por um período bem maior. Uma outra alternativa é ir pessoalmente ao banco e verificar com o gerente se não existe uma alternativa mais condizente com a sua realidade financeira. Talvez você até consiga uma alternativa melhor para pagar a sua dívida. 

Como Funciona o Cheque Especial: Tem Como Cancelar?

 Todas as vezes que uma pessoa tem a necessidade de usar mais dinheiro do que ela tem disponível em sua conta, e acaba ficando com saldo negativo, ela está usando o cheque especial. Esse termo se refere ao crédito que o banco deixa pré-aprovado para o cliente em sua conta. E que ele pode usar sempre que precisar. 

No entanto, como não poderia deixar de ser, esse crédito não sai de graça. Pelo contrário, ele tem um custo bem elevado. Ele possui uma das maiores taxas de juros praticadas entre os empréstimos. 

Quando precisamos contratar um empréstimo, o banco irá analisar minuciosamente para, somente depois, decidir se empresta ou não o valor solicitado. Só que com o cheque especial é diferente. O valor fica disponível em sua conta e você não precisa pedir emprestado. Você somente retira. E, quando fizer algum depósito em sua conta, ele vai para o pagamento do empréstimo que fez. Como o banco não sabe quando você pagará tudo o que pegou, ele eleva as taxas de juros. É comum alguns bancos darem 10 dias grátis sem cobrar nenhuma taxa, para que o cliente faça o pagamento. Sendo assim, se precisar entrar no cheque especial, verifique bem esse prazo, para não pagar juros desnecessários. 

Outra observação importante é sobre o saldo disponível na conta. Os bancos costumam somar o limite do cheque especial ao saldo que o cliente tem disponível na sua conta. E, com isso, as pessoas acreditam ter um valor maior do que realmente têm. No extrato, vem a informação do que é o limite e do que é o saldo. Por isso, preste bastante atenção, para não retirar o limite do cheque especial sem querer. 

Se a pessoa conseguir usar o cheque especial dentro dos 10 dias grátis que o banco oferece, ele pode ser uma boa alternativa para uma situação de emergência. 

Posso Cancelar o Cheque Especial? 

O cliente tem a opção tanto de cancelar o limite do cheque especial. Para isso, basta entrar em contato com o banco e realizar a solicitação. É importante sempre solicitar o documento de solicitação protocolado. Nesse documento, é preciso estar a assinatura do funcionário que atendeu a sua solicitação, carimbada e datada. 

Para evitar problemas futuros, também é importante manter o guardado extrato bancário que comprova o cancelamento do serviço por, no mínimo, 5 anos. 

Como Sair do Cheque Especial? 

Algo que costuma acontecer com muita frequência é o indivíduo entrar no cheque especial, e não conseguir sair, pois não consegue quitar a dívida e ela vai se tornando cada vez maior. Para ajudar a sair de uma situação como essa, separamos algumas dicas abaixo. Confira: 

• Negocie com o banco: uma dica é procurar o gerente do banco e tentar negociar a dívida. Como o objetivo do banco é que o cliente pague o que deve, ele pode oferecer taxas de juros bem mais atrativas. Vale a pena tentar. 

 Diminua o limite do cheque especial: o cliente pode solicitar uma redução do seu limite de cheque especial. Principalmente se ele não consegue se controlar e vive precisando desse crédito. 

 Parcelamento: se o valor devido for alto, uma alternativa é solicitar o parcelamento. Dessa forma, o cliente terá um valor fixo a pagar todos os meses. Porém, é muito importante avaliar as taxas cobradas no parcelamento. E o valor final que a dívida ficará. 

 Controle os seus gastos: evite gastar de forma compulsiva. Compre somente o que realmente precisar e evite contratar qualquer tipo de empréstimo. Tenha sempre uma reserva financeira para casos de emergência. 

O Que é LIS? Quais as Taxas e Limites? Como Renegociar o Débito

É comum as pessoas se enrolarem um pouco com as contas e acabarem precisando do cheque especial. Embora não seja muito recomendado, muita gente recorre a essa linha de crédito emergencial para figurem de problemas que possam ocorrer com o saldo da sua conta. No banco Itaú, o nome desse cheque especial é LIS, ou seja, Limite Itaú para Saque. Se você ainda não conhece, continue lendo que daremos mais informações a respeito. 

O Que é o LIS? 

O banco Itaú oferece aos seus clientes uma linha de crédito de cheque especial denominado LIS. Que, nada mais é que um valor disponibilizado pelo banco na conta do cliente, para que ele possa usá-lo quando precisar. 

Para chegar ao cálculo do valor do LIS para cada cliente, é feita uma análise de risco, de forma a determinar o limite que poderá ser liberado para cada um. Todos os meses, o banco calcula o valor, que pode sofrer alterações conforme o resultado da análise de risco. 

Quais São as Vantagens do LIS? 

Apesar dos juros altos que o cheque especial cobra, o LIS pode oferecer algumas vantagens para o cliente em situações de emergência. Confira abaixo: 

• O cliente paga juros e encargos sobre as operações financeiras de forma proporcional aos dias em que usar o LIS. 

 O cliente ainda pode escolher a melhor data para pagar os encargos. 

 O LIS permite o uso por até 10 dias sem cobrar juros pelo empréstimo. 

Como Funcionam os 10 Dias Sem Juros no LIS? 

Os 10 dias sem juros que o LIS cobra podem ser corridos ou até alternados nos dias úteis ou dias não úteis no decorrer do mês. Embora tenha isenção de juros, o uso do LIS acarreta a cobrança de IOF, ou seja, Imposto Sobre Operações Financeiras.  

Caso o décimo dia do uso do LIS cair em um final de semana ou em um feriado, o valor para pagamento deverá estar disponível na conta no dia útil anterior à data do vencimento. 

Como Renegociar o Débito do LIS? 

Caso chegue o dia de vencimento do LIS e você não ainda não tem todo o dinheiro para pagar, existe a possibilidade de parcelar o sado devedor. Porém, é importante ficar atento aos juros cobrados. Para solicitar o parcelamento, o cliente pode usar os canais de autoatendimento. Porém, o mais recomendado é sempre evitar esse tipo de situação, uma vez que os juros cobrados são muito altos. Existem outras modalidades de empréstimos mais vantajosas. 

Taxas do LIS 

O valor das taxas cobradas pelo LIS varia dos termos dos contratos de cada cliente, e também dos dias em que o valor foi usado. Veja abaixo como ficam os juros: 

Taxa LIS Itaú 

• Taxa vigente: 12,61% ao mês 

• Plano de vantagens Itaú c/ vínculo salarial: 11,11% ao mês 

• Plano de vantagens Itaú  

Taxas LIS Itaú Uniclass 

• Taxa mínima: 8,38% ao mês 

• Taxa máxima: 12,61% ao mês 

• Taxa mínima no Plano de Vantagens Itaú: 7,38% ao mês 

• Taxa máxima no Plano de Vantagens Itaú: 11,61% ao mês 

• Taxa mínima no Plano de Vantagens Itaú c/ vínculo salarial: 6,88% 

• Taxa máxima no Plano de Vantagens Itaú c/ vínculo salarial: 11,11% ao mês 

Há ainda a cobrança de IOF em ambas as formas, uma vez que o crédito for contratado. 

Caso o cliente não tenha um limite pré-aprovado, ele pode se dirigir a uma agência do banco Itaú e conversar com o gerente. O banco fará uma análise antes de liberar o limite. Para ajudar a conseguir o limite pré-aprovado, é importante deixar sempre atualizadas as informações pessoais na conta e manter os créditos sempre em dia, para que o CPF não seja negativado. 

Quanto Tempo o Nome Fica Limpo?

Ter o nome negativado é uma situação muito ruim, que pode causar muitos problemas para a pessoa. O problema é que, com o aumento do desemprego, o número de inadimplentes vem crescendo de forma desordenada. E, mesmo que a pessoa não queira, ela acaba deixando de pagar algumas contas. O que leva as empresas a inserirem o seu nome no cadastro dos órgãos de proteção ao crédito, como o SPC e a SERASA. 

Com o nome sujo, a pessoa fica com várias restrições no mercado, e impedida de fazer muita coisa, como financiamentos, contratar um empréstimo, solicitar um cartão de crédito, abrir uma conta corrente, dentre outros. 

Quanto Tempo Demora Para o Nome Ficar Limpo Depois de Quitar a Dívida? 

Após pagar a dívida, o prazo até ter o nome limpo novamente parece uma eternidade. Principalmente se a pessoa precisa limpar o nome por algum motivo em especial, como solicitar um empréstimo, por exemplo. 

Mas a regra diz que, após o inadimplente pagar a dívida, a empresa credora precisa retirar o nome do devedor do SPC e da SERASA em até 5 dias úteis.  

Caso a empresa não retire o nome do cadastro de inadimplentes, é preciso entrar em contato com a empresa, de posse do comprovante de pagamento, e solicitar que o nome seja limpo. Se, mesmo assim, a empresa não der baixa no nome da pessoa, então esta deverá procurar os seus direitos nos órgãos de defesa do consumidor, como é o caso do Procon, e formalizar a sua reclamação. 

O prazo de 5 Dias Começa a Contar Quando? 

Essa é uma dúvida comum entre os consumidores. E a resposta é simples: a partir da data de pagamento da dívida. As empresas não podem alegar que existem prazos internos a serem cumpridos. O prazo que elas têm para dar baixa no nome do consumidor é de 5 dias, a contar a data em que a dívida foi quitada, desde que o pagamento tenha sido em dinheiro. Se for em boleto, cheque ou outra forma em que é preciso aguardar o prazo de confirmação, aí sim o prazo pode se estender, pois é preciso aguardar a compensação do pagamento. 

O consumidor precisa consultar o seu nome com frequência, para garantir que não há nenhuma restrição no mesmo. 

Mitos e Verdades Sobre o Nome Sujo 

A gente escuta muita coisa sobre esse assunto por aí. A questão é saber o que é verdade e o que não diante de tanta informação. Abaixo, listamos alguns mitos e verdades sobre o nome sujo. Confira: 

• O inadimplente precisa ser informado quando o seu nome for negativado. 

Verdade. Quando uma empresa insere o CPF do devedor nos órgãos de proteção ao crédito, estes precisam enviar uma notificação para a pessoa informando que ele precisa pagar a dívida dentro de um prazo, caso contrário, o seu nome será negativado. 

 Se eu não estiver devendo, meu nome pode ser negativado. 

Verdade. Mas não que a dívida seja sua. O que acontece nesses casos são falsificações de assinaturas e de documentos. Quando isso acontece, o consumidor precisa registrar um boletim de ocorrência e procurar a empresa credora o quanto antes para resolver a situação. 

 Após renegociar uma dívida, o meu nome permanecerá sujo até que eu pague tudo o que devo. 

Mito. Quando renegociamos uma dívida, a dívida antiga é extinta e damos início a uma nova dívida. Após pagarmos a primeira parcela, o nome precisa ser limpo. Caso contrário, o consumidor poderá entrar com uma ação 

 Posso ser impedido de abrir uma conta se estiver com o nome sujo. 

Verdade. O banco pode não permitir que o consumidor inadimplente abra uma conta corrente. Para quem já é correntista, o banco pode suspender a entrega de talão de cheque, além de bloquear o cheque especial. 

Quando o Banco Pode Tomar o Carro Com Prestações Atrasadas

Muitas pessoas, quando querem comprar ou trocar de carro, recorrem ao financiamento. A questão é que, muitas vezes, a pessoa tem dificuldade de arcar com as parcelas. Quando isso acontece e ela não procura nem o banco e nem a financeira para tentar negociar a dívida, certamente, ela estará sujeita a ter o seu veículo apreendido. O que significa que o banco ou a instituição financeirapoderá pegar o carro devido à falta de pagamento. 

Mas tomar o veículo da pessoa não é a intenção do banco. Em um primeiro momento, ele tentará negociar a dívida com o devedor por meio de vários recursos, a fim de evitar um desgaste desnecessário. Mas não é uma obrigação do banco tentar essa negociação. E o cliente também podetomar essa iniciativa se perceber que não terá condições de pagar a sua dívida. Recolher o veículo é uma das possibilidades que o banco tem para reaver o valor devido.  

É válido lembrar que essa medida está prevista em lei, e dá ao banco ou instituição financeira, a possibilidade de retirar o bem, desde que este não esteja sendo pago. 

Entenda Como é Feita a Busca e Apreensão do Veículo 

De uma forma geral, quando financiamos um veículo por meio de uma Alienação Fiduciária, nós damos o próprio veículo como se fosse a garantia da nossa dívida. Dessa forma, em caso de atraso no pagamento, o banco ou instituição financeira poderá recolher o veículo e vendê-lo para outra pessoa. Essa é a forma de se garantir que a dívida será quitada. 

Normalmente, após o atraso de algumas parcelas, o banco poderá ajuizar uma ação supracitada. 

banco precisa notificar a pessoa inadimplente por meio de uma carta extrajudicial, expedida pelo Cartório de Títulos e Documentos, ou ainda pelo protesto do contrato. Mas é preciso que o bancocomprove que o devedor recebeu, de fato, a carta e está ciente do protesto. Somente após essa notificação, é que o juiz ordenará liminarmente, em caráter de urgência, que o veículo seja apreendido. 

O oficial, que tenha autorização judicial, tem a permissão para arrombar portas tanto externas quanto internas da propriedade para reaver o veículo. Ele pode, inclusive, solicitar a presença de um policial para garantir melhores êxitos em sua ação. 

O devedor tem o direito de procurar um advogado para tomar as medidas que lhe couber. Após a apreensão, o veículo será levado para algum local em que esteja sob a responsabilidade do banco. A partir de então, começa a contar o prazo previsto em lei, para o devedor tomar as providências cabíveis para o caso. 

São considerados 2 prazos: um de 5 dias e outro de 15 dias. 

No prazo de 5 dias, o devedor precisará pagar toda a dívida que o banco já terá apresentadoquando daapreensão do veículo. 

No prazo de 15 dias, o devedor precisará apresentar a sua defesa, com a ajuda de um advogado. 

Quantas Prestações Precisam Estar Atrasadas Para Que o Banco Tome o Veículo? 

De uma forma geral, se olharmos pelo que é acordado em contrato, um dia após o atraso da parcela, o banco já poderá solicitar a busca e apreensão do veículo. Porém, isso não acontece na prática. Os bancos tentam várias alternativas para receber o valor devido antes de tomar essa medida, até mesmo por que o devedor pode conseguir alguma forma de pagar. E os bancos também tentam evitar muito transtorno.

Por isso, é sempre mais recomendável não só procurar o banco para uma negociação, como também considerar caso o banco ou a instituição entre em contato primeiro para negociar. As condições podem ser bem mais atrativas. É sempre melhor tentar uma negociação amigável. 

O Que é Uma Promissória? Tem Validade Legal?

O Que é Uma Promissória? Tem Validade Legal? 

Uma nota promissória é considerada um título de câmbio. Ela permite que o emitente assuma a obrigação de pagar o valor nela informado. É uma espécie de “promessa de pagamento”. 

A nota promissória, desde que seja preenchida corretamente, terá sim valor legal. De posse da nota, em caso de não pagamento do valor da nota, o credor poderá protestar a nota em cartório. E se, mesmo assim, o emitente não se manifestar, o credor pode recorrer à justiça, procurando o tribunal de pequenas causas de sua cidade. O talão de nota promissória pode ser encontrado em quase todas as papelarias. 

Uma outra característica da nota promissória é que ela é um título autônomo, ou seja, ela não exige que seja informado o motivo que originou aquela obrigação. Dessa forma, para cobrá-la, o credor não precisa ter nenhuma nota fiscal. 

Ela é emitida pelo próprio devedor. E, desde a sua emissão, ela se torna um título de crédito. Além do mais, a nota promissória pode ser transferida para terceiros por endosso, assim como nela, também é possível a garantia de aval, como acontece nos outros títulos de crédito. 

O Que Consta Em Uma Nota Promissória? 

Confira abaixo as principais informações que você encontra em uma nota promissória: 

• Data de pagamento. Se não tiver essa informação, então a data de pagamento considerada será à vista; 

 No texto do título terá a denominação de “nota promissória“; 

 Assinatura do subscritor, ou seja, da pessoa que passa a nota promissória; 

 A promessa de pagamento da quantia descrita; 

 A indicação do lugar do pagamento. Se essa informação não constar na promissória, então será considerado o domicílio do emitente, ou subscritor; 

 Também terá a informação de data em que, e do local onde foi passada a nota promissória. Se não constar essa informação, então será considerado o informado ao lado do nome do emitente; 

 Assinatura, endereço, identidade e/ou CPF de duas testemunhas, 

 E o nome da pessoa a quem, ou a ordem de quem, aquele valor deve ser pago. 

É de extrema importância que não haja nenhuma rasura na nota promissória, caso contrário, ela perderá a validade. Todas essas informações citadas acima são fundamentais para tornar o documento válido. São requisitos mínimos que uma nota promissória deve ter. 

Quando Usar Uma Nota Promissória 

A nota promissória é muito utilizada para documentar as operações comerciais. Pode ser usada para casos de empréstimos entre parentes, amigos, em compras onde se vende fiado. Em situações em que não necessitam de um contrato formal que determine as condições de pagamento daquela dívida. 

Uma observação muito importante é que, embora seja um documento usado em relações mais “informais”, a promissória tem validade legal e resguarda o credor de receber o valor nela informado. 

Quando alguém documenta um acordo usando uma nota promissória, ela está fazendo uma processa de pagamento. O valor não sendo pago, o credor terá o direito de mover uma ação na justiça para que possa receber o valor emprestado. 

Para que se possa usar a nota promissória, a principal condição é que a existência de uma promessa de pagamento entre duas pessoas. Essa promessa passa a ser reconhecida pela justiça, e a promissória torna-se oficialmente um título de crédito. Por meio desse título, o emitente e o credor definirão a data de pagamento e, principalmente, o valor a ser pago. Se a data de pagamento não for informada, será considerada uma data de pagamento à vista. 

Nota Promissória Prescreve? 

Sim. E o prazo de prescrição é de 3 anos do credor contra o subscritor e o respectivo avalista. E de 1 ano, no caso da ação do portador contra o endossante.