Como Ficam as Dívidas Depois da Portabilidade de Salário?

Como Ficam as Dívidas Depois da Portabilidade de Salário?

Todo trabalhador tem direito de realizar a portabilidade do seu salário. Ninguém é obrigado a se manter vinculado a um banco que não deseja, definido pela empresa em que trabalha. Ele pode solicitar que o pagamento do seu salário seja transferido para a instituição financeira da sua preferência. 

O banco é obrigado a fazer a portabilidade sem cobrar nada pelo serviço. Assim, todos os meses, quando o salário do cliente cair na conta, ele será transferido automaticamente para o banco de destino escolhido por ele. Sem nenhum custo. 

questão é que, em alguns casos, os usuários encontram certos problemas ao solicitar a portabilidade, principalmente se possuem algum débito junto ao banco. Para manterem o pagamento das parcelas em dia, os bancos tendem a dificultar um pouco a saída do cliente da instituição, até mesmo com informações sem sentido. 

Porém, o banco não pode se recusar a fazer a portabilidade nem mesmo se o cliente tiver dívida na instituição. 

Para que o banco possa deduzir parcelas de financiamentos e empréstimos do salário do cliente, é preciso que este tenha autorizado previamente. E também não existe nenhuma norma que permita que o banco desconte 30% do valor devido antes de efetuar a portabilidade. 

Para os casos em que o salário e o empréstimo tenham algum vínculo, a regra para o pagamento é diferenciada. Nesse caso, o valor das parcelas é descontado diretamente no salário do cliente. No caso de quem fez a portabilidade, o valor do empréstimo será descontado logo que o dinheiro cair na conta, e o restante será transferido para a conta de destino do cliente. 

Vale lembrar que o desconto das parcelas só pode ser feito se o cliente autorizar o débito. 

Caso o cliente seja demitido da empresa, a mesma solicitará o cancelamento da conta salário. Nesse caso, o banco terá que procurar outra maneira de cobrar a dívida. Em grande parte dos contratos, já é pré-definido que o valor da rescisão ou parte dele será usado para quitar a dívida ou algumas parcelas. 

Antes, a portabilidade do salário era feita no próprio banco de origem. E somente nos bancos entre os bancos tradicionais. O cliente tinha que ir até a sua agência para solicitar. E o gerente aproveitava para tentar convencer o cliente de todas as formas a manter a sua conta com eles. De acordo com as novas regras do Banco Central, a portabilidade do salário hoje funciona da mesma forma que a telefonia. 

Conheça abaixo as principais vantagens que alguns bancos estão oferecendo para os clientes: 

• Caixa Econômica Federal: correntistas da Caixa possuem redução ou até isenção de tarifas de produtos e de serviços, além de taxas e de prazos diferenciados para cheque especial, financiamento habitacional, e também para outras linhas de crédito, como crédito pessoal, de imóvel ou de automóvel. 

• Nubank: quem fizer a portabilidade terá as mesmas vantagens de quem abre uma conta digital. Os clientes têm rendimento 100% do CDI, além da anuidade do cartão e da isenção da tarifa de transferência. 

• Bradesco: as condições oferecidas variam conforme as parcerias estabelecidas entre o banco e as empresas públicas e privadas e também conforme o perfil do cliente. Para conseguir atrair novos clientes, o Bradesco aposta em rede de atendimento e também num portfólio completo de produtos, de serviços financeiros e de seguros. 

• Banco do Brasil: para atrair e reter os clientes, o banco oferece crédito consignado, crédito imobiliário, crédito salário,financiamento de veículos e consórcio a taxas diferenciadas. 

• Santander: segundo o banco, os clientes que já recebiam o salário pelo banco já eram beneficiados com vantagens e benefícios nas taxas e tarifas. 

Posso Fazer a Portabilidade de Salário Para Caderneta de Poupança?

Posso Fazer a Portabilidade de Salário Para Caderneta de Poupança?

A portabilidade do salário é uma boa opção para os trabalhadores que não desejam se manter presos ao banco que a empresa estipulou. Por meio dela, o empregado pode transferir os recursos do seu salário para uma outra conta que desejar em qualquer instituição financeira em que tenha ou não uma conta. 

O fato é que muitas pessoas desejam fazer a portabilidade do seu salário para uma conta salário, para não precisarem pagar tarifas de conta corrente e ainda fazerem o seu dinheiro render. 

Porém, como nem sempre eles têm informações suficientes, acabam abrindo uma conta corrente mesmo ou até desistindo de fazer a portabilidade. 

Tudo o que a empresa depositar para o empregado a título de salário, proventos, férias, 13ª salário, e etc., pode ser transferido para a conta que o beneficiário escolher, de forma gratuita e sem nenhum desconto. 

O banco não pode se negar a fazer a portabilidade. Ainda que ele crie algum obstáculo, saiba que todo trabalhador tem direito à portabilidade gratuita. 

Para transferir o salário de uma conta para outra, o banco utiliza a TED (Transferência Eletrônica Disponível) ou a TEC (Transferência Especial de Crédito) 

Assim, o empregado pode solicitar a portabilidade para uma conta corrente, conta eletrônica, conta conjunta ou para a caderneta de poupança. 

Porém, no caso da caderneta de poupança, há uma situação a se considerar. Não são todos os bancos que permitem transferência via TED para conta poupança. Pois os bancos não são obrigados a aceitar esse tipo de transferência para esse tipo de conta. 

É por isso que, antes de solicitar a portabilidade para uma conta poupança, verifique antes com o banco se ele aceita essa situação. Caso não aceite, o valor transferido voltará para a conta do banco de origem. 

Quais Vantagens os Bancos Oferecem Para a Portabilidade do Salário? 

Confira abaixo as vantagens oferecidas pelos principais bancos: 

• Caixa Econômica Federal: a Caixa oferece até 2 extratos da movimentação feita nos últimos 30 dias, 2 consultas de saldo mensais, emissão do cartão magnético, 5 saques mensais, não cobra tarifa de transferência automática da conta salário, prazos e taxas diferenciados para casos de financiamento habitacional, condições especiais em linhas de crédito, desconto em tarifas bancárias ou isenção total. 

• Santander: o cliente tem a chance de escolher a conta que mais combina com o seu perfil, e tem acesso às taxas diferenciadas em produtos de crédito e de investimento. 

 Itaú: o cliente ganha desconto que pode chegar a 10% ao contratar o seguro automóvel, 50% de desconto em teatro e cinema e ainda tem um prazo de até 90 dias para que possa pagar a primeira parcela do crédito pessoal. 

• Banco do Brasil: o cliente que desejar fazer a portabilidade para o Banco do Brasil poderá usar o app do banco para poder migrar a sua conta-salário. Além do mais, o banco também oferece taxas bem mais atrativas para muitas formas de crédito. O banco também oferece um pacote de serviços e também anuidade grátis por um ano no cartão Ourocard. 

 Bradesco: no caso desse banco, ele oferece algumas vantagens que, conforme a parceria firmada entre as empresas públicas e privadas, podem variar. Outra coisa que eles também consideram é o perfil de cada cliente. 

• Banco Inter: um banco 100% digital e não cobra nada para realizar operações. Oferece conta corrente sem tarifas de manutenção, cartão de crédito internacional isento de tarifas, transferências ilimitadas para qualquer uma conta bancária, depósito via boleto bancário, cartão de crédito internacional isento de tarifas, alerta de compras via SMS (sem custo adicional), pagamento por QR Code por meio de app e depósito de cheque via app.

Posso Fazer a Portabilidade de Salário Devendo ao Banco?

Posso Fazer a Portabilidade de Salário Devendo ao Banco?

Todo trabalhador tem direito à portabilidade do salário. E funciona da seguinte forma: quando o trabalhador é contratado, a empresa abre uma conta salário para que o empregado possa receber o seu salário. Essa conta é isenta de tarifas. E o trabalhador também não é obrigado a ficar vinculado à uma instituição bancária que não deseja. Por isso, caso queira, ele poderá transferir o seu salário para o banco da sua preferência. 

A transferência da conta para outro banco é gratuita. O banco também não pode se negar a seguir com a portabilidade para o cliente. 

Ao transferir a sua conta salário para outro banco, o trabalhador mantêm o mesmo benefício de isenção de tarifas. 

Mesmo Devendo o Banco Eu Posso Fazer a Portabilidade do Salário? 

Como regra geral, o banco não pode se negar a fazer a portabilidade do salário, ainda que o cliente tenha contraído um empréstimo. 

Porém, o banco pode tentar causar uma certa dificuldade para o cliente, fornecer informações que não são coniventes, ou coisas parecidas, para dificultar a transferência. 

De acordo com o Banco Central, se o cliente com conta salário tiver contratado empréstimo ou financiamento em algumas situações peculiares, o banco pode descontar as parcelas do salário, mas isso precisa ser previamente autorizado pelo cliente. Fora isso, não existe qualquer norma que permita que o banco desconte 30% do valor do dinheiro do cliente antes de ele efetuar a portabilidade. 

No caso de haver algum vínculo entre o salário do cliente e o empréstimo, existem algumas regras a serem seguidas. 

Crédito Consignado em Conta Salário 

O crédito consignado é uma opção de empréstimo que existe desde 2003, quando Luís Inácio Lula da Silva implementou em seu primeiro mandato. O seu objetivo era impulsionar o crescimento econômico do Brasil através de empréstimos a taxas de juros bem menores. E cujo desconto seria feito na própria folha de pagamento do empregado. 

Os juros são menores porque as parcelas são debitadas diretamente na conta. Dessa forma, o risco de inadimplência é quase nulo. E os bancos conseguem, também, oferecer mais facilidade na contratação. 

E Como Fica a Dívida Se o Cliente Fizer a Portabilidade do Salário? 

Essa é uma dúvida muito comum entre os cidadãos que contratam o empréstimo. Quando fazemos a portabilidade do salário, o mesmo continua caindo no banco de origem, onde a empresa abriu a conta. E este, por sua vez, é quem transfere o salário para a conta de destino do empregado. Assim, quando ele faz a transferência, o valor já cai descontando o valor do empréstimo. 

Mas isso só é possível, como dissemos, se o contratante do empréstimo tiver autorizado previamente o desconto. 

Como Fica o Empréstimo Em Casos de Demissão? 

Quando é demitido, o empregador precisa solicitar ao banco o encerramento da conta salário. Sendo assim, será preciso buscar novas opções de cobrar o empréstimo do cliente, caso ainda tenha prestações a pagar. 

Em alguns casos, o banco desconta 30% do valor recebido de rescisão, ou até o valor total. Mas ambas situações precisam ser autorizadas previamente pelo cliente. Que pode, também, procurar o banco e tentar negociar outras formas de pagamento. É importante entrar em contato com o banco para decidirem como será feito a partir da demissão. Lembre-se sempre de que, se optar por pagar o restante da dívida à vista, o banco deve reduzir os juros cobrados em cada prestação. 

O crédito consignado é uma boa opção para quem precisa do dinheiro e quer evitar a cobrança de altas taxas de juros, que costumam ser bem atrativas nesse caso. 

De qualquer forma, avalie bem a sua situação e se realmente precisa do empréstimo.

Quem Encerra a Conta Salário? Empregado ou Patrão? 

Quem Encerra a Conta Salário? Empregado ou Patrão? 

A conta salário é muito benéfica para o funcionário. Ela ajuda a aumentar a segurança e ainda é isenta da cobrança de tarifas. E o empregador também tem muitas vantagens. 

A empresa firma convênio com o banco onde os seus funcionários passarão a receber o seu salário. Para abrir a conta, o funcionário vai até a agência bancária, levando consigo uma carta fornecida pela empresa. E o banco procede com a abertura da conta em nome do empregado. 

O banco não pode, de forma alguma, induzir o empregado a abrir uma conta corrente ou se negar a abrir a conta.  

Quem é Responsável Por Encerrar a Conta Salário? 

Enquanto o usuário estiver trabalhando na empresa, ele usará a conta salário para receber o seu salário e poderá aproveitar empréstimos e financiamentos que o banco oferecer, sendo que as parcelas podem ser descontadas do salário, mediante autorização do empregado. 

Porém, ao se desligar da empresa, seja por vontade própria ou não, é preciso cancelar a conta. Mas quem deve encerrar? A empresa ou o empregado? 

O certo é a empresa mesma encerrar a conta. É preciso que a ela entre em contato com o banco e informe sobre o término do contrato de trabalho do empregado. Se, por ventura, isso não acontecer,após 3 meses sem o depósito do salário e movimentação da conta, ela deverá ser cancelada automaticamente. 

Porém, o funcionário precisa ficar muito atento ao tipo de conta que sendo aberta. Se é realmente uma conta salário, que é livre de tarifas. Essa informação virá constando no contrato assinado com o banco. Pode acontecer de, mesmo solicitando a abertura de uma conta salário, o banco abrir uma conta corrente. E, ao se desligar da empresa, o usuário pensa que a conta foi encerrada e não foi. Nesse caso, ela continua gerando gastos de manutenção. E, quando o usuário fica sabendo, costuma já ter passado muito tempo e ter uma dívida alta para quitar com o banco. E ter até o nome inserido nos órgãos de proteção ao crédito. 

Por isso, ao sair da empresa, confira o extrato e certifique-se de que a empresa realmente encerrou a conta. Caso não tenha encerrado, vá ao banco pessoalmente e proceda com o encerramento você mesmo. 

Como Ficam Empréstimos e Financiamentos Após o Cancelamento da Conta Salário? 

Existem algumas condições que permitem a cobrança de empréstimos e financiamentos na conta salário. Quando o empregado é desligado da empresa, é preciso ir ao banco para procurarem uma maneira de continuar pagando a dívida. Se desejar, o usuário poderá quitar o restante da dívida, ou negociar uma maneira de ir pagando o restante que falta aos poucos, de alguma maneira que não seja descontando na conta, uma vez que ela estará encerrada. 

Cada banco tem o seu próprio procedimento para esse tipo de situação. E também é informado no contrato no momento da contratação do empréstimo. O fato é que, o encerramento da conta não pode envolver o empregado em dívidas. 

Mais Informações Sobre a Conta Salário 

• A conta salário não pode ser usada para o pagamento de aposentados e pensionistas do INSS; 

• Antes de assinar o contrato da conta salário, tire todas as suas dúvidas com o banco, especialmente sobre o tipo de conta, o encerramento e a contratação de empréstimo e financiamento; 

• O banco deve fornecer, gratuitamente, o cartão magnético para o usuário movimentar a sua conta salário; 

• A transferência da conta salário para outro banco, através da portabilidade, é isenta de tarifas; 

• O titular da conta deve autorizar, mediante contrato, todo desconto na folha de pagamento, 

• Não é permitido receber e nem realizar transferências da conta salário. E nem depósito. 

Como Cancelar a Portabilidade de Salário?

Como Cancelar a Portabilidade de Salário?

A grande parte das empresas, especialmente aquelas com um número maior de funcionários, tem optado por pagar os funcionários por meio de conta bancária. Essa medida é uma forma de aumentar a segurança, uma vez que não é preciso ficar movimentando dinheiro em espécie. Tudo é feito de forma eletrônica, e de maneira bem mais prática. 

A questão é que algumas pessoas não gostam do banco onde recebem o salário e, muitas vezes, até já possuem conta em outro banco e gostariam de transferir o seu salário para essa outra instituição. 

Agora isso não é mais um problema. Com a portabilidade do salário, o empregado tem toda autonomia para escolher em qual banco deseja receber o seu salário e sem precisar pagar nenhum valor por isso. 

Em resumo, a portabilidade é um mecanismo que permite que a pessoa receba o seu salário no banco que desejar, desde que tenha conta no mesmo. A instituição de origem, que possui convênio com a empresa onde o usuário trabalha, transfere de forma automática o salário para o banco escolhido pelo usuário por meio de uma TED. E o valor cai na conta de destino no mesmo dia. Mas é o banco de origem quem continua processando a folha de pagamento do empregado.  

Como Cancelar a Portabilidade? 

Situações contrárias também podem acontecer. Após realizar a portabilidade, por algum motivo, o usuário deseja cancelar. E agora, o que fazer? É possível cancelar? 

Sim. É possível cancelar a portabilidade do salário a qualquer momento. Para isso, basta ir à uma agência bancária onde está recebendo o salário e solicitar o cancelamento. Em algumas situações, pode ser preciso ir na mesma agência em que abriu a conta. Em outras, é possível cancelar em qualquer agência. Verifique com o seu banco o procedimento adotado por ele. 

No caso do banco Santander, o usuário pode cancelar a portabilidade em qualquer agência bancária. Basta comparecer pessoalmente na agência, levando consigo um documento pessoal com foto. 

Quem recebe pelo banco Itaú Unibanco, também pode ir a qualquer agência bancária para solicitar o cancelamento da portabilidade. No entanto, se a intenção for alterar a portabilidade, é mais recomendado ir na própria agência onde o usuário recebe o seu salário. 

Para os clientes que recebem o salário no Banco do Brasil, é preciso ir até a própria agência onde recebe o salário, seja para cancelar a portabilidade, seja para solicitar alguma alteração. 

E No Caso de Dívidas? 

Algo comum é as pessoas terem dívidas no banco onde recebem o salário e não saberem se é possível cancelar a portabilidade mesmo assim. 

O banco só está autorizado a realizar descontos no salário do empregado se ele autorizar em contrato. Dessa forma, se o cliente não estiver ciente e não permitir que o débito possa ser efetuado, o banco está expressamente proibido de proceder com o desconto. Para casos de débito em folha de pagamento, independente de solicitar ou não a portabilidade, o desconto será feito. Agora, em se tratando de dívidas com cheque especial e cartão de crédito, o desconto não poderá ser feito automaticamente no salário. 

O salário é um bem impenhorável. Por isso é que não é permitido realizar desconto sem a autorização prévia do cliente. 

Caso o cliente tenha alguma dívida com determinado banco, o ideal é não abrir uma conta corrente. O mais recomendado é abrir uma conta poupança ou conta salário. Pois, no caso de conta corrente, o banco pode descontar algum débito pendente e tarifas do saldo constante na conta. Mas, para isso, é preciso que haja uma cláusula no contrato permitindo o desconto. E, geralmente, essa cláusula está no contrato. 

Como Transferir Seu Salário de Conta? Portabilidade vs TED 

Como Transferir Seu Salário de Conta? Portabilidade vs TED 

A conta salário é muito vantajosa para o trabalhador, que pode receber o seu salário pelo banco sem precisar pagar nenhuma tarifa para isso. A conta é isenta de tarifas bancárias e é aberta pela empresa para depositar o salário dos funcionários. 

Esse tipo de conta serve apenas para ao recebimento do salário. Não é permitido realizar transferência para terceiros e nem depósitos. Ela só aceita o depósito do salário, e feito por parte do empregador. A empresa abre a conta corrente no banco conveniado à mesma. Não é permitido realizar transferência via TED e nenhuma outra forma pela conta salário. Se acontecer, ela perderá a sua característica de conta salário e o banco poderá cobrar as tarifas de conta corrente comum. 

Antes, porém, essa conta acabava obrigando a pessoa a ter que usar aquela determinada instituição. Hoje, porém, isso mudou. Os bancos estão oferecendo atualmente a portabilidade gratuita do salário. O que significa que você pode escolher o banco onde deseja receber o seu salário, sem precisar pagar nada por isso. 

Isso pode ser uma boa solução para o usuário que, com a transferência da conta para outro banco, ele pode ter inúmeras vantagens, como menores taxas de juros, descontos e até isenção total das tarifas cobradas na conta corrente. Em geral, os bancos costumam oferecer taxas de juros bem menores para aqueles clientes que optam por receber o seu salário naquela instituição. 

Como Funciona a Portabilidade do Salário? 

A portabilidade é a transferência do salário para um outro banco da preferência do usuário, feita no mesmo dia e sem a cobrança de nenhuma tarifa. Dessa forma, todo o valor que for depositado na conta salário do usuário, será transferida de forma automática para a outra instituição que ele escolher via TED no mesmo dia, sem nenhum custo. 

Como Solicitar a Portabilidade do Salário? 

É muito simples solicitar a portabilidade. Para isso, é preciso que o usuário tenha conta no banco para onde deseja que seu salário seja enviado. A conta precisa ser de mesma titularidade do empregado. Caso contrário, não será possível fazer a portabilidade.  

Em seguida, é preciso ir à agência do banco conveniado com a empresa e onde o salário está sendo depositado até então, e solicitar a portabilidade total do salário. É preciso levar consigo o nome do banco onde passará a receber o salário, os dados da conta (agência, número da conta), e o tipo de conta (poupança, corrente, etc.). Se preferir, o usuário poderá ir apenas na agência onde deseja receber o seu salário e solicitar a portabilidade. Sem precisar ir ao banco conveniado à empresa. Funciona de forma semelhante ao que acontece nos casos de companhia telefônica, em que o cliente deseja mudar somente de operadora e permanecer com o mesmo número do telefone. 

Vantagens da Portabilidade da Conta Salário 

Confira abaixo as principais vantagens ao solicitar a portabilidade do seu salário: 

• Ao pedir a portabilidade do salário, o usuário tem a chance de conseguir negociar um bom desconto ou, até mesmo, conseguir a isenção total da tarifa cobrada pela manutenção da conta; 

 Tem também a chance de poder receber o seu salário em um banco que oferece as melhores taxas de juros; 

 A portabilidade é gratuita. E o pagamento cairá no mesmo dia que cair no banco de origem, 

 Basta realizar a solicitação uma vez que a portabilidade será feita. Não é preciso pedir todo mês. 

Ninguém precisa mais ficar preso a um banco, e não é mais obrigado a usar o banco onde a empresa tem convênio. Ainda que o salário seja transferido para outro banco, quem continua a processar a folha de pagamento do funcionário é o banco conveniado com a empresa. 

Saí do Emprego – Preciso Fechar a Conta Salário? Vou Pagar Tarifas? 

A grande maioria das empresas prefere realizar o pagamento do salário dos seus funcionários pela conta salário. Isso facilita muito o trabalho, ainda mais de o número de empregados for muito grande. Tanto a empresa quanto os funcionários são beneficiados com essa medida. 

O salário será depositado nessa conta enquanto o empregado estiver trabalhando na empresa. 

Acontece que, quando o empregado sai da empresa, é preciso proceder com o encerramento da conta. Geralmente, esse processo deve ser feito pela empresa, que deve contatar o banco e solicitar o encerramento da conta. Se isso não acontecer, e não houver nenhum depósito nos próximos três meses, o cancelamento da conta será automático. No entanto, é sempre bom conferir se a conta foi encerrada mesmo após esse prazo. 

É muito importante que o funcionário fique atento ao que está estabelecido em seu contrato. Erros podem acontecer. Por exemplo, ao invés de abrir uma conta salário, o banco pode abrir uma conta corrente. Nesse caso, após o desligamento da empresa, é comum as pessoas pensarem que a conta foi encerrada, quando não foi. E as cobranças continuam acontecendo. Em muitos casos, quando a pessoa se dá conta do que aconteceu, já está devendo muito dinheiro no banco. Após um tempo de saldo negativo, o nome do usuário pode ser inserido nos órgãos de proteção ao crédito. 

Por isso, é de extrema importância verificar se a conta foi mesmo encerrada ou não. Só assim é possível evitar uma série de problemas futuros. 

No Caso de Empréstimos e Financiamentos, Como Fica o Encerramento da Conta? 
Se o funcionário se desligou da empresa, mas tem algum empréstimo ou financiamento com o banco, é preciso entrar em contato com o banco e combinar a melhor forma de pagamento, caso seja feito o encerramento da conta. 

Cada banco tem as suas regras em casos como esses. O usuário pode verificar se é possível continuar pagando as prestações na mesma conta sem que haja cobranças, pode tentar quitar o valor total dadívida. Tudo vai depender das regras internas da instituição e também do acordo feito no momento de assinar o contrato. 

De qualquer forma, o encerramento da conta salário não pode fazer com que o usuário se endivide. 

Confira abaixo mais algumas informações úteis sobre a conta salário: 

• Antes de proceder com a abertura da conta salário, esclareça todas as dúvidas que tiver na empresa e no banco. 

• Se o funcionário optar pela portabilidade de salário, não pode haver nenhuma cobrança por esse serviço. E o salário deverá ser transferido de forma automática todos os meses depois de concluída a portabilidade. 

• Não pode haver movimentação na conta por cheque. 

• O funcionário tem direito a 5 saques todo mês e a 2 consultas de saldo. 

• O banco deve oferecer o cartão magnético para a movimentação da conta de forma gratuita. 

Confira abaixo as principais vantagens de uma conta salário: 

• Não há cobrança de taxas.  

• O banco não pode se negar a abrir a conta, uma vez que ela não disponibiliza nenhum tipo de crédito para o empregado. 

• Mesmo que o funcionário esteja com o nome sujo, ele poderá abrir a conta salário. 

• Maior segurança, pois evita que os empregados tenham que sair da empresa levando dinheiro em espécie contigo. 

• Se o empregado desejar, poderá fazer a portabilidade da sua conta salário para o banco da sua preferência. 

• Caso queira, o empregado poderá contratar empréstimos e financiamentos que o banco oferece e o valor poderá ser descontado diretamente no seu salário.

É importante que o funcionário não use a sua conta para outras coisas que não seja o recebimento do seu salário.

Sou Obrigado a Aceitar Descontos no Salário?

Quando trabalhamos com carteira assinada, é comum nos depararmos com os descontos informados em nosso holerite. Geralmente, o valor líquido que recebemos é diferente do valor do nosso salário base, pois recebemos somente após a empresa efetuar todos os descontos necessários, como a Contribuição Previdenciária, o Imposto de Renda Pessoa Física, e vários outros. Esses descontos sempre acontecerão para quem trabalha no regime trabalhista da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). 

No entanto, alguns descontos são obrigatórios e outros são opcionais. E é muito importante saber quais são eles para não ter descontado mais do que deve. 

Descontos obrigatórios: depois que aconteceu a mudança na lei trabalhista brasileira, somente dois descontos passaram a ser obrigatórios. No caso desses descontos, o empregado não tem como optar ou não. Eles serão feitos de todos os trabalhadores que trabalhem de carteira assinado e que se enquadrem na situação que permita o desconto. No caso do INSS, ele é obrigatório para todos os funcionários. Já o Imposto de Renda leva em consideração o salário do empregado. Existe um valor mínimo de salário para que o desconto possa ser feito, independente da opção do trabalhador. 

• Imposto de Renda (IR): o desconto do imposto de renda deve ser feito após serem subtraídos os valores relativos a cada um dos dependentes que é de R$ 189,59 por pessoa, e o valor relativo ao INSS trabalhador. O valor do desconto do Imposto de Renda varia de acordo com o salário. Ou seja, quanto maior for o salário, maior será o desconto. 

• INSS (Instituto Nacional de Serviço Social): o cálculo do INSS é feito com base na remuneração do trabalhador. O valor pode variar entre 8 e 11% do valor total recebido, considerando o valor máximo de R$B 513,01 ao mês. A empresa é responsável por proceder com o recolhimento do valor. 

Descontos Opcionais: além dos descontos acima, existem outros que também podem ser feitos, que estão relacionados aos benefícios que a empresa oferece aos seus empregados. No entanto, a empresa só pode proceder com esses descontos se eles forem autorizados pelo funcionário, mediante assinatura de contrato. Caso contrário, a cobrança não será legal. Esses descontos podem ser referentes à vale-alimentação, ausências, plano de saúde, vale-transporte, e etc. No caso desses benefícios, o empregado pode optar ou não por tê-los. 

Antes da reforma nas leis trabalhistas, o desconto anual da contribuição sindical, que corresponde a um dia de trabalho do funcionário, era obrigatório. Após a reforma, o desconto passou a ser facultativo. Ou seja, o empregado pode optar ou não pelo desconto. 

No caso do vale-transporte, embora seja um desconto opcional, existe um limite máximo permitido que pode ser descontado do salário, que é de 6% do valor concedido. 

Não há um limite máximo para a quantidade de benefícios. Mas há um limite máximo para os descontos feitos na folha de pagamento. Os descontos salariais devem ser de, no máximo, 70% do salário. Ou seja, quem trabalha de carteira assinada deve receber, no mínimo, 30% do seu salário bruto todos os meses. E o valor do desconto feito no salário não pode ser maior que o valor total do benefício. 

Descontos Indevidos: além dos descontos obrigatórios e dos opcionais, existem alguns outros descontos que são proibidos. A empresa não pode descontar do salário do funcionário materiais de uso obrigatório no desenvolvimento da tarefa na empresa. Dentre esses materiais, estão o uniforme, o crachá e equipamentos de proteção individual e coletiva. Agora, se o funcionário estragar o seu uniforme por mau uso, ou perder o seu crachá e for preciso receber outro, a cobrança poderá ser feita. 

É muito importante ficar atento a todos os descontos feitos no holerite. Se identificar alguma cobrança indevida, procure o setor de Recursos Humanos da sus empresa para esclarecer. 

O Banco Negou a Abrir Conta Salário: E Agora?

Quando uma empresa contrata um novo empregado, na maioria dos casos, ela opta pelo pagamento do salário por meio de uma conta salário. Essa medida facilita o trabalho da empresa, pois é muito mais prática. Além de também ser uma forma aumentar a segurança do empregado contra roubo. 

A conta salário é uma conta exclusiva para o recebimento de salário. A empresa que contrata o funcionário é responsável pela abertura da conta em nome do colaborador e somente ela pode transferir dinheiro para essa conta. Que serve também para aumentar a segurança dos funcionários, que não precisam sair da empresa levando dinheiro em espécie consigo. Também é um método mais prático para as empresas. Especialmente se for de grande porte. 

A conta salário não cobra nenhuma taxa, nem tarifa e nenhum valor a título de manutenção da conta do funcionário. A empresa entrega uma carta para o colaborador, que se dirige até a agência que a empresa escolher para abrir a conta. 

Mas e se o banco se negar a abrir a conta? Ele pode fazer isso? O que fazer nesse caso? 

O Banco Pode Se Negar a Abrir a Conta Salário? 

Quando a empresa entrega uma carta para o colaborador se dirigir até o banco, é porque já houve um contato entre o banco e a empresa e ambos já firmaram um contrato, onde estabelecem que todos os funcionários receberão o salário por meio da mesma agência. 

Sendo assim, o banco não pode se negar a abrir a conta salário do empregado que tenha a carta de solicitação da empresa em mãos. 

Se o Funcionário Tiver Dívidas no Banco Ele Pode Descontar da Conta Salário? 

Essa é outra dúvida muito comum: quando o empregado deve exatamente o banco onde a conta salário será aberta. Será que o banco pode descontar a dívida da conta salário do funcionário? 

Essa prática é proibida. O banco não pode descontar dívidas diretamente da conta salário do funcionário. A menos que haja algum acordo entre ambas as partes: banco e empregado. Mas é preciso formalizar o acordo com a assinatura de um contrato para que a cobrança seja legal. 

O Empregado Pode Abrir Uma Conta Salário Mesmo Se Estiver Com o Nome Sujo? 

Mais uma questão muito discutida é sobre o empregado ter restrições em seu nome. Quando a pessoa está com o nome sujo, indica que ele não é um bom pagador e, por algum motivo, não cumpre com as suas obrigações financeiras. 

No entanto, como um direito fundamental e impenhorável, o empregado tem direito a um salário e a usá-lo da forma que julgar melhor. 

Mesmo nesse caso, ainda que o nome esteja sujo, o empregado pode sim abrir uma conta salário, pois essa conta não irá fornecer nenhum crédito para o funcionário. Ela é exclusiva para o recebimento de salário. 

Ela não pode ser usada para outros tipos de depósitos, não permite o uso de cheques, solicitação de empréstimo, nem de cartão de crédito. Dessa forma, o banco está resguardado de problemas quando aceitar abrir uma conta salário para uma pessoa com o nome cadastrado nos órgãos de proteção ao crédito. 

Caso o banco se negue a proceder com a abertura da conta em algumas dessas situações, o funcionário da empresa pode registrar um Boletim de Ocorrência Policial. Em seguida, pode também registrar uma reclamação no site do Banco Central e também no PROCON da sua cidade. 

O banco não pode se negar a abrir a conta salário, mas é preciso que o empregado tenha em mãos a carta de solicitação entregue pela empresa. 

Crédito Pessoal: O Banco Pode Descontar do Salário?

O crédito pessoal é um artifício usado por muitas pessoas para quitar dívidas, principalmente nos dias de hoje com o aumento do custo de vida. 

Para quem não sabe, o crédito pessoal é uma forma de empréstimo que os bancos e as instituições financeiras oferecem sem que haja tantas condições impostas para os clientes. 

Antes de o empréstimo ser autorizado, o cliente passa por uma análise de crédito. Essa análise é feita para que a instituição possa se certificar de que cliente terá condições de pagar o empréstimo. Caso a solicitação seja aceita, o valor será depositado na conta corrente. Pelo fato de ser um tipo de empréstimo mais fácil de ser contratado, ele possui altas taxas de juros, sendo conhecido como um dos mais caros disponíveis no mercado. 

Quem trabalha em empresa pública ou privada pode solicitar o crédito pessoal com desconto da parcela na sua conta salário. O empregado deve se informar no RH da empresa a possibilidade de contratar o empréstimo, que torna necessário um convênio entre a empresa, o sindicato e o banco. 

Vantagens e Desvantagens do Crédito Pessoal 

Confira abaixo as principais vantagens do crédito pessoal: 

• A facilidade e a rapidez que o crédito consignado pode ser obtido são algumas das suas principais vantagens. 

 Muitas das instituições que disponibilizam o crédito pessoal permitem que todo o processo possa ser feito diretamente pela internet. 

 Vários empréstimos pessoais permitem que o montante solicitado possa ser aumentado posteriormente.  

É comum as pessoas se esquecerem dos pontos negativos do crédito pessoal. Agora, confira as desvantagens: 

 A principal desvantagem está na alta taxa de juros. 

 A facilidade em contratar o empréstimo também tem um lado negativo. Uma vez que, devido a essa facilidade, o usuário acaba acumulando dívidas de forma impulsiva. 

 Existe uma enorme competitividade no mercado de créditos pessoais. Por esse motivo, as campanhas publicitárias tornaram-se muito agressivas, levando à indução do consumidor em contratar o empréstimo. 

Como Evitar o Endividamento 

Contratar um empréstimo deve ser sempre a última das últimas alternativas. A gente sabe que o aumento do desemprego acaba forçando uma série de situações que a gente gostaria de evitar, e uma das principais é o endividamento. Mesmo trabalhando, às vezes a pessoa se vê sem condições financeiras para pagar todas as suas dívidas. Nessa hora, o que a maioria das pessoas costuma fazer é contratar um empréstimo. 

Para evitar situações como essa, separamos algumas dicas de como evitar o endividamento. Confira abaixo: 

• Evite gastar toda a sua renda. Sempre reserve uma parte para eventuais imprevistos. O nosso salário não pode ficar todo comprometido com dívidas.

• Reduza tudo o que for supérfluo. Muitas das coisas que nós desejamos, não precisamos de fato. A gente compra muita coisa só por estar na promoção.

• Reúna toda a família e faça um planejamento familiar que envolva a todos. 

• Evite o desperdício e gastos inúteis, como os valores que pagamos de juros quando nos esquecemos de pagar uma conta e temos que arcar com os juros, por exemplo. 

• Não comprometa toda a sua renda com contas. Somente 1/3 da nossa renda pode ficar comprometida. 

• Anote todos os gastos diariamente. Desde o cafezinho até as contas mais caras que pagar no decorrer do dia. 

• Evite o uso descontrolado do cartão de crédito. Pague sempre o valor total da sua fatura. Nunca pague o mínimo e nem parcele a fatura.  

• Não ande com o seu cartão de crédito. A menos que precise realmente usá-lo, deixe-o guardado em casa. 

• Estipule metas para toda a família cumprir. 

• Não faça compras muito caras, mesmo que sejam parceladas. Lembre-se que o seu orçamento ficará comprometido enquanto não quitar a dívida.