Entenda as Siglas do Extrato Bancário: Resumo

Entenda as Siglas do Extrato Bancário: Resumo 

O extrato bancário é um documento de emissão obrigatória pelos bancos. Ele deve ser enviado para o cliente ou estar disponível nos caixas eletrônicos, para quando o cliente quiser consultarO extrato contém várias informações importantes, como o valor total de depósitos, os débitos, os resgates, saques feitos por cartão de crédito, DOCsTEDs, tarifas cobradas pelo banco, pagamento com cartão de débito e os rendimentos do período, caso o cliente tenha direito. 

Uma forma de simplificar a compreensão das informações ali prestadas é por meio de siglas usadas pelos bancos. 

Siglas Usadas Pelos Bancos 

Embora não exista um padrão único que discrimine o extrato bancário no Brasil, algumas siglas são comuns na maioria dos bancos. Para ajudar a esclarecer, vejamos abaixo as siglas usados nos extratos bancários: 

• (+) ou (C): indica que o cliente tem um saldo credor. Que algum valor foi creditado na conta. 

• () ou (D): indica saldo devedor. Demonstra que algum pagamento foi efetuado ou algum custo resultou em um débito na sua conta. 

C/I: serve para indicar que a conta, a que está representada no extrato ou a conta com que o cliente usou para realizar uma transação de débito ou crédito (transferência bancária) é uma Conta Investimento ou Conta Poupança. 

C/Cserve para indicar que a conta, a que está representada no extrato ou a conta com que o cliente usou para realizar uma transação de débito ou crédito (transferência bancária) é uma Conta Corrente. 

DEP. DINH.: indica que um valor em dinheiro foi depositado na conta do cliente. Mesmo que ainda não esteja liberado, devido a necessidade de ser contabilizado pelo banco. 

DEP. CH.: significa que o valor foi depositado em cheque na conta do cliente. Pode ser que o saldo ainda não esteja liberado devido à necessidade de crédito do cheque. 

DEP. ONLINE: nesse caso, pode tanto indicar uma transferência bancária, quanto um depósito por envelope. 

TRANSF. RECURSOS: indica uma transferência bancária com crédito feita em conta da mesma titularidade. 

TB/TED/DOC – PESSOAL/ELETRÔNICO/INTERNET/AGENDADO: indicam transferências bancárias feitas em operações originadas da conta do cliente, ou que sejam destinadas à conta do cliente. 

IOF: significa Imposto Sobre Operações Financeiras. É cobrado sobre operações como uso de cheque especial, empréstimo e transação de câmbio. 

PGTO/PAG/PAGTO/PG COBRANÇA/DA: significam os pagamentos de contas, faturas e boletos pagos no débito direto na conta do cliente. O DA significa as contas que estão no débito automático. 

TRF/TAR: indica a tarifa mensal de pacote de serviços contratos pelo cliente. Em alguns casos, pode estar inclusa também a anuidade do cartão de crédito. 

CADASTRO: alguns bancos costumam cobrar para dar início ao relacionamento.  

ENC: usada quando as tarifas são cobradas com encargos. 

EXCLUSÃO CCF: indica a exclusão do cadastro de emitentes de cheques sem fundos. É cobrado um valor por essa movimentação. 

• 2ª VIA CARTÃO DÉBITO/CARTÃO POUPANÇA/CARTÃO DE CRÉDITO: indica o fornecimento de 2ª via do cartão da poupança, débito ou cartão de crédito. 

SUSTAÇÃO REVOGAÇÃOContra ordem (ou revogação) e oposição (ou sustação) ao pagamento de cheque. 

CHEQUE ADMINISTRATIVO: indica cheque administrativo mesmo. 

FOLHACHEQUE: indica o fornecimento de folhas de cheque. 

CHEQUE VISADO: indica cheque visado. 

SAQUE pessoal/SAQUE terminal/SAQUE correspondente: indica saque de conta de depósito à vista e de poupança pessoal e presencial, correspondente bancário, caixa eletrônico ou terminal. 

EXTRATO mês(P)/EXTRATO mês(E)/EXTRATO mês (C) 

Indica o fornecimento de estrato mensal de conta de depósito à vista, de poupança pessoal ou presencial, caixa eletrônico, terminal, correspondente bancário. 

ADIANT. DEPOSITANTE: indica a concessão de adiantamento a depositante. 

ORDEM PAGAMENTO: indica ordem de pagamento. 

PAGAMENTOCONTAS: pagamento de contas usando o cartão de crédito. 

RETIRADA-País/RETIRADA_Exterior: indica que foi retirado dinheiro usando o cartão de crédito dentro do país ou no exterior. 

AVAL.EMERG CREDITO: indica avaliação emergencial de crédito. 

• COMPRACÂMBIOespécie/COMPRACÂMBIOcheque/COMPRACÂMBIOprépago: indica compra de câmbio em espécie, cartão pré-pago ou cheque de viagem. 

• VENDACÂMBIOespécie/VENDACÂMBIOcheque/VENDACÂMBIOprépagoemi: indica a venda câmbio em espécie, cartão pré-pago ou cheque de viagem. 

Depósito Desconhecido na Conta – O Que Fazer Com Dinheiro Não Identificado

Depósito Desconhecido na Conta – O Que Fazer Com Dinheiro Não Identificado

Quem nunca ouvir dizer que recebeu um depósito em sua conta sem saber a sua origem? Ou mesmo que alguém ouviu dizer que isso aconteceu com alguém? Na hora de depositar um valor, a gente sempre se preocupa se o valor vai cair na conta certa. E, caso caia na conta errada, o que dever ser feito. Esse tipo de situação é mais comum de acontecer do que a gente pensa.

O que fazer nessa situação? Usar o dinheiro? Procurar o seu verdadeiro dono? E se você usar e, logo em seguida, for cobrado judicialmente pelo valor? Essa é uma hipótese bem provável de acontecer e você pode ser até acusado de crime de usar um dinheiro desconhecido, mesmo que ele esteja na sua conta. Por isso, daremos mais detalhes sobre esse tipo de situação, e o que você precisa fazer se isso acontecer com você.

Gastar ou Não Um Depósito Desconhecido Que Caiu Em Sua Conta?

O primeiro impulso é de gastar logo o valor, pagar uma dívida, usar de alguma maneira. Antes que o verdadeiro dono apareça. Mas, será que isso pode ser feito? Não seria um desvio de conduta agir dessa maneira?

Se você receber um depósito desconhecido em sua conta, a melhor alternativa é não gastar. Usar um valor que você não sabe qual a origem, ainda que tenha sido depositado em sua conta por erro ou por acidente, pode configurar crime de apropriação indébita, acordo com o artigo 168 do código penal.

O correto a se fazer é investigar o motivo e o verdadeiro dono do dinheiro.

Como Descobrir a Origem do Valor Depositado?

Siga os passos abaixo para tentar localizar o verdadeiro dono do dinheiro:

  • Se o valor caiu na conta por uma transferência bancária, então a origem é mais facilmente descoberta. Por meio do CPF ou do CNPJ de quem depositou. No caso de uma empresa, você consegue facilmente o contato por meio da internet.
  • Em um primeiro momento, verifique com parentes e pessoas mais próximas para se certificar de quem não foi nenhuma dessas pessoas quem realizou o depósito sem comunicar.
  • Verifique na empresa em que trabalha se não foi pago nenhum valor, como bônus, por exemplo, para os funcionários.
  • Se possui clientes, verifique se algum deles está devendo algum valor por algum serviço feito ou algum produto, e fez algum depósito sem avisar.

Se você não conseguiu o contato do depositante, algumas medidas precisam ser observadas. Confira:

  • Registre um boletim de ocorrência;
  • Converse com o gerente e informe o que aconteceu. Deixe-o a par da situação;
  • Peça que o seu gerente contate o responsável pela transferência ou do depósito identificado. Assine um termo reconhecendo que tentou, junto com o seu gerente, identificar a origem do depósito.
  • Procure um advogado e mostre-o toda a documentação, assim como o termo que assinou junto com o gerente, afirmando desconhecer a origem do depósito. Além do mais, é preciso que você se resguarde de financeiros e também legais.

Por que é Importante Saber a Origem de Um Depósito?

Tomando todas as medidas para identificar o depositante, você se resguarda de inúmeros problemas que possam vir a surgir. Além do crime que informamos acima, de apropriação indébita, você pode ser vítima de um assalto, ser considerado um criminoso, e muito mais.

É sempre recomendável não usar nada do dinheiro, e procurar de todas as formas identificar o verdadeiro dono. É a maneira mais correta e ética de agir. Quase sempre os bancos conseguem identificar o depositante do valor. Não deixe de avisar sobre o que aconteceu.

 

Quais os Melhores Bancos Para Abrir Uma Conta Corrente

Quais os Melhores Bancos Para Abrir Uma Conta Corrente

Você tem uma conta corrente? Hoje em dia, ter uma conta corrente é uma forma de tornar as coisas mais práticas no nosso dia a dia. Ela possibilita a movimentação de recursos de forma mais fácil e também permite o recebimento de salário

Hoje em dia, é muito simples abrir uma conta corrente. Iremos te mostrar o passo a passo para a abertura da conta, e também te ensinaremos a escolher o melhor banco para se tornar um correntista.

Vantagens de Uma Conta Corrente

Uma pergunta muito comum é se realmente vale a pena abrir uma conta corrente. Resumidamente, a conta corrente permite ao usuário solicitar empréstimo, solicitar cartões de crédito, pedir folhas de cheques, pagar boletos, receber depósitos e ter o dinheiro disponível a qualquer momento, ou seja, p cliente pode realizar depósito e saque a qualquer hora.

Além do mais, ter uma conta corrente é bom para que o usuário crie um relacionamento com a instituição financeira e tenha a possibilidade de poder negociar melhores taxas de juros ao contratar um empréstimo ou solicitar um financiamento de um imóvel ou de um veículo. Também permite a emissão de cartão de crédito e a utilização do limite especial.

Como Escolher o Melhor Banco Para Abrir Uma Conta Corrente?

É possível encontrar inúmeras instituições financeiras oferecendo esse serviço aqui no Brasil. E isso é algo bom para o usuário, que tem mais opções de escolher, uma vez que o mercado se torna competitivo e as instituições precisam oferecer sempre as melhores condições possíveis para conquistar um cliente. Para conhecer as tarifas praticadas por cada banco e conhecer tudo sobre eles, é aconselhável acessar o site de cada um e fazer uma avaliação.

No momento de definir qual o melhor banco, é importante analisar algumas variáveis, como as taxas e as tarifas, a disponibilidade de caixa eletrônico, a localização das agências, as vantagens que cada um oferece, a qualidade no atendimento, as reclamações que cada um possui e os serviços online.

Mas é bom lembrar que cada pessoa considera uma variável mais importante para o seu caso do que outra. Portanto, definir o melhor banco se torna uma questão mais particular, variando conforme a necessidade de cada cliente. Vejamos um pouco mais sobre cada variável.

  • Taxas e Tarifas: o Banco Central autoriza que os bancos cobrem tarifas para a manutenção da conta, para a abertura, e também pelos produtos e serviços que o cliente solicitar.
  • Caixas Eletrônicos: é importante que o banco que no qual o usuário é cliente conte com caixas eletrônicos próximos ao ambiente em que convive e outras unidades espalhadas pelas regiões.
  • Localização das agências: também é conveniente escolher um banco que possua agência próximo ao seu trabalho ou a sua casa. Caso precise resolver alguma questão, fica mais fácil, e não precisa se deslocar para longe.
  • Vantagens: os bancos costumam oferecer vantagens para se diferenciar dos demais e atrair novos clientes. Veja quais são mais atrativas e vantajosas para você na hora de escolher.
  • Qualidade no atendimento: esse é outro ponto importante. Ninguém gosta de ser maltratado e nem de perceber um descaso na hora de resolver uma questão. Por isso, analise a qualidade no atendimento.
  • Reclamações: pergunte aos seus conhecidos e use a internet para te ajudar nessa questão. Hoje em dia, é possível encontrar informações sobre tudo na internet, e sobre os bancos não seria diferente. Existem sites especializados e através do site do Banco Central também é possível ter acesso às principais reclamações.
  • Serviços Online: a internet está presente em nosso dia a dia em, praticamente, tudo o que fazemos. Por isso, é possível realizar diversos serviços bancários através do internet banking. Um serviço que faz toda a diferença na vida das pessoas.

Quais as Diferenças Entre Poupança e Conta Corrente?

Quais as Diferenças Entre Poupança e Conta Corrente?

Quando vamos abrir a nossa primeira conta no banco, temos várias dúvidas. E uma delas é sobre a diferença entre conta corrente e conta poupança, qual é mais vantajosa, quais os custos de cada uma, etc. É importante que a pessoa tenha em mente o que ela vai precisar da sua conta, para evitar problemas e custos desnecessários. Hoje em dia é muito mais fácil obter informações antes de abrir uma conta. Por isso, hoje vamos explicar as principais diferenças que existem entre as duas opções para ajudar nessa tarefa. Continue lendo.

O Que é Uma Conta Poupança e Como Funciona?

A conta poupança, ou caderneta de poupança, como também é conhecida, é uma conta que tem como função principal guardar dinheiro. É uma opção de investimento mais usada no país e também apresenta baixo risco. Ela é a mais indicada para quem deseja poupar, guardar dinheiro. Embora o rendimento mensal da caderneta de poupança seja baixo, ele tem a vantagem de ser garantido. O cálculo do rendimento é feito da seguinte maneira:

– Se a taxa SELIC estiver igual ou inferior a 8,5% ano: 70% da taxa SELIC + TR

– Se a taxa SELIC estiver acima de 8,5% ao ano: 0,5% + TR

A conta poupança permite que o cliente possa resgatar o seu valor no momento que desejar. Não cobra nenhuma taxa, e o cliente pode consultar o seu saldo sempre que desejar pela internet, pelos caixas eletrônicos, em caixas 24 horas e casas lotéricas. Antes de sacar o valor, é importante se atentar para a data de aniversário da conta, para não perder o rendimento daquele mês.

O Que é Uma Conta Corrente e Como Funciona?

A conta corrente também é uma opção bem comum entre os brasileiros. Mas sua finalidade é mais comercial. Para abrir esse tipo de conta, a pessoa precisa ter mais de 18 anos de idade, assinar um contrato, comprovar o endereço e a renda.

A conta corrente é comumente usada para receber e realizar pagamentos por meio de cartão de crédito e débito, ou internet banking.

Ao contrário da caderneta de poupança, para ter uma conta corrente, o cliente precisa pagar uma taxa mensal. Essa taxa servirá para cobrir os serviços que o correntista tem direito. Quanto mais serviços o cliente tiver disponíveis em sua conta, maior será o valor dessa taxa.

A conta corrente oferece vários serviços para o cliente, como cartão de crédito, cartão de débito, cheque, DOC e TED, crédito pessoal online, internet banking e extrato mensal.

O cartão de débito pode ter também a função de crédito, caso o cliente desbloqueie essa função. Esse cartão possibilita realizar muitas transações através de caixas eletrônicos, internet, caixas eletrônicos, postos de atendimento e caixas 24 horas.

A conta corrente ainda possibilita ao cliente o acesso a vários serviços. Confira abaixo:

  • Contratar a corretora do próprio banco e poder realizar vários investimentos.
  • Pagar contas usando o débito automático.
  • O cliente tem acesso a financiamento, consórcio e contratar empréstimo.
  • Contratar seguro.

Diferenças Entre Conta Corrente e Conta Poupança

Existem muitas diferenças entre as duas contas. Cada uma possui suas próprias características. A escolha entre uma e outra vai depender da necessidade de cada cliente.

A conta poupança é indicada para as pessoas que querem guardar o seu dinheiro de forma segura e, ainda por cima, ter um rendimento mensal. Por ser um investimento de baixo risco, é o investimento ideal para quem gosta de segurança.

A conta corrente é a mais indicada para as pessoas que precisam realizar e receber pagamentos. É a maneira mais segura de realizar essas operações.

Conta de Falecido Com Dinheiro no Banco: Como Proceder

Conta de Falecido Com Dinheiro no Banco: Como Proceder

Perder um ente querido é uma situação muito triste e pela qual ninguém deseja passar. Além da tristeza da perda, os familiares ainda precisam cuidar da parte burocrática, como é o caso de heranças, por exemplo.

Quando alguém morre deixando uma herança, essa precisa ser dividida entre os seus herdeiros. A herança pode ser em imóveis, investimentos, automóveis, poupança e contas correntes. Dessa forma, os valores em dinheiro seja qual for o banco e tipo de conta entram na partilha e ficam à disposição dos herdeiros para saque e partilha.

Os Herdeiros Podem Sacar Dinheiro na Conta de Um Falecido?

Sim. Mas isso requer alguns cuidados. Os herdeiros não podem sair sacando valores de forma indiscriminada, pois isso pode resultar em um crime. O processo para sacar o valor não é algo muito simples.

Se os herdeiros realizarem retirada de valores da conta individual de um falecido antes que seja feita a partilha dos bens e o inventário, sem que haja autorização da justiça, essa atitude pode ser considerada como um crime de dilapidação de bens. Se alguém realizar a retirada nessas circunstâncias, deverá ressarcir todos os demais herdeiros posteriormente, caso haja mais pessoas beneficiadas.

Agora, caso a conta do falecido seja conta conjunta solidária, o outro titular pode sim sacar o valor disponível sem a necessidade de um inventário ou de autorização judicial. Em contrapartida, se for conta conjunta não-solidária ou simples, o valor não pode ser sacado. Nesses casos, os valores disponíveis serão bloqueados até o fim do inventário.

Quem pode sacar o dinheiro da conta de um falecido?

Para sacar o valor em uma conta de pessoa falecida, a pessoa ser legalmente autorizada, maior de 18 anos e também capaz perante a lei.

Como é Feito o Saque Em Conta de Quem já Morreu?

Após a morte de um ente querido, caso ele tenha deixado heranças, a família precisa buscar por um advogado para iniciar o processo do inventário e dar início à partilha dos bens. Assim como resolver todas as questões relacionadas com o falecimento da pessoa. A entrada no inventário pode ser feita diretamente em um cartório, no prazo de até 30 dias após o falecimento. No entanto, a melhor opção é procurar orientação de um advogado especialista na área, pois ele saberá orientar os familiares em todo o processo, sobre o que precisa ser feito o levantamento de todas os investimentos da pessoa, sobre a divisão entre herdeiros, e tudo o que envolve o processo de inventário. Após o término odo inventário, o juiz então decidirá como acontecerá a partilha dos bens entre os herdeiros, e pode, até mesmo, nomear um procurador para se dirigir à instituição financeira, de posse da decisão judicial, para realizar o saque do valor disponível nas contas do então falecido e dividir entre os seus herdeiros.

Os prazos para o fim do processo de inventário podem levar cerca de 60 dias para serem finalizados. Porém, esse prazo pode ser prorrogado em situações específicas e judiciais, podem chegar a até 12 meses. No entanto, se os valores forem usados para suprir os gastos com o inventário, o levantamento poderá acontecer imediatamente.

Mas Como os Familiares Saberão Em Qual Banco o Falecido Tinha Conta?

Por meio de um pedido judicial, o Banco Central fornecerá o acesso ao Registrado, onde será possível ter acesso às informações do SCR, Sistema de Informações de Crédito do Banco Central, e também do CCS, ou Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional da pessoa que morreu, onde encontra-se o registro de todas as contas abertas e encerradas do falecido, assim como os dados da conta, as datas e os nomes das instituições.

 

Como Funciona a Conta Caixa Fácil

Como Funciona a Conta CAIXA Fácil

Ter uma conta bancária é muito importante. O problema são as altas taxas praticadas pelos bancos. Uma novidade, porém, vem ganhando destaque. Trata-se da Conta Caixa Fácil. Nesse tipo de conta, os serviços básicos são isentos de tarifas, e até a forma de abertura é mais fácil que qualquer outro tipo de conta. É uma excelente alternativa para quem deseja ter uma conta sem os altos custos de outras modalidades, para pessoas que não realizam muitas transações e que não precisam movimentar altas quantias.

Veremos os procedimentos para a abertura de uma Conta Caixa Fácil, como quem pode abrir, suas vantagens, e suas peculiaridades.

Como abrir uma Conta CAIXA Fácil?

É muito fácil abrir uma Conta Caixa Fácil, basta comparecer à uma agência da Caixa Econômica Federal, em uma casa lotérica ou ainda em pontos do Caixa Aqui, levando consigo o RG e o CPF. Para abrir esse tipo de conta, não é preciso comprovar a renda e nem levar um comprovante de residência.

Após a abertura da conta, o cliente receberá em sua casa o cartão da conta, que poderá ser um cartão de cartão de crédito, após uma avaliação de crédito. Nesse caso, sendo aprovado, o cliente receberá um cartão MasterCard CAIXA Fácil.

Quem pode ter uma CAIXA Fácil?

Qualquer pessoa com 16 anos ou mais pode ter uma Conta Caixa Fácil. As pessoas com idade entre 16 e 18 anos precisam estar acompanhadas de um representante legal no momento da abertura da conta. A única restrição é de que essa pessoa não tenha outra conta corrente na Caixa Econômica ou em outro banco. Com essas condições, todo interessado pode abrir a conta CAIXA Fácil seguindo as instruções mencionadas acima. Não se esqueça de apresentar seu CPF e RG.

Imediatamente a abertura da conta estará pronta. E é finalizada após o cadastramento da senha.

Como Realizar Depósito na Conta CAIXA Fácil?

Existem duas maneiras de realizar depósitos nessa conta. Confira:

  • Depósito em dinheiro: pode ser feito nas agências da Caixa ou nos correspondentes bancários.
  • Depósito em cheque: pode ser feito somente nas agências da Caixa.

A Conta CAIXA Fácil Tem Limite de Movimentação?

O valor máximo do saldo nesse tipo de conta é de R$ 3.000,00. Não pode haver nem mesmo depósito ou transferência que ultrapasse o valor limite.

A pessoa que tenha uma Conta Caixa Fácil não pode movimentar mais que R$ 3.000,00 em sua conta.

Tarifas Cobradas

Na Conta Caixa Fácil, não há cobrança de tarifas nem para a abertura, nem para a manutenção da conta e nem mesmo para consulta de saldo. O cliente está isento de qualquer cobrança até o quarto saque ou extrato. A partir do quinto saque ou solicitação de extrato realizados em um mesmo mês, serão cobradas algumas tarifas conforme a tabela vigente.

Como Faço Para Consultar o Saldo?

A consulta de saldo é gratuita. Para isso, basta que o cliente se dirija aos caixas eletrônicos, internet banking ou mesmo aplicativo para celular, sendo que esses recursos também podem ser usados para a realização de outros serviços na conta também.

A Conta CAIXA Fácil é Considerada Uma Conta Poupança?

Uma conta poupança tem, todo mês, um certo rendimento. Além do mais, não cobra nenhuma taxa. Já a Conta Caixa Fácil, embora não cobre tarifas, ela também não rende nenhum valor mensal para o cliente. Por isso, ela é uma conta corrente semelhante as outras.

É uma ótima opção para quem não realiza muitas movimentações mensais, e que dispõe de um valor menor. Ela conta com uma abertura muito simples e sem nenhuma burocracia.

Eu Consigo Transferir a Minha Conta Para Outra Agência na Mesma Cidade ou em Outra Cidade?

Não. A transferência não é possível. O que o cliente pode fazer é abrir uma nova conta na agência que deseja, transferir os valores e encerrar a conta anterior. Se preferir, mesmo que a pessoa se mude de cidade, pode continuar movimentando a sua conta através dos canais de atendimento da Caixa.