Qual o Prazo de Bloqueio Judicial da Conta? 

Qual o Prazo de Bloqueio Judicial da Conta? 

Em algumas situações, a justiça determina o bloqueio da conta bancária de uma pessoa, que fica impedida de realizar qualquer movimentação na mesma. O banco em si, não tem qualquer responsabilidade sobre o bloqueio. Ele não pode tomar nenhuma decisão quanto a conta do cliente. E muito menos realizar qualquer tipo de operação sem a autorização do titular. Porém, como dissemos, a justiça pode solicitar o bloqueio e impedir a movimentação da conta. Nesse caso, o banco só tem a obedecer a determinação judicial. Porém, para que o bloqueio seja possível, é fundamental que o processo todo siga as regras determinadas pelo Banco Central. 

Como Acontece o Bloqueio Judicial 

O Bacen é o responsável por receber os pedidos de bloqueio que, em grande parte, são enviados pelo Poder Judiciário. Após o recebimento, a solicitação passa por uma análise e, depois, uma ordem é enviada à rede bancária com relação ao pedido. Em seguida, o bloqueio é feito de forma automática, uma vez que se refere a um pedido legal. E não é só isso. Se o juiz achar necessário, ele poderá solicitar informações sobre transferências feitas pelo titular da conta, sobre os valores, sobre saldo, extrato, mudança de endereço, comunicação sobre falência e sobre extinção de conta. Porém, nenhum desses processos é feito de forma direta com o banco. As solicitações passam pelo Banco Central, onde o setor responsável faz o pedido e procede com o repasse das informações. 

Quanto Tempo Dura o Bloqueio Judicial? Como Desbloquear Uma Conta Corrente?  

Antes de acontecer o bloqueio judicial, o titular da conta é informado. E o bloqueio sempre tem alguma razão para acontecer. Para que o desbloqueio possa ser feito, é preciso que o titular cumpra com as obrigações que deram origem ao bloqueio. Além do mais, é preciso aguardar até que o banco ou a instituição financeira receba uma notificação formal da justiça, autorizando o desbloqueio. Sem a autorização, o banco não pode fazer nada. 

Dessa forma, após o titular quitar as suas obrigações, o juiz emite uma solicitação ao Banco Central que, por sua vez, envia para o banco.  

Todos Os Recursos Financeiros Podem Ser Bloqueados? 

Alguns bens da pessoa não podem ser bloqueados. Por lei, o salário, a aposentadoria, as pensões, são exemplos de bens que não podem ser penhorados, pois representam recursos que são usados para o sustento do cidadão. Somente em casos de dívida alimentar, é que o indivíduo pode ter até 50% do seu salário líquido bloqueado, ou em casos em que o salário seja superior a 50 salários mínimos. 

caderneta de poupança também é um bem que a lei protege sendo, portanto, considerada como um bem impenhorável também. No entanto, a proteção é válida somente para conta poupança com até salários mínimos. Ainda que o dinheiro esteja depositado em contas diferentes. 

Outros bens considerados impenhoráveis são as utilidades domésticas de pequeno valor, objetos de uso pessoal de baixo valor e também vestuário. Os itens necessários ao exercício da profissão também não podem ser penhorados, como veículos, e etc. 

Se o indivíduo tiver uma única residência em seu nome, e for a mesma onde vive, ela também é considerada como um bem impenhorável. Inclusive, muitas pessoas têm essa dúvida quando são acionadas pela justiça. Se podem ter a sua casa penhorada. 

Hoje em dia, as pessoas já estão mais familiarizadas com o termo “bloqueio judicial”. E também é possível encontrar informações a respeito em toda parte.  

O bloqueio é uma medida que o juiz pode solicitar a qualquer momento, tanto para grandes causas, quanto para pequenas. É uma forma de garantir o pagamento de uma determinada dívida. 

O Que é Favorecido? Vale a Pena Cadastrar?

No sistema bancário, quando a gente se depara com alguns termos, costumamos ficar um pouco confusos. A gente até imagina o que possam significar, mas, nem sempre, temos certeza. Um desses termos é “favorecido”. Esse termo nada mais é do que a pessoa que recebe algum pagamento, como uma transferência bancária, o pagamento de um boleto. É a pessoa que foi beneficiada. O favorecido pode ser tanto uma pessoa física quanto uma pessoa jurídica.  

Quando for realizar algum pagamento, é muito importante sempre conferir se o nome do favorecido no boleto, por exemplo, condiz, de fato, com a cobrança que está sendo feita. 

Cadastro de Favorecido no Banco 

Nós cadastramos algum favorecido no banco quando realizamos transferência vez ou outro ou sempre para o mesmo. Esse cadastro é feito informando o nome da pessoa e os dados da sua conta. A grande parte dos bancos do Brasil já trabalham com esse tipo de cadastro. Em alguns bancos, inclusive, é preciso cadastrar o favorecido antes mesmo de realizar a transferência. 

Muitas pessoas se perguntam sobre a real necessidade de ter um favorecido cadastro. Um dos motivos mais importantes é a segurança que essa prática gera. Certos bancos só aceitam que a transferência seja feita para um favorecido já cadastrado. Em outros bancos, é comum haver um limite diário de valores para uma transferência para um favorecido não cadastrado. Essas atitudes ajudam a limitar perdas no caso de fraudes. 

Além do mais, essa prática oferece mais comodidade para o titular da conta que irá realizar a transferência. Quando já temos o favorecido cadastrado, não há necessidade de ficarmos informando sempre todos os dados do mesmo, como CPF, dados da conta, nome completo, e etc.  

Como Cadastrar um Favorecido no Banco? 

Temos duas maneiras de realizar o cadastro. Uma é por meio do internet banking. Para isso, é preciso ter algumas informações sobre o favorecido, como: 

  • Dados bancários, como agência, número da conta e tipo da conta (se conta corrente ou poupança);
  • CPF/CNPJ do titular da conta favorecida
  • Nome ou código do Banco ou instituição financeira

A outra maneira de cadastrar um favorecido é pelo caixa eletrônico. Alguns bancos também podem disponibilizar essa opção pelo SAC do banco. Basta ligar no SAC do seu banco para se certificar se ele permite. 

Vale a Pena Cadastrar Um Favorecido? 

Em geral, todas as formas de aumentar a nossa segurança são bem-vindas. Algumas pessoas costumam reclamar um pouco do grande volume de medidas de segurança. E podem até deixar de fazer algum tipo de transação para evitar a burocracia. Porém, se pensarmos pelo lado prático, o cadastro de favorecido, por exemplo, acaba facilitando as coisas, pois ele só pede os dados da pessoa uma única vez. Agora, se não houver o cadastro, aí sim o trabalho será maior. 

Além do mais, como dissemos, uma vez que alguns bancos só permitem transferências para contas cadastradas ou limitem o valor para favorecidos não cadastrados, também acaba impedindo que bandidos saquem todo o valor que você tiver na conta. 

E o melhor: o cadastro é gratuito. 

Em geral, todas as pessoas querem mais praticidade no dia a dia. Principalmente no que diz respeito aos serviços bancários. Pensando nisso, os bancos e as instituições financeiras investem em tecnologias para tornar os canais de atendimento ao cliente mais ágeis, sempre aumentando a segurança. E o cadastro de favorecidos pode ser visto como uma dessas facilidades nos dias de hoje.  

Com o avanço da tecnologia, hoje nós podemos realizar inúmeras tarefas, que antes só poderiam ser feitas em uma agência bancária, sem precisar sair de casa. Dessa forma, podemos ver esse serviço como mais uma facilidade para tornar as nossas tarefas ainda mais práticas. 

Como Descobrir Seu Limite de Saque Diário, Semanal e Mensal?

Em algum momento, a gente sempre precisa realizar algum saque. Mesmo que a grande maioria das pessoas esteja usando o débito automático, ou internet banking para pagar as suas contas, a gente não gosta de ficar sem um pequeno valor em dinheiro para alguma necessidade. 

Com isso, quando vamos sacar algum valor, é comum nos depararmos com uma mensagem informando que o valor solicitado excede o limite de saque diário.  

Embora muita gente não goste, a determinação de limite diário é muito importe. Esse limite é determinado pelo banco por vários motivos, como uma medida de segurança, por exemplo. Imagine que você seja assaltado. Se o ladrão pedir que você saque dinheiro, você não terá como retirar mais que o limite permite. Além do mais, se o limite de saque diário fosse muito alto, os caixas eletrônicos ficariam sem dinheiro rapidamente. E os bancos teriam mais trabalho para repor.  

Além do mais, segundo o que informa o Bacen, o limite é importante para preservar a integridade, a confiabilidade e também o sigilo das transações realizadas pelo cliente. 

O mais indicado é sempre verificar qual o seu limite de saque diário disponível em sua conta para evitar problemas. Em geral, os bancos costumam flexibilizar os valores de acordo com o perfil do cliente. Para aqueles que realizam saques de valores muito altos, o limite costuma ser um pouco maior. Os valores podem variar de um banco para outro. Como não existe uma regra a ser seguida nesse sentido, os bancos podem definir um limite máximo de saque em caixas eletrônicos. 

Como Descubro Meu Limite de Saque Diário, Semanal e Mensal? 

Para resolver essa questão e descobrir quais os limites de saques em caixas eletrônicos, o cliente pode ligar na Central de Atendimento ao Cliente que eles podem informar os limites disponíveis. O número vem impresso na parte traseira do cartão. Também é possível obter essa informação nos aplicativos de celular e pelo internet banking. 

É Possível Alterar o Limite de Saque? O Que Devo Fazer? 

A resposta é sim. O cliente que desejar, poderá solicitar ao seu gerente, ou a um atendente que aumente o seu limite de saque diário, de forma que atenda melhor às suas necessidades. Para as contas digitais, é possível seguir com a solicitação pelo aplicativo do banco, em uma área reservada para o contato com o gerente da sua conta. 

Quem precisar sacar um valor maior do que o limite disponível, deverá se dirigir pessoalmente à uma agência bancária, levando consigo o cartão da conta e um documento de identidade válido, com foto, e solicitar o saque. 

Limites de Saques de Alguns Bancos 

Confira abaixo os limites disponíveis de saque em alguns bancos: 

  • Caixa Econômica Federal: o limite de saque para os clientes da Caixa Econômica varia entre R$ 1.000,00 e R$ 1.500,00. Durante a noite, o valor é reduzido para R$ 300,00, das 22:00h às 06:00h. Finais de semana e feriado, o valor disponível é de para saque em casa lotérica é de R$ 50000. E a Caixa possui ainda um limite de transações, além do limite de valor. São permitidos apenas 3 saques por dia, seja qual for o canal usado pelo cliente. 
  • Santander: o limite varia conforme o perfil do cliente, o tipo da conta, se há ou não o cadastro da biometria, etc. Os valores variam entre R$ 800,00 e R$ 1.500,00 por dia, quando os saques são feitos em caixas eletrônicos de 06:00h às 22:00h. Já para os saques feitos durante a noite, o valor disponível é de R$ 300,00.
  • Bradesco: para saques com o uso do dispositivo de segurança, em conta corrente, de 06:01h às 21:59h, o valor diário disponível é de R$ 1.000,00. Para saques sem o dispositivo de segurança, em conta poupança, corrente e cartão empresa, considerando os mesmos horários, o valor é de R$ 800,00. 
  • Itaú: a maioria dos clientes possuem um limite diário disponível de R$ 700,00, para saques realizados entre às 06:01h e 21:59h. Para saques entre às 22:00h até às 06:00h, o valor cai para R$ 300,00.

Como Não Pagar Tarifa de Manutenção de Conta Corrente

Quando temos uma conta corrente tradicional, é comum pagarmos mensalmente um valor pelo pacote de serviços. E esse valor é debitado diretamente na nossa conta. Nem sempre nós usamos todos os serviços contidos no pacote. Mesmo assim, acabamos pagando por todos eles. 

Para quem ainda não sabe, os bancos possuem um pacote de serviços essenciais, onde não há cobrança por nenhuma transação. Esse pacote conta com um certo número de produtos. Por isso, ao abrir uma conta corrente, o consumidor tem o direito de escolher o pacote que deseja. O importante é que o pacote escolhido atenda às necessidades do cliente. Em muitos casos, os pacotes de serviços essenciais são mais do que suficientes. 

Como Faço Para Mudar Para o Pacote de Serviços Gratuitos? 

Se desejar migrar para o pacote de serviços gratuitos, basta cancelar a cesta de serviços que possui em sua conta. Automaticamente, você estará aderindo ao pacote gratuito de serviços. Se, por algum motivo, o banco resistir em mudar o seu pacote, o cliente pode procurar o PROCON ou registrar uma reclamação no Banco Central do Brasil. Todo consumidor pessoa física tem o direito de ter uma conta gratuita em qualquer banco, se assim o desejar. 

Quais os Serviços Disponíveis no Pacote de Serviços Essenciais Gratuitos? 

O banco deve sempre oferecer para o cliente pessoa física a opção de contratar ou não o pacote de Serviços Essenciais Gratuitos (não é válido para contas jurídicas). O titular da conta pode escolher pelo pacote gratuito tanto no momento da abertura da conta, como em qualquer momento que desejar. Basta solicitar. Confira abaixo os principais serviços oferecidos na cesta de serviços grátis: 

  • 4 saques por mês em caixas eletrônicos ou na agência;
  • 10 folhas de cheque;
  • Cartão de débito;
  • Pagamento de contas e de boletos bancários pela internet ou caixa eletrônico sem custo;
  • 2 extratos no caixa eletrônico;
  • Compensação sem custo de cheque;
  • Fornecimento de 2º via de cartão gratuita, quando o cliente não pedir;
  • 2 transferências entre contas do mesmo banco, da mesma agência ou de agências diferentes;
  • Fornecimento de extrato consolidado anual contendo todas as tarifas e taxas cobradas,
  • Consulta ilimitada de saldo e extrato pelo celular e pela internet.

OBS: é importante frisar que, no pacote de serviços essenciais gratuitos, a transferência via DOC e TED não é gratuita. 

Como podemos perceber, os serviços oferecidos por esse pacote já são suficientes para suprir as necessidades básicas da grande maioria das pessoas.  

Ao exceder a quantidade de serviços descritos acima, será cobrado um valor conforme a tabela de tarifas praticada pelos bancos. Fique atento à todas as transações que realizar para não exceder o limite gratuito. 

Conta Digital Gratuita e Ilimitada 

Ao contrário da conta de Serviços Essenciais, em que o Banco Central obriga os bancos a oferecerem aos seus clientes, a Conta Digital não é um serviço obrigatório. Ou seja, o banco tem o direito de decidir se oferece ou não esse serviço. 

O seu diferencial é que não há limites para as transações feitas por meio dos canais eletrônicos, como é o caso de caixas eletrônicos, de internet banking, app de celular, telefone, dentre outros. Até mesmo as transferências via DOC e TED são gratuitas e ilimitadas, desde feitas através desses mesmos canais eletrônicos. 

Alguns bancos já permitem que a conta digital seja aberta até pela internet. Um exemplo de Conta Digital totalmente digital e ilimitada é a Intermedium. A abertura dessa conta pode ser feita totalmente pelo aplicativo para smartphone (Android e iOS). E muitos também já oferecem a conta digital sem cobrar nenhuma tarifa de manutenção. 

O Banco Pode Mexer na Conta Sem Autorização?

Essa é uma dúvida que grande parte dos brasileiros ainda têm. E o principal motivo de tamanha desconfiança é o fato de o ex-presidente Fernando Collor ter congelado as contas poupanças dos brasileiros bem no início da década de 90.  

Essa atitude deixou a população com uma pulga atrás da orelha quando o assunto é guardar o dinheiro no banco. As pessoas ainda ficam com medo de terem o seu dinheiro confiscado pelo Governo. 

Por conta disso, até hoje existem pessoas que não guardam dinheiro no banco. 

Mas o fato é que hoje, não existe mais a possibilidade de as contas serem bloqueadas. Há regras as quais os bancos e as instituições financeiras estão sujeitos, e elas existem para garantir a segurança dos consumidores. 

Não é permitido aos bancos e às instituições financeiras retirarem dinheiro da conta do cliente sem o a sua autorização. 

Ao nos tornarmos clientes de um banco, a gente usa alguns serviços financeiros que podem estar sujeitos à cobrança de algumas tarifas. Por isso é que algumas pessoas se esquecem e acabam pensando que o banco está realizando uma cobrança indevida. Por isso, o ideal é conferir atentamente todos os detalhes do seu contrato antes de acusar o banco. 

Posso Ter o Salário Retido Para Pagar Uma Dívida? 

Essa é outra dúvida bem comum. Principalmente quando a pessoa tem uma conta salário. Nem o banco e nem instituição financeira podem reter o salário do cliente para pagar dívidas. Só é permitido realizar algum desconto quando o cliente tiver contratado algum empréstimo consignado ou financiamento. 

Sendo assim, ainda que a conta do cliente esteja negativa e o salário cair, nenhum valor poderá ser descontado dele. 

É Permitido ao Banco Descontar Dívida em Conta Corrente ou Poupança? 

Ao contrairmos uma dívida, seja um empréstimo, financiamento, um cartão de crédito, etc., é comum estar bem claro no contrato que a cobrança poderá ser feita através da conta bancária do titular. Porém, se essa informação não estiver no contrato e com autorização expressa do cliente, o banco não poderá realizar nenhuma cobrança por meio da conta. 

O Banco Pode Realizar Cobrança de Tarifa Bancária Sem Autorização do Cliente? 

Somente mediante um contrato estabelecido entre o banco ou instituição financeira e o cliente, e com a prévia autorização do mesmo, é que o banco pode seguir com a cobrança de juros, transações, IOF, e pacotes de serviços. Mas o banco precisa informar ao cliente todas as alterações, quando ocorrerem, e também informar todas as tarifas cobradas também. O cliente precisa autorizar a cobrança tanto na abertura da conta quanto na troca do pacote de serviços. 

O Banco Pode Usar o Dinheiro do Cliente Para Investir Em Fundos Sem a Sua Autorização? 

O banco não pode usar o dinheiro do cliente em fundos de investimentos sem a prévia autorização do mesmo. Caso ele o faça, está cometendo uma ilegalidade. Até porque, ao investir em um fundo, no momento do resgate, o cliente pode ter um valor menor do que o investido para resgatar. Além de ter outros custos como imposto de renda e IOF também. 

A relação do cliente do banco tem uma série de regras que visam resguardar ambas as partes. Mas o que o consumidor precisa ter em mente é que nenhum banco ou instituição financeira pode mexer na conta do cliente, muito menos retirar qualquer valor sem prévia autorização. 

Leia atentamente o seu contrato com o banco e saiba exatamente o que ele pode e não pode cobrar de você. Se algo de errado acontecer, você deve estar resguardado pelo que consta no seu contrato. 

Como Descobrir Suas Contas Bancárias Esquecidas? Registrato

Uma situação que costuma acontecer é as pessoas abrirem uma conta e, com o passar do tempo, se esquecerem que ela existe. Em outros casos, existem situações em que o consumidor desconfia de que alguém abriu uma conta bancária em seu nome. O fato é que quase ninguém sabe quem tem como descobrir todas as contas abertas em seu nome. No post de hoje, mostraremos o que pode ser feito para resolver essa situação. 

Para quem vive esse tipo de problema, saiba que é possível verificar pela internet todas contas registradas no CPF de uma pessoa. Através de uma ferramenta gratuita, disponibilizada pelo Banco Central, chamada de REGISTRATO, ou Extrato de Registro de Informações no  Banco Central, podemos consultar conhecer todas as contas registradas em um CPF e até qual é o limite de crédito em cada uma das contas. 

Por meio do REGISTRATO, podemos conferir os números das contas corrente e poupança, e também os cartões de crédito que possam haver na conta. Assim como os produtos financeiros que necessitam da existência de limites. 

É comum as instituições financeiras acessarem o RESGISTRATO do Banco Central, desde que o consumidor autorize, para conhecer os limites de crédito que as instituições liberaram para os consumidores. Isso facilita a análise de crédito. 

Além do mais, o REGISTRATO serve para ajudar na proteção do Sistema Financeiro Nacional, uma vez que evita que limites muito altos sejam liberados pelas instituições financeiras, para os consumidores que não têm uma boa capacidade de pagamento. 

Como Acessar o REGISTRATO? 

Confira abaixo o passo a passo de como acessar o REGISTRATO e realizar a sua consulta: 

  • Acesse o site do Banco Central, selecione a opção “Clientes bancários que fazem uso de internet banking” e clique no link “ Obter a frase de segurança”.
  • Em seguida, clique no link “Obter a frase de segurança”.
  • Informa o seu CPF no campo indicado, o nome de algum banco com o qual você se relacione (internet banking), a sua data de nascimento e também o nome completo da sua mãe.
  • Em seguida, aparecerá na tela uma frase de segurança.
  • No momento do acesso pelo internet banking, é preciso validar a frase de segurança que o sistema lhe forneceu. Isso será feito ao clicar no ícone contendo o logotipo do Banco Central, em algum local da página do internet banking do seu banco.
  • Depois, é preciso ir novamente para o site do Banco Central e ir para a página do REGISTRATO. 
  • Após, clique em “3 – Cadastrar”. 
  • Informe o seu CPF, o seu e-mail e o nome do banco que validou a sua frase de segurança.
  • Depois disso, o seu cadastro estará concluído e você receberá uma senha provisória para que possa ter acesso aos relatórios.
  • Acesse novamente a página do REGISTRATO, no site do Banco Central, e altere a senha provisória que você recebeu. Para isso, basta clicar em “Acessar o REGISTRATO”.

Após concluído o cadastro, o cliente poderá acessar o sistema todos os dias, se desejar. Basta apenas que ele clique em “á possuo cadastro e informe o seu usuário Sisbacen e a sua senha. 

O objetivo do REGISTRATO é facilitar a vida dos cidadãos. Por meio dele, é possível consultar, de forma gratuita, todos os relatórios que contenham informações de operações de crédito do consumidor. E também permite saber sobre como anda o relacionamento do mesmo com as instituições financeiras, como empréstimos, dívidas, e etc. Faça essas consultas sem sair de casa. 

Antes do REGISTRATO, só era possível conseguir essas informações pessoalmente, em alguma central de atendimento do público do Banco Central, ou pelo envio da documentação autenticada pelos Correios. 

O Que Fazer Quando Some Dinheiro da Conta Corrente?

Imagina o susto quando você acessa a sua conta corrente e percebe que sumiu dinheiro da sua conta?! Com certeza deve bater um tremendo desespero. Nessa hora, por mais difícil que seja, o mais indicado é manter a calma e procurar uma solução pensando friamente. Caso contrário, dependendo do que você fizer, pode piorar ainda mais a situação. 

Esse tipo de problema pode acontecer por clonagem do cartão e o roubo da sua senha. Um crime que deve ser investigado e o cliente não deve ficar no prejuízo. 

O primeiro passo é conferir o extrato da sua conta e verificar qual a identificação daquela retirada de dinheiro. Isso pode ser feito pessoalmente na agência, pelo internet banking, ou por um caixa de auto atendimento. 

Se houve identificação sobre o débito, você precisará investigar melhor o débito. Tente se lembrar se fez alguma compra recentemente com o seu cartão de débito, se não havia nenhuma conta com o pagamento agendado para aquela data, etc. Talvez você tenha usado o dinheiro e não esteja se lembrando. Talvez outras pessoas também tenham livre acesso ao seu cartão, como filhos e esposa, por exemplo. Converse com todos para ter certeza de que ninguém fez a retirada. 

Agora, se perceber que a retirada não foi identificada e nem autorizada, será preciso, então, tomar outras medidas. Para começar, você pode ligar na Central de Atendimento ao Cliente e informar que está sendo vítima de uma fraude. Fale do valor desaparecido e da data do débito. Em seguida, deve procurar o seu gerente e verificar com ele o que é preciso para que seja feito o estorno do seu dinheiro. Ele deve dar início a uma investigação para identificar de onde partiu a ordem da retirada. Após conversar com o gerente, registre um boletim de ocorrência também. 

O consumidor por procurar o PROCON se, realmente, não ordenou a retirada do dinheiro.  

A responsabilidade sobre o dinheiro que está em sua conta bancária é do próprio banco. Sendo assim, ele precisa te ressarcir do valor subtraído em caso de roubo. 

Dependendo do caso, o banco poderá solicitar um tempo para que a situação seja investigada devidamente. Para, somente depois, proceder com o ressarcimento do valor. Porém, em outras situações, o banco pode seguir com a devolução na mesma hora. Mas isso irá variar de uma situação para outra. 

O consumidor não deve se esquecer de registrar, por escrito, todos os contatos que tiver com o banco. Também é preciso guardar todos os comprovantes de pagamento com o cartão, os extratos, e tudo o que tiver de documento que contribua para esclarecer aquela situação. Se o banco demorar muito para dar uma resposta ou se negar a ressarcir o valor, o consumidor deverá procurar os seus direitos na justiça. 

Também é muito importante cancelar o seu cartão, caso constate uma fraude. Pois, como dissemos, ele pode ter sido clonado. Mude também a sua senha.  

Se possível, evite emprestar o cartão da sua conta corrente para outras pessoas. Limite o acesso a ela, e acompanhe todas as movimentações que acontecerem nela. 

Evite Deixar Dinheiro Parado na Conta Corrente 

Não se deve deixar dinheiro guardado na conta corrente. Uma das alternativas mais usadas para deixar o dinheiro guardado, e rendendo juros, ainda que baixos, e sem perder o seu poder de compra, é na conta poupança. Ela protege o seu dinheiro contra o poder da inflação. Devemos numa conta corrente somente os valores que precisará usar até receber novamente, como tarifas de manutenção da conta e os valores que precisar movimentar para algum pagamento. 

Como Fazer Um “Saque Sem” do Banco do Brasil: Saque Sem Cartão

Embora não seja comum realizarmos algum serviço em banco sem o uso do cartão, saiba que existem várias coisas que podem ser feitas sem ele. Os bancos estão eliminando algumas burocracias para tornar a vida das pessoas mais práticas. Isso, claro, sem deixar de se preocupar com a segurança do cliente. 

Uma dessas novidades é a possibilidade de poder realizar saques sem cartão no caixa eletrônico. No post de hoje, daremos mais detalhes e vamos aproveitar para falar sobre o “Saque Sem” do Banco do Brasil. Continue lendo. 

Hoje em dia, a maioria dos bancos já trabalham com a biometria. Os clientes realizam o cadastro e os processos bancários tornam-se mais práticos. Além do mais, a biometria também é capaz de elevar os níveis de segurança no que envolve as transações bancárias, e também nas demais atividades. E é por esse motivo que a biometria vem ganhando cada vez mais espaço no mercado. As senhas têm sido substituídas aos poucos por ela, que não pode ser esquecida e nem copiada por ninguém. 

E Como Faça Para Sacar Sem Precisar Usar o Cartão? 

É aí que a biometria entra. Quando o cliente realiza o cadastro biométrico e vincula a biometria à conta bancária, muito provavelmente, ele conseguirá realizar saques sem precisar usar o cartão magnético. Um lembrete importante é que nem todos os caixas eletrônicos possuem leitores de biometria. Informe-se antes sobre qual agência tem o acesso. Ao encontrar um caixa eletrônico com o leitor, basta verificar com muita atenção as informações descritas na tela. Em geral, não há muita diferença entre o processo de uma instituição para outra. Certamente, aparecerá na tela a opção de iniciar o atendimento sem o cartão. 

O Que é o “Saque Sem” do Banco do Brasil e Como Funciona? 

O Banco do Brasil resolveu inovar e lançou o “Saque Sem”. Essa funcionalidade está disponível no menu do aplicativo do BB, disponível para Android e iPhone (iOS). Para usar, o cliente deve realizar um processo que permite que o saque seja feito pelo aplicativo, uma vez que ele já tem autorização para fazer transações pelo banco. 

Terminando o processo pelo aplicativo, será gerado um QR code na tela. É preciso levar esse código até um caixa eletrônico e posicioná-lo, de forma que o caixa possa realizar a leitura. Feito isso, será apresentada a disponibilidade de cédulas no momento. Assim que o código for lido, o cliente deve selecionar as cédulas que deseja e realizar o saque. 

Essa é uma maneira bem simples e prática que o Banco do Brasil encontrou para tornar o serviço de saque bem mais fácil para o cliente. Além de manter total segurança na transação. O sistema necessita de comandos simples no smartphone do usuário. 

Porém, o serviço “Saque Sem” está disponível apenas para aquelas pessoas que são correntistas do Banco do Brasil. O serviço é ideal para quando o cliente precisa liberar saque de forma remota para alguém. 

O Que Acontece Caso o Cliente Não Tenha Cadastrado a Biometria? 

Caso o cliente não tenha cadastrado a biometria, não seja cliente do Banco do Brasil, logo ele não terá acesso ao aplicativo. E os procedimentos que informamos não poderão atendê-lo. No entanto, ainda assim será possível sacar sem cartão. Nesse caso, a única forma de conseguir fazê-lo é da maneira que todos nós já conhecemos: indo diretamente à boca do caixa. Para isso, será preciso se dirigir até uma agência bancária e levar consigo um documento de identidade com foto. O atendente então irá liberar o saque sem a necessidade de apresentar um cartão magnético. 

Digiconta x iConta x Pacote Digital: Posso Mudar? Porque Não Existe Conta Eletrônica Nos Grandes Bancos Mais?

As contas digitais são gratuitas desde que os clientes façam todas as transações online. Por isso, os bancos não fazem nenhuma questão de divulgar, pois a cesta de serviço das contas tradicionais é paga. 

No caso do Banco do Brasil, do Itaú e do Bradesco, as novas adesões estão indisponíveis. Porém, todos os bancos são obrigados pelo Banco Central a oferecer uma cesta de serviços gratuitos padronizada para os seus clientes, seja uma conta corrente, especial, digital ou não digital também. 

Desde 2010, após uma resolução publicada pelo Banco Central, os consumidores passaram a ter a gratuidade de tarifas em contas bancárias que fossem movimentadas através de meios eletrônicos somente. Trata-se das contas eletrônicas, ou digitais. Porém, nem todo mundo sabe que essas contas existem pois, como dissemos antes, os bancos não divulgam para que os clientes continuam usando os seus serviços pagos. 

Como Escolher a Melhor Conta Digital? 

No momento em que o cliente resolver abrir uma conta digital, ele precisa verificar o que a instituição tem para lhe oferecer e o que ele espera da mesma. Ou seja, o que o cliente precisa daquele banco. 

Uma dica muito útil é verificar o funcionamento do internet banking e do aplicativo para smartphoneque o banco disponibiliza. Como não há atendimento pessoal nesse tipo de conta, esses meios serão os meios mais usados para movimentar a conta. Em geral, não há muita diferença de um banco para outro no que se refere aos serviços oferecidos nas contas digitais. Apresentaremos a seguir, algumas das opções disponíveis no mercado para que você possa avaliar e comparar entre elas. 

DigiConta Bradesco 

A conta digital do banco Bradesco é chamada de DigiConta. A movimentação da conta é feita por meio de um cartão que o cliente recebe após a adesão à conta. Esse cartão pode ser usado também nas funções de débito, de crédito e de crediário. Quem desejar, ainda pode receber informações relacionadas à sua conta pelo Infoemail, que é um serviço oferecido pelo banco Bradesco. As transações na conta podem ser feitas pelo Bradesco Celular, pelo Internet Banking, pelos caixaseletrônicos e pelo Fone Fácil. 

iConta Itaú 

No Banco Itaú, a conta digital recebe o nome de iConta. Essa conta funciona como a DigiConta do Bradesco. Em geral, as contas digitais têm as mesmas características. Todas possuem gratuidade de tarifas, desde que as operações sejam feitas sem o atendimento pessoal. No caso do banco Itaú, ele também disponibiliza um cartão internacional aos clientes, que pode ser usado tanto nas funções de débito quanto de crédito. 

Pacote Digital 

No caso do Banco do Brasil, a conta digital recebe o nome de Pacote Digital. Porém, as novas adesões não são mais possíveis. Somente aqueles que aderiram ao pacote antes podem continuar com a conta eletrônica. E também aqueles que já são correntistas em algum outro pacote de serviços.  

DOC e TED Em Contas Digitais 

Além de todos os atrativos das contas digitais, elas ainda oferecem mais: é possível realizar transferências entre contas de bancos diferentes sem pagar tarifas. Agora, os clientes podem realizar DOC e TED sem precisarem pagar tarifas. Isso é ótimo para quem precisa realizar um número maior de transferências ao longo do mês. Representa uma enorme economia. 

Dentre os serviços oferecidos pelas contas eletrônicas, estão: 

• Transferências entre contas do mesmo banco; 

 Pagamentos de contas e de boletos; 

 Cartão de débito para o cliente movimentar a sua conta sem custos; 

 Pagamento por meio de débito automático; 

 Consulta de saldo e extrato ilimitado por meios eletrônicos; 

 O cliente pode solicitar um cartão de crédito ou cartão múltiplo, 

 O cliente pode solicitar empréstimo, financiamento e também outras linhas de crédito. 

Como Funcionam os Limites da Conta Fácil do BB? O Que Fazer Depois do Bloqueio?

Praticamente todos os bancos estão investindo em contas digitais. Um tipo de conta mais prática, onde o cliente faz tudo pela internet. Desde abrir a conta até as operações bancárias do dia a dia, dando mais praticidade para a vida do usuário. Além do mais, essa conta também é isenta da cobrançade tarifas, desde que tudo seja feito de forma online. É um tipo de conta ideal para muitas pessoas, embora apresente algumas limitações quando comparada com a conta corrente comum. 

Um dos bancos que já aderiu a essa modalidade de conta é o Banco do Brasil, com a Conta Fácil. Ela tem todas as facilidades citadas acima. 

No post de hoje, falaremos sobre alguns dos assuntos que mais geram dúvidas nos consumidores quando o assunto é a Conta Fácil do Banco do Brasil. 

Limites da Conta Fácil do Banco do Brasil 

Um dos diferenciais da Conta Fácil do BB é que ela possui limitações com relação ao saldo e às transações que podem ser realizadas durante o mês. 

Quem possui esse tipo de conta, precisa ficar bem atento a esse detalhe. Muitas pessoas acabam se esquecendo e bloqueando sua conta por realizar mais transações do que pode e por movimentar mais dinheiro do que a conta permite. 

Quem é correntista da Conta Fácil tem um limite máximo de R$ 5.000,00 para movimentar. Esse limite também vale para as transações mensais de crédito, que podem ser tanto de depósitos quanto de transferências bancárias. Se o cliente movimentar mais que esse valor na sua Conta Fácil, ela será bloqueada. 

Confira abaixo os limites da Conta Fácil: 

• Transferências e Depósitos: feitos no caixa ou em autoatendimento. O limite para o saldo e movimentações é de R$ 5.000,00, juntando esses dois tipos de transações. 

 Transferências entre contas: nesse caso, os valores são de R$ 800,00 por dia e de R$ 5.000,00 por mês. 

• Pagamentos: os limites são de R$ 800,00 por dia e de R$ 5.000,00 por mês. 

• Saque: para as agências do Banco do Brasil, os limites são de R$ 1.000,00 por dia e de R$ 5.000,00 por mês. Para casas lotéricas, o limite disponível é de R$ 300,00. Nos correspondentes bancários, R$ 800,00. E nos caixas eletrônicos, o limite também é de R$ 800,00. 

O limite máximo que uma pessoa pode ter em custódia na Conta Fácil é de R$ 5.000,00. Por exemplo: se o cliente tiver R$ 0,01 em sua conta, ele não poderá receber R$ 5.000,00. Pois ultrapassaria o limite permitido.  

Conta Fácil Bloqueada: O Que Fazer? 

Caso o cliente se esqueça e movimente mais que R$ 5.000,00 na sua conta, ela será bloqueada. É comum as pessoas pensarem que existe um limite de R$ 5.000,00 para os saldos e outro de R$ 5.000,00 para as movimentações. Isso não é verdade. Existe apenas um limite de R$ 5.000,00 que serve para o saldo e a para as movimentações ao mesmo tempo. 

Quando a conta é bloqueada, as pessoas ficam com receio de perderem o dinheiro que têm depositado nela. Fiquem tranquilos, pois isso não irá acontecer. No caso de bloqueio, solicite um upgrade da sua conta e conseguirá operar com valores mais altos. 

Após o bloqueio, o cliente não consegue realizar nenhuma movimentação na conta. Nesse caso, é preciso alterar o tipo de conta para que seja possível continuar usando o banco. 

A partir de então, a conta não será mais uma Conta de Pagamento. Ela se tornará uma Conta Corrente. A alteração pode ser feita tanto pessoalmente, na agência, quanto pelo aplicativo do banco.  E como uma conta corrente, é possível ter todos os benefícios e serviços que essa conta oferece.