O Que é Pagamento Em Espécie? Vale a Pena?

O termo “pagamento em espécie” é muito usado em relações comerciais. No entanto, algumas pessoas ainda não sabem o que significa. Ainda mais hoje em dia, em que o mais comum é o uso de cartão de crédito, transferências bancárias, DOTZ, cartões de débito, cheque especial e até cartão pré-pago para o pagamento de compras. Com tantas alternativas de pagamento, o pagamento em espécie está cada vez mais em desuso. Principalmente como uma forma de garantir a segurança das pessoas. 

Mas, enfim, o que é o pagamento em espécie? 

O pagamento em espécie significa que o pagamento será feito em dinheiro físico, ou em moeda local do país, sem não com outros meios de pagamento, como cartões ou transferências, por exemplo. 

Porém, esse tipo de pagamento não é muito seguro. Especialmente se os valores são muito altos. Em geral, ninguém deve andar pelas ruas levando consigo altas quantias em dinheiro. 

O Pagamento em Espécie Vale a Pena? 

Algumas lojas costumam oferecer descontos para os clientes que pagarem as suas compras pagas e “dinheiro vivo”. Em alguns países, essa prática não é ilegal. Em outros, porém, consideram ilegal oferecer preços diferentes para pagamentos em dinheiro ou de outra forma. No Brasil, essa prática é legal. 

Para saber se é mais vantajoso pagar as compras em dinheiro em espécie ou não, é preciso colocar tudo na ponta do lápis. Confira abaixo o que é preciso analisar sobre as vantagens para o cliente e para o lojista na hora do pagamento: 

  • Todo cliente gosta de desconto: em um mercado de crescente competitividade, cativar o cliente é uma luta diária. E os descontos são um diferencial nessa hora. Se o cliente gostar do desconto oferecido, ele certamente voltará ao seu estabelecimento.
  • Sem incidência de taxas: para os lojistas, ao aceitar um pagamento em espécie, ele está isento das tarifas pelo uso da máquina de cartão de crédito. E, para os clientes, pode ser uma boa oportunidade de encontrar preços mais atrativos.
  • Assaltos: quanto mais dinheiro o lojista tiver em caixa, maior será o número de assaltos. E quanto aos clientes, andar com dinheiro em espécie é muito perigoso também, uma vez que a criminalidade está aumentando de forma assustadora. Dependendo do valor do produto que irá comprar, o mais indicado é optar pelo cartão mesmo. Assim, você perde o desconto, mas não corre o risco de ficar sem dinheiro e sem o produto.
  • Os clientes que não possuem o dinheiro em espécie podem ficar insatisfeitos: pode acontecer de o cliente não dispor de dinheiro em espécie para comprar o produto. Assim, ele ficará insatisfeito pelo fato de precisar pagar mais pelo produto.
  • Clientes gastam mais quando usam o cartão do que quando usam dinheiro em espécie: e já existem vários estudos que comprovam essa teoria. Ao usar o cartão, o cliente não costuma ter um controle muito rígido das suas finanças. O que não acontece quando ele usa o dinheiro vivo.
  • O desconto pode ser um fator determinante para o cliente comprar o produto: se o cliente considera o valor do produto um tanto elevado, ele pensará duas vezes antes de comprar. No entanto, quando esse produto está com um belo desconto ele, certamente, não pensará duas vezes para fechar a compra, para não perder aquela oportunidade.

É sempre bom analisar todas as alternativas antes de comprar algo. Em primeiro lugar, é importante verificar se você realmente precisa daquele produto, ou se está comprando apenas para aproveitar o desconto. Também não é indicado “limpar” as suas economias somente para aproveitar um desconto. Se tem a oportunidade de usar o cartão de crédito, e se o aumento não é tão significativo, vale a pena parcelar e aproveitar essa facilidade que o dinheiro de plástico nos oferece. 

Deixe um comentário