Qual Horário de Funcionamento Bancário?

As pessoas que trabalham em horário central sempre enfrentam uma certa dificuldade quando precisam ir a uma agência bancária resolver qualquer problema. Ainda que saiam no horário de almoço, o tempo nem sempre é suficiente para resolver, pois sempre tem filas. 

Ao contrário do que acontece no comércio, os bancos possuem um horário reduzido de funcionamento. Em geral, eles ficam abertos de 5 a 6 horas por dia, apenas. Quem trabalha em horário central, precisa sair bem mais cedo do trabalho para conseguir encontrar a agência aberta. E, na onda de desemprego que vem afetando a população brasileiras, muitas pessoas até deixam de resolver várias questões, somente para não terem de ficar saindo mais cedo do serviço. 

Qual o Motivo do Horário Reduzido dos Bancos? 

Quem regulamenta o horário de funcionamento dos bancos é o Banco Central. São impostas algumas exigências aos bancos. E, para o Bacen, alguns serviços devem ser realizados com as portas dos bancos fechadas. 

Para quem trabalha no banco, a jornada de trabalho, em geral, é praticamente a mesma da pessoa que trabalha nos demais estabelecimentos comerciais. Os funcionários chegam em torno de 1 hora antes da abertura do banco e trabalham até 2 horas após o fechamento. 

Qual o Horário de Funcionamento dos Bancos 

Os bancos podem definir o horário de funcionamento, desde que sigam as regras impostas pelo Banco Central. Conforme estabelecido pela lei brasileira, o horário de funcionamento dos bancos é: 

  • das 10h às 16h nas capitais
  • das 11h às 16h em cidades do interior.

Uma exigência do Bacen é que os bancos fiquem abertos por 5 horas ininterruptas por dia. E o atendimento obrigatório é das 12h às 15h. No caso do atendimento obrigatório, ele é destinado a situações especiais como, por exemplo, para dias que antecedem datas festivas, períodos de crises energéticas e quarta-feira de cinzas. 

Se na cidade tiver apenas uma agência de bancos múltiplos com carteira comercial (Caixa Econômica Federal, Itaú, Banco do Brasil, Bradesco, Santander e outros) ela não tem a obrigação de cumprir o horário que o Banco Central determina. 

Quais os Dias Que as Agências Bancárias Não Abrem? 

O funcionamento das agências bancárias é de segunda à sexta-feira. Confira abaixo a relação dos dias em que os bancos não abrem as portas: 

  • Sábados, domingos e feriados;
  • Feriado do dia 02 de novembro;
  • Dia de Corpus Christi;
  • Último dia útil do ano,
  • Segunda e terça-feira de carnaval.

Quanto aos feriados municipais e estaduais, são as respectivas leis que determinam o funcionamento. E nos períodos de grave, os bancos também podem ficar fechados por um bom tempo. 

Se o usuário precisar de uma agência bancária e esta estiver fechada, poderá se dirigir à uma casa lotérica. É possível realizar vários, principalmente para quem é cliente da Caixa. Vários serviços dela podem ser feitos nas casas lotéricas de todo o país. 

Outra opção e uma das mais usadas hoje em dia é o internet banking. Por meio desse canal, o cliente do banco consegue realizar uma enorme variedade de serviços, como pagamento de contas, transferências, consultar saldo e extrato e muito mais. 

Sem falar que os usuários também podem usar os caixas eletrônicos. Os terminais da rede Banco24Horas permitem saques e até mesmo em alguns supermercados e estabelecimentos comerciais é possível realizar pagamentos. 

Quem é cliente do Banco do Brasil pode ainda contar com os serviços do Banco Postal disponível em agências dos Correios.  

Dessa forma, quem não tem muito tempo para ir à uma agência bancária tem várias opções para a grande maioria das questões relacionadas à serviços bancários. 

Como Fazer CPF Nos Correios ou Outros Locais

O CPF, ou Cadastro de Pessoa Física é um documento pessoal, que todo brasileiro precisa ter. Sua emissão é feita pela Secretaria da Receita Federal do Ministério da Fazenda. 

A função do CPF é identificar o cidadão perante a Receita Federal, inclusive para fins tributários. Além do mais, as organizações públicas e privadas, como órgãos do governo, agências bancárias e empresas privadas usam o CPF como uma espécie de chave que serve para identificar pessoas físicas. 

Onde Emitir o CPF? 

O CPF pode ser emitido na Caixa Econômica Federal, no Banco do Brasil e nas agências dos Correios. Para a emissão, é preciso pagar uma pequena taxa. Seguem abaixo os documentos solicitados para a emissão do CPF: 

  • Para menores de 16 anos, é necessário apresentar a carteira de identidade ou a certidão de nascimento.
  • Para maiores de 16 anos e menores de 18 anos, é preciso apresentar a carteira de identidade.
  • Para maiores de 18 anos e com menos de 69 anos, é solicitada a carteira de identidade e o Título de Eleitor.

O CPF poder ser emitido em qualquer idade. Até mesmo para recém-nascidos. E o número é único, pois o documento só é emitido uma única vez. 

Passo a Passo Para a Emissão do CPF 

Uma das formas mais comuns de emissão do CPF é pelos Correios. O cidadão deve se dirigir à uma agência dos correios de posse da documentação informada. O processo é bem rápido. A solicitação é feita em menos de 10 minutos. 

Quando o atendente finalizar a solicitação, ele entregará ao cidadão um comprovante, que precisa ser conferido antes que a emissão do CPF seja concluída. Caso haja alguma divergência, é preciso interromper a emissão e corrigir o erro. 

Se estiver tudo ok, o comprovante virá com um protocolo. E esse número servirá para o cidadão acompanhar o andamento da solicitação pelo site da Receita Federal. Para isso, basta informar o número do protocolo, a data de nascimento, o local e a data da solicitação. 

Após feito todo o processo de solicitação e ele constar como finalizado no site da Receita Federal, já é possível ir buscar o CPF no local na agência onde a solicitação foi feita. Para não perder tempo, o cidadão pode ligar na agência e se certificar se o documento já chegou. 

O valor da taxa cobrada pelos Correios para a emissão do CPF gira em torno de R$ 7,00. Esse valor deve ser pago no momento da solicitação. 

CPF Irregular – Como Resolver? 

É comum o cidadão ter algum tipo de pendência no CPF. Esse problema pode causar uma série de transtornos, como o cidadão pode ser impedido de abrir ou de movimentar uma conta bancária, adquirir financiamento, tirar passaporte, comprar ou vender imóveis, e muito mais. 

Para saber se o CPF está em situação irregular, o cidadão deve realizar uma consulta gratuita no site da Receita Federal. Caso o documento esteja suspenso, pelo site da Receita é possível realizar o pedido de regularização, desde que o contribuinte tenha mais de 16 anos. Mas é importante frisar que somente o cidadão cujo CPF estiver suspenso, e não houver a obrigação de entregar declaração do imposto de renda nos últimos 5 anos é que pode seguir com a solicitação pelo site. 

Se preferir, o cidadão também pode se dirigir a uma agência do Banco do Brasil, agência dos Correios ou da Caixa Econômica Federal e solicitar a regularização. 

Se a situação do CPF for pendente de regularização, o cidadão precisa apresentar a declaração do imposto de renda, mesmo que esteja atrasada. Esse tipo de problema costuma acontecer quando a DIRPF não foi entregue em algum dos últimos 5 anos. 

Como Limpar o Nome Sujo?

Depois de constatar que o seu nome está no SPC ou SERASA, você começa a perceber como isso pode ser ruim para sua vida. Em muitas situações, devido ao aumento do desemprego, o consumidor precisa se decidir sobre pagar uma conta ou outra, pois o dinheiro não é suficiente para pagar todas as contas. Com isso, a dívida vai aumentando e, quando menos se espera, o nome está inscrito nos órgãos de proteção ao crédito. 

Quando a situação melhora, é hora de começar a resolver a situação. E dar início ao pagamento das dívidas. 

Para quitar a dívida e retirar o nome do SPS e da SERASA, é preciso procurar o credor, ou a empresa para quem se está devendo, e propor uma renegociação. Em um prazo de até 5 dias úteis após o pagamento, o nome do consumidor será excluído dos órgãos de proteção ao crédito. 

Uma outra alternativa é tentar fazer um empréstimo. As melhores alternativas, por serem mais baratas, são: o empr´stimo pessoal ou o crédito consignado. 

É Possível Renegociar a Dívida? 

Caso o consumidor não tenha condições de pagar todo o valor devido de uma vez, ele pode procurar a empresa que ele deve e tentar uma renegociação. Se for possível realizar o parcelamento da dívida, tão logo a primeira parcela seja paga, o nome do consumidor já será excluído do cadastro de inadimplentes. 

Como as empresas estão muito interessadas no pagamento. Provavelmente elas farão uma boa proposta para o pagamento. Porém, o consumidor deve ficar atento e se certificar de que terá condições de pagar o novo valor. Ele precisa conhecer a sua real capacidade de pagar o valor proposto. 

Dicas de Planejamento Financeiro 

A grande maioria dos brasileiros não tem o costume de planejar as suas finanças. Á medida que eles vão recebendo, vão contraindo mais dívidas e pagando contas. Se um bom planejamento financeiro fosse feito, a maior parte dos problemas seria evitada. 

Para ajudar as pessoas que desejam, mas não sabem como se planejar financeiramente, separamos algumas dicas muito úteis, que irão ajudar muito nessa tarefa. Confira abaixo: 

1 – Anote todos os seus gastos: anote tudo o que gastar no mês. É bom criar o hábito de ter todas as despesas anotas, assim como as receitas também. Dessa forma, você saberá onde precisa reduzir. 

2 – Monte um orçamento familiar: em nossas casas, também precisamos estabelecer o que são gastos fixos (cujo valor não varia conforme a utilização) e o que são gastos variáveis (que variam conforme o consumo, como a água e a luz, por exemplo). Após ter feito essa divisão, é importante estabelecer um percentual máximo permitido que pode ser gasto em cada categoria. 

3 – Não comprometa mais que 1/3 do seu salário. Evite gastar tudo o que ganha. Estipule um valor para economizar todos os meses. Nunca se sabe quando teremos uma emergência. Não tente ter um padrão de vida maior do que o seu dinheiro te permite. 

4 – Evite contrair dívidas caras: não compre algo que terá dificuldades para pagar. Como dissemos antes, não comprometa toda a sua renda em dívidas. 

5 – Cuidado com o cartão de crédito: esse sim é uma das principais causas de endividamento do brasileiro. Use de forma moderada, evite cartões com anuidade, pague as faturas sempre em dia e no valor total. Não parcele e nem pague o valor mínimo. 

6 – Adote o consumo consciente: antes de comprar algo, verifique se realmente está precisando. Além de economizar, você ainda estará cuidando do meio ambiente. 

7 – Compare os preços: é muito importante fazer uma pesquisa antes de comprar qualquer coisa. E outra coisa boa também é esperar uma promoção se não precisar com muita urgência do produto. 

Esperamos que essas dicas sejam úteis. 

Como Consultar o Nome Sujo no SPC e SERASA

O aumento do desemprego no Brasil contribui muito para que a inadimplência também aumentasse. Muitas pessoas acabaram ficando com o nome sujo pela impossibilidade de poderem quitar as suas dívidas.  

Quando se está com o nome sujo, o consumidor tem três alternativas: quitar a dívida, renegociar a dívida, ou esperar a dívida caducar. Embora nem sempre seja possível, devido à falta de recursos financeiros, as duas primeiras alternativas são as melhores. Se o consumidor resolver esperar o prazo de 5 anos para a sua dívida caducar, ele terá que arcar com algumas consequências, como: 

  • Problemas para conseguir crediário: uma pessoa com o nome sujo terá muita dificuldade em conseguir um crediário aprovado. Dentre eles, estão o cartão de crédito, crediário em loja e a concessão de empréstimos e financiamentos.
  • Os bancos podem até mesmo cancelar o cheque especial e interromper a entrega de talões de cheque também.
  • Quem está com o nome sujo não conseguirá abrir uma conta corrente.
  • Redução do Serasa Score: essa pontuação é importante, pois ela indica como anda com relacionamento do consumidor com o mercado. Se ele paga suas dívidas em dia, por exemplo. Se estiver com o nome sujo, essa pontuação será bem baixa, indicando que o consumidor não tem muita credibilidade no mercado.

Com as portas se fechando, ficará ainda mais difícil para o consumidor conseguir quitar as suas dívidas e retomar um bom relacionamento com as empresas. 

Ainda que a sua dívida caduque, a empresa poderá continuar persistindo na cobrança. E esse é um bom momento para propor uma negociação. O que as empresas geralmente fazem é vender as suas dívidas para as empresas de cobrança. Aproveite para propor uma negociação que você tenha condições de pagar. 

A ideia de estar com o nome sujo não é legal. Antes de conceder empréstimos, financiamentos, cartões de crédito, as empresas analisam o histórico de pagamento do consumidor. Mesmo que a pessoa não esteja com o nome sujo, o seu histórico de pagamentos das dívidas será consultado. Caso o consumidor seja um mau pagador, as chances de ter as portas fechadas são muito grandes. 

Como Consultar o Nome Sujo? 

Para quem deseja consultar o seu nome nos órgãos de proteção ao crédito, saiba que é muito simples. O órgão acionado para negativar o nome do consumidor enviará uma carta informando que o seu nome será negativado caso ele não quite a dívida dentro de um prazo pré-estabelecido.  

Se o consumidor quiser se certificar de que seu nome foi mesmo inserido no SPC ou SERASA, ele pode realizar a consulta pela internet. 

  • Consulta pelo SPC: a consulta de nome no SPC é cobrada. Pois o seu banco de dados não pode ficar exposto publicamente. O consumidor pode se dirigir até a CDL da sua cidade e solicitar a consulta mediante o pagamento de uma pequena taxa. Para saber qual o posto mais próximo de você, acesse o site https://www.spcbrasil.org.br e faça a pesquisa.
  • Consulta pelo SERASA: a consulta do CPF pela SERASA é gratuita e pode ser feita pela internet. Para isso, basta acessar o site https://serasaconsumidor.com.br. Em seguida, será preciso realizar um cadastro e proceder com a validação das informações por e-mail.

Para evitar se enrolar em dívidas, o mais indicado é fazer um bom planejamento financeiro. Não demos gastar todo o dinheiro que ganhamos. É muito importante termos uma reserva para casos de emergência. Um dos maiores responsáveis por endividamento no Brasil é o cartão de crédito. Muita gente não sabe usar de forma moderada e se esquecem de que terão que pagar as compras no próximo mês. 

O Que é FINAME? Como Conseguir o Financiamento

Muita gente ainda não conhece o FINAME. No post de hoje, daremos mais detalhes do que é e de como ele funciona. 

FINAME, na verdade, é um financiamento concedido pelo BNDES, através de instituições financeiras habilitadas para produzir e adquirir novos equipamentos novos para as empresas credenciadas ao BNDES. Equipamentos esses que precisam ser nacionais.  

Veja como se divide o produto financeiro do BNDES FINAME: 

-Linha de financiamento que servem para atender, especificamente, demandas de vários perfis de clientes, levando em consideração os itens cabíveis de financiamento e a empresa beneficiária. Confira abaixo as linhas de financiamento do BNDES, de acordo com informações do próprio site: 

  • Micro, Pequenas e Médias Empresas – Aquisição de Ônibus e Caminhões (MPME Ônibus e Caminhões) – Apoio à aquisição de ônibus e caminhões, para micro, pequenas e médias empresas, e para transportadores autônomos de cargas;
  • Bens de Capital – Comercialização – Aquisição de Ônibus e Caminhões (BK Aquisição Ônibus e Caminhões) – Apoio à aquisição de ônibus e caminhões, para média-grandes e grandes empresas;
  • Micro, Pequenas e Médias Empresas – Aquisição de Bens de Capital (MPME BK) – Apoio à aquisição de maquinas e equipamentos nacionais novos, exceto ônibus e caminhões, para micro, pequenas e médias empresas;
  • Bens de Capital – Concorrência Internacional (BK Concorrência Internacional) – Apoio à aquisição e produção de máquinas e equipamentos, exceto ônibus e caminhões, que demandem condições de financiamento compatíveis com as ofertadas para congêneres estrangeiros em concorrências internacionais;
  • Bens de Capital – Produção de Bens de Capital (BK Produção) – Apoio à produção de máquinas e equipamentos fixos, para empresas de qualquer porte,
  • Bens de Capital – Comercialização – Aquisição de Bens de Capital (BK Aquisição) – Apoio à aquisição de maquinas e equipamentos nacionais novos, exceto ônibus e caminhões, para média-grandes e grandes empresas.

Como Conseguir o Financiamento? 

As sociedades nacionais e estrangeiras podem solicitar o FINAME, desde que as orientações sejam respeitadas. Também é preciso que tenham sede e administração aqui no Brasil, pessoas jurídicas de direito público, empresários individuais que forem inscritos nos Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas, ou CNPJ, e também no Registro Público de Empresas Mercantis, transportadores autônomos de carga que sejam residentes e domiciliados aqui no Brasil, para a compra de caminhões e coisas do tipo, além de outros equipamentos adaptáveis como a chassis, como é o caso de guindastes, plataformas, tanques nacionais e também associações, como cooperativas, associações, condomínios, sindicados e clubes. 

Ao todo, são três as modalidades de apoio do FINAME, cada qual relacionada a uma etapa do processo de produção ou venda do produto. 

  • Modalidade 1 (Financiamento à compradora): nessa modalidade, estão os recursos destinados à aquisição de máquinas e de equipamentos por sua natureza, conforme estabelecido pelo BNDES. Eles podem ser destinados ao uso de terceiros ou não, desde que esteja expresso no contrato de locação ou comodato.
  • Modalidade 2 (Financiamento à Produção de Máquinas e Equipamentos): nessa modalidade, estão os recursos voltados para a produção de máquinas e de equipamentos que já foram negociados com as Compradoras.
  • Modalidade 3 (Financiamento à Fabricante para a Comercialização): essa modalidade está voltada para a venda de máquinas e de equipamentos que já tenham sido negociados com as compradoras.

Há ainda mais dois tipos de FINAME: o FINAME Agrícola, que está voltado para a compra de produtos e de equipamentos para o setor agrícola. E o FINAME Leasing, que é um empréstimo, onde a instituição que o concede mantem a posse do produto até que o empréstimo seja totalmente quitado. 

Passos a Passo Para Conseguir o FINAME 

1º Passo: através do site do BNDES, o interessado verifica a máquina ou o equipamento que deseja adquirir. É preciso que o mesmo conste na listagem de equipamentos que o BNDES financia. 

2º Passo: o segundo passo é procurar um agente financeiro credenciado e solicitar o financiamento. 

3º Passo: se a solicitação for aprovada pelo agente credenciado, ela será enviada para o BNDES. 

4º Passo: se a solicitação estiver de acordo com as normas, o BNDES autoriza o financiamento. 

5º Passo: o fabricante ou distribuidor é autorizado a entregar o bem financiado ao comprador. 

6º Passo: a máquina ou equipamento é entregue ao comprador. 

7º Passo: o valor a ser financiado é repassado ao agente financeiro, mediante a solicitação e a apresentação da nota fiscal. 

8º Passo: o agente financeiro então transfere o valor ao fabricante ou distribuidor autorizado, que entregou o bem. 

Qual Banco Oferece os Melhores Cartões de Crédito? Como Escolher?

Os cartões de crédito são ótimas ferramentas. Eles nos ajudam muito em nosso dia a dia. Porém, se forem usados de forma compulsiva, podem causar um grande estrago na vida financeira das pessoas. 

Os bancos oferecem várias opções de cartões de crédito aos seus clientes. Cada um com suas particularidades. Na hora de escolher, precisamos olhar diversas coisas, como os serviços que cada cartão oferece, se há ou não cobrança de anuidade, e de quanto é. E também o que atende melhor às necessidades de cada pessoa. Há também opções de cartões nacionais e internacionais. 

Quem procura um cartão de crédito para ajudar no orçamento, então seria uma boa ideia pensar em um cartão que lhe ofereça recompensas de acordo com o que você gasta. Se a sua fatura for paga inteiramente e em dia, as taxas de juros são irrelevantes. 

Se você for escolher um cartão de crédito para empréstimo, é importante ficar atento às taxas de juros anuais cobradas. É comum as instituições usarem programas de recompensas e ofertas como forma de distrair o cliente para as taxas de juros. Por isso, fique atento. 

Quando os bancos nos oferecem um cartão de crédito, a gente pode tentar um acordo com eles, como solicitar a isenção de anuidade, por exemplo. 

Comparação Entre os Bancos 

Vejamos agora uma comparação das vantagens que 4 dos principais bancos oferecem para os clientes de cartão de crédito. 

Bradesco: cada cartão de crédito possui os seus próprios benefícios. Os cartões do próprio banco oferecem acúmulo de milhas aéreas, 50% de desconto no valor de ingressos para salas de cinema da Cinemark. Já os cartões exclusivos, como aqueles da bandeira American Express oferecem ingressos a espetáculos artísticos que o banco patrocina, descontos na primeira anuidade e brindes como livros, cafeteiras e etc. 

Banco do Brasil: uma das vantagens que o Banco do Brasil oferece é o chamado Programa Ponto Pra Você, onde o usuário do cartão acumula pontos ao usar tanto o cartão de crédito quanto o cartão de débito. Também é possível trocar os pontos por milhas aéreas, cupons para sorteio e prêmios. Sem falar na carência de anuidade durante os primeiros 6 meses e o limite parcelado. Com o programa Ourocard, o cliente tem a compra antecipada e descontos que podem chegar a 50% em espetáculos que o banco patrocina. 

Itaú: os clientes do banco Itaú que possuem o cartão de crédito do banco contam com 50% de desconto em atrações turísticas, entradas em parques temáticos em grande parte do país e também em salas de cinema das redes UCI Cinemas, Playarte, Espaço Unibanco de Cinemas, Cinemas Severiano e Ribeiro/Kinoplex. Além de 50% de desconto em jogos de futebol de certos times em partidas do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil, da Copa Sulamericana e campeonatos regionais. 

Citibank: o cliente ganha descontos de 25% ao comprar ingressos para shows  na Citibank Hall e Credicard Hall, seja em São Paulo ou no Rio de Janeiro. Para quem compra OS ingressos via internet ou pelo telefone, não há cobrança da taxa de entrega ao usar o cartão do Citibank. 

Um dos principais artifícios usados pela bandeira Credicard, que é quem administra os cartões Citibank, são esses shows mencionados acima. 

Antes de solicitar um cartão, lembre-se sempre de verificar a real necessidade que você tem de ter um cartão. Se decidir que realmente precisa de um, use com moderação, não empreste a ninguém. Se não for usado de maneira controlada, pode desencadear uma enorme dívida, pois os juros do cartão de crédito são os maiores do mercado. 

Itaucard 2.0: Conheça os Cartões e Como Funciona

O cartão Itaucard 2.0 é uma opção de cartão que o Itaú lançou como uma alternativa a mais para oferecer aos seus clientes novas formas de pagamento e de parcelamento da fatura. 

O principal diferencial desse cartão é a taxa de juros diferenciada e a maneira que os clientes poderão pagar as suas faturas. 

Além do mais, o cliente pode participar do programa de recompensas Sempre Presente e acumular pontos que, após acumulados, poderão ser trocados por vários produtos, além de 50% de descontos em parques, cinemas, partidas de futebol, teatros e atrações turísticas dos parceiros do Itaucard. 

A taxa de juros do cartão de crédito Itaucard é de 5,99% ao mês. O cliente tem até 40 dias para pagar as suas compras e conta ainda com a possibilidade de também parcelar as suas compras. 

Ao pagar um valor menor que o da fatura, o cliente passa a usar o crédito disponível do cartão. Assim, ele estará contraindo um empréstimo junto ao banco e pode ter que pagar juros que giram em torno de 10% ao mês. Com o Itaucard, esses juros caem para 5,99%.  

Porém, como todos sabemos, ainda que as taxas sejam menores, precisamos ter muito cuidado. Pois as taxas praticadas pelo cartão de crédito são sempre maiores do que dos empréstimos e dificilmente compensam. 

Como Funciona o Cartão de Crédito Itaucard 2.0? 

Quando pagamos o valor total da fatura do cartão dentro do prazo, nada muda do Itaucard 2.0 para os outros cartões. Nesse caso, não há nenhuma cobrança de juros, pois a fatura está sendo paga integralmente. 

Agora, se a pessoa paga apenas o valor mínimo da fatura, ela terá que pagar juros sobre o valor que ela não pagou. No caso dos cartões tradicionais, se a fatura era no valor de R$ 100,00 e o consumidor pagou apenas R$ 10,00, no mês seguinte, ele terá que pagar o valor de R$ 90,00 acrescido de 10% de juros. Somando: R$90 + R$9 = R$ 99,00. 

No caso do Itaucard 2.0, considerando os mesmos valores, o valor a pagar ficaria da seguinte forma:  R$90 + R$4,50 = R$ 94,50. Ou seja, o valor dos juros cobrados pelo cartão de crédito Itaucard 2.0 são de cerca de metade do valor cobrado pelos outros cartões.  

Porém, é preciso fazer uma observação muito importante: ao usar o cartão de crédito convencional, nós pagamos juros somente sobre o valor que não pagamos da fatura. E no cartão Itaucard 2.0, serão cobrados juros também sobre todas as compras feitas, ainda que o valor mínimo tenha sido feito. Ou seja, enquanto o valores que deixamos que pagar não forem acertados, o Itaucard continuará cobrando juros sobre toda compra que for feita. 

Como Solicitar o Cartão Itaucard 2.0 pela Internet? 

Quem deseja ter um cartão de crédito Itaucard, pode solicitar pela internet. Para isso, basta acessar o site www.itau.com.br/cartões. Depois disso, clique em “Peça já o seu”. Na tela que se abrirá, serão apresentados todos os cartões de crédito que o Itaucard emite. Em seguida, o usuário escolhe o cartão e começa a preenche o formulário. O retorno sobre a aprovação ou não da proposta será enviada em um prazo em torno de e10 dias, pelo e-mail cadastrado no momento da proposta.  

Há também a possibilidade de se fazer a solicitação pelo telefone. Basta ligar para 4001-4858 (capitais e regiões metropolitanas) ou para o número 0800 722 4858 (demais regiões). É importante estar com os documentos pessoais em mãos. Também será solicitado o endereço completo com CEP, e os dados relativos à ocupação profissional. É importante que o solicitante seja maior de 18 anos e que não tenha nenhuma restrição no nome. 

E não se esqueça de usar o cartão de crédito com moderação.

Como Fazer Transferências Internacionais

Hoje em dia, realizar ou receber transferências em moedas estrangeiras já faz parte da vida de grande parte dos brasileiros. 

A grande maioria dos bancos já oferece para os seus clientes o serviço que permite que eles façam transferências internacionais. Mas, com certeza, esse serviço envolve custos que devem ser avaliados com antecedência. Dessa forma, por meio da conta bancária, o cliente consegue tanto enviar dinheiro para o exterior, quanto receber. 

Além dos custos, também é necessário verificar quais documentos são necessários para que a transação possa ser efetuada. Para ajudar quem precisa realizar uma transferência internacional, separamos as informações abaixo. Acompanhe: 

Custos de Uma Transferência Bancária Internacional 

Avaliar os custos envolvidos em uma transferência bancária internacional é muito importante. Os valores praticados variam muito de um banco ou instituição bancária para outro. Confira abaixo os valores de alguns dos principais bancos: 

  • Provedor: TransferWise

Taxa de emissão de remessa: R$ 23,60 

Taxa de câmbio: câmbio comercial – sem margem de lucro 

Custo total: R$ 23,60 (IOF já incluso) 

  • Provedor: Santander

Taxa de emissão de remessa: R$ 90,00 

Taxa de câmbio: com margem de lucro 

Custo total: R$ 90,00 + IOF (0,38%) + margem de lucro no câmbio + potenciais custos do beneficiário  

  • Provedor: Itaú

Taxa de emissão de remessa: R$ 130,00  

Taxa de câmbio: com margem de lucro 

Custo total: R$ 130,00 + IOF (0,38%) + margem de lucro no câmbio + potenciais custos do beneficiário 

  • Provedor: Banco do Brasil

Taxa de emissão de remessa: R$ 110,00 

Taxa de câmbio: com margem de lucro 

Custo total: R$ 110,00 + IOF (0,38%) + margem de lucro no câmbio + despesas externas (com tarifa na ordem dos U$$ 100,00 – dólares) 

  • Provedor: Caixa Econômica Federal

Taxa de emissão de remessa: USD$30,00 (dólares) 

Taxa de câmbio: com margem de lucro 

Custo total: USD$30 (dólares) + margem de lucro do câmbio + IOF (0,38%) + despesas SWIFT + potenciais custos do beneficiário 

  • Provedor: Citibank

Taxa de emissão de remessa: 

Taxa de câmbio: com margem de lucro 

Custo total: R$ 150,00 + margem de lucro do câmbio + IOF (0,38%) + potenciais custos do beneficiário 

  • Provedor: Bradesco

Taxa de emissão de remessa: USD$100,00 (dólares) 

Taxa de câmbio: taxa de câmbio com margem de lucro 

Custo total: USD$100 (dólares) + IOF (0,38%) + margem de lucro no câmbio + despesas potenciais do beneficiário 

Os valores podem sofrem alterações caso os bancos façam acordos específicos. Por isso, antes de decidir qual instituição escolher, verifique antes o valor que está sendo cobrado naquela momento. 

O primeiro serviço que informamos é a Transferwise, que é um serviço online para enviar valores a uma taxa bem pequena, quando comparada às taxas cobradas pelas demais instituições. Em média, o valor cobrado pela Transferwise chega a ser até 8x menor do que o valor dos serviços tradicionais. 

Como Realizar Transferência Internacional 

No momento em que vamos fazer uma transferência bancária internacional em um banco, algumas informações sobre o beneficiário serão solicitadas. São elas: 

  • O nome completo do beneficiário
  • O número da conta do beneficiário ou IBAN
  • O motivo da transferência
  • O nome do banco do beneficiário
  • O código SWIFT

Conforme o valor que será transferido, o banco pode solicitar até mesmo a declaração do imposto de renda ou algum documento que comprove o recurso. 

Em alguns bancos, o cliente pode ir pessoalmente à agência para realizar a transação. Outros, porém, costumam exigir que o cliente compareça na agência, ao menos na primeira vez em que for realizar a transferência. 

Alguns bancos permitem que essa transação seja feita até mesmo por telefone, como é o caso do Bradesco e do Santander, dependendo do valor a ser transferido. 

E, como não poderia faltar, também é possível transferir recursos pela internet dependendo do valor, usando o aplicativo mobile ou acessando o internet banking. 

 

Cartão Saraiva Sem Anuidade: Como Fazer e Consultar Fatura

A maioria das lojas está disponibilizando cartão de crédito para os seus clientes. E a Saraiva é uma delas. O cartão de crédito da Saraiva é um cartão igual aos outros. O diferencial é que os clientes da loja que o possuem contam com promoções especiais e ofertas exclusivas, tanto para compras nas lojas físicas, quanto para as compras pelo site. 

Vantagens do Cartão de Crédito Saraiva 

  • A anuidade é gratuita para sempre. Ele é um dos poucos cartões que não cobram anuidade e nem tarifa de emissão da fatura.
  • Fácil adesão. Não há a necessidade de comprovar renda e nem de enviar nenhuma documentação. Existe a análise e aprovação de crédito, como nos outros cartões, mas esse cartão é bem mais flexível no que diz respeito à renda.
  • É um cartão internacional, e conta com a bandeira Visa. Ou seja, você pode usá-lo em qualquer lugar do mundo.
  • Clientes das lojas Saraiva contam com ofertas exclusivas, condições diferenciadas de pagamento e descontos para clientes tanto no site quanto nas lojas físicas.
  • Todas as compras feitas tanto na rede Saraiva quanto fora dela participam do Duplo Programa de Recompensas. Esses pontos servem para participar do programa de relacionamento Saraiva Plus e também e de Milhas aéreas TAM.
  • O cartão Saraiva ainda conta com outras vantagens, como: cartões adicionais, seguro de proteção do cartão, programa de fidelidade, saque em dinheiro nas redes Visa e 40 dias para pagar as compras.

É uma excelente opção para quem busca um cartão completo, que é aceito em todos os estabelecimentos que trabalham com a bandeira Visa, além de não cobrar anuidade, nem exigir comprovação de renda, que não características que a maioria das pessoas tem buscado hoje em dia em um cartão de crédito. Além do mais, nem é preciso ir até uma loja. Pela internet mesmo é possível solicitar o cartão.  

Como Fazer Um Cartão Saraiva? 

Para solicitar um cartão de crédito Saraiva, a pessoa precisa ter, no mínimo, 18 anos. Não é preciso enviar nenhuma documentação e nem comprovar renda.  

Para solicitar, basta acessar o site www.saraiva.com.br/cartaosaraivax/ e clicar em “peça já o seu”. Em seguida, aparecerá uma tela de identificação. Se a pessoa ainda não tem cadastro, terá que clicar em “Ainda não sou cliente” e informar um e-mail para dar sequência ao cadastro. Depois, clique em “Continuar”. Na próxima página que se abrirá, será preciso informar os dados de identificação, assim como os números dos documentos pessoais. Em seguida, clique em “Próximo”. O próximo passo será preencher os dados do endereço residencial e telefone de contato. Clique em “Próximo” novamente. Depois, serão solicitados os dados referentes à sua ocupação. Preencha e clique novamente em “Próximo”. Agora, será solicitado que você escolha a data de vencimento da fatura, se deseja ou não ter seguro proteção ouro e os dados solicitados para quem quer um cartão adicional. Clique em “Próximo”. Na tela seguinte, aparecerá o resumo da sua proposta. Confira os seus ddos, leia com muita atenção os Termos Legais da proposta e, estando tudo ok, selecione “Autorizo o envio do cartão para o meu endereço…”. Clique em “Continuar”. 

Agora, aparecerá uma etapa de confirmação. É recomendado ler com muita atenção o contrato e os regulamentos. Se desejar, você pode baixar o arquivo em PDF também. Depois, basta selecionar “Li e entendi as cláusulas e condições previstas e concordo com o inteiro teor…”. Agora, é só clicar em “Enviar”. 

Após alguns dias, você receberá a resposta da proposta. Se, antes disso, desejar consultar se ela foi aprovada ou não, basta acessar o site www.saraiva.com.br/cartaosaraivax/ e clicar em “Status Proposta”. 

O Que é IOF? Como Não Pagar Sobre o Cartão de Crédito

O IOF, ou Imposto Sobre Operações Financeiras, é um imposto federal. Ele incide em todos os tipos de operações de crédito, seguro, câmbio, e até mesmo sobre negócios que relacionados com valores mobiliários e títulos. 

O objetivo desse imposto é uma maneira de regular a economia. Assim, o governo consegue mensurar como anda a oferta e a demanda de crédito no Brasil. No entanto, para alguns economistas, esse efeito não acontece de verdade. 

Em contrapartida, ele serve bem como uma forma de arrecadação. Até porquê a sua alteração independe de aprovação no Congresso Nacional. 

Confira abaixo quais as alíquotas são praticadas do IOF pois, como ele está presente em diversos tipos de operações, ele não conta com apenas uma alíquota. São vários os tipos de cobranças. Confira abaixo:
• 3% ao ano para crédito à pessoa física (no caso de empréstimo); 

  • 1,1% para compras de moedas em espécie;
  • 0,38% na abertura de operação de crédito e transferência entre contas para o exterior;
  • Até 25% no caso de seguro, dependendo do tipo;
  • Até 96% sobre a rentabilidade de investimentos financeiros,
  • 6,38% para cartão pré-pago, cartão de crédito (para compras internacionais) e cheques de viagem.

Os valores cobrados pelo IOF podem sofrer alterações no decorrer do ano. Quem define é o Governo Federal. As mudanças irão depender das ações que o governo deseja fazer. 

Como Faço Para Saber o Quanto Pago de IOF? 

Essa informação pode ser verificada tanto na fatura do cartão de crédito quanto no extrato da conta corrente. 

A sigla do IOF constará nos meses em que foram feitas compras parceladas ou quando o usuário usou o limite do cheque especial. Além de compras realizadas em outros países. Quanto mais altos os valores das operações, maior será o valor do IOF também. 

Como Pagar Menos IOF?

A necessidade do IOF é questionada por muitas pessoas. Elas costumam perguntar se esse imposto é realmente importante. 

Por meio do IOF, o governo consegue regular a economia do país, quando ele aumenta ou reduz o valor do imposto. Além do mais, ele é uma boa ferramenta de arrecadação, o que o torna muito importante para a economia do país. 

Se não dá para fugir dele, o que podemos fazer então para pagar menos IOF? 

Confira abaixo algumas dicas de como fugir do IOF ou pagar uma tarifa menor: 

  • Evite financiar a sua fatura do cartão de crédito;
  • Quando chegar data de vencimento, pague o valor total da sua fatura;
  • Quando viajar para o exterior, dê preferência à pagamento em dinheiro ou Enbanx Dollar Card, que possuem IOF de 0,38%, enquanto o IOF do cartão de crédito é de 6,38%; 
  • Evite usar o cartão de crédito para pagar boletos bancários e contas;
  • Evite sacar dinheiro usando o cartão de crédito,
  • Apenda a usar a Bitcoin (BTC), a moeda virtual que é livre de impostos e não é controlada por nenhum banco central.

Nós brasileiros já pagamos tantos impostos, que devemos buscar alternativas para evitar pagar ainda mais. Sempre que possível, siga as dicas que, com certeza, o valor que você pagará de IOF será bem menor. 

Várias instituições financeiras no Brasil emitem um cartão de débito internacional que é recarregável, como um cartão pré-pago. Ao usá-lo, o consumidor paga apenas 0,38% de IOF em cima da recarga feita e não sobre o valor da sua compra, pois não haverá transação de câmbio e nem fatura do cartão. O imposto pago pelo cartão pré-pago é mais baixo e o câmbio acontece na hora da recarga do cartão.